Speak Now

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Speak Now
Álbum de estúdio de Taylor Swift
Lançamento 25 de outubro de 2010 (2010-10-25)
Gravação 2008 - 2010
Aimeeland Studio, Blackbird Studios, Capitol Studios
(Hollywood, Califórnia)
Pain in the Art Studio, Starstruck Studios
(Nashville, Tennessee)
Stonehurst Studio
(Bowling Green, Kentucky)[1]
Gênero(s) Country pop[2]
Duração 67:02
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD, download digital, LP
Gravadora(s) Big Machine
Produção Scott Borchetta (exec.), Nathan Chapman, Taylor Swift
Cronologia de Taylor Swift
Último
Último
Fearless
(2008)
Red
(2012)
Próximo
Próximo
Singles de Speak Now
  1. "Mine"
    Lançamento: 4 de agosto de 2010 (2010-08-04)
  2. "Back to December"
    Lançamento: 15 de novembro de 2010 (2010-11-15)
  3. "Mean"
    Lançamento: 7 de março de 2011 (2011-03-07)
  4. "The Story of Us"
    Lançamento: 19 de abril de 2011 (2011-04-19)
  5. "Sparks Fly"
    Lançamento: 18 de julho de 2011 (2011-07-18)
  6. "Ours"
    Lançamento: 8 de novembro de 2011 (2011-11-08)

Speak Now é o terceiro álbum de estúdio da cantora e compositora de country pop estadunidense Taylor Swift, lançado no dia 25 de outubro de 2010 através da Big Machine Records e do Universal Music Group. O disco foi divulgado dois anos depois do grande sucesso de vendas de Swift, o álbum Fearless (2008). Suas composições foram assinadas exclusivamente pela cantora, enquanto suas produções foram realizadas por ela mesma em parceria com Nathan Chapman. Derivado principalmente da mescla entre as músicas country e pop, possui como tema de suas letras os relacionamentos vivenciados por Swift ao longo de sua vida, baseando-se também nas conturbadas experiências geradas por eles na vida da intérprete. As gravações do projeto ocorreram entre 2008 e 2010, em estúdios de gravação em Nashville, Hollywood e Bowling Green.

Como parte da divulgação do álbum, seis singles oficiais e algumas canções promocionais foram lançadas. A primeira faixa do projeto a ser divulgada foi "Mine", cujo lançamento ocorreu em 4 de agosto de 2010. A canção foi em geral bem recebida pela crítica, e obteve um bom desempenho nas paradas musicais de países como Estados Unidos e Canadá. Em 5 de outubro do mesmo ano, Swift divulgou a faixa-título "Speak Now" como single promocional da obra, obtendo um destaque moderado nas paradas porém sendo bastante elogiada pelos críticos. Nas semanas seguintes, ela divulgou as faixas "Back to December" e "Mean", inicialmente também lançadas como faixas promocionais, mas que foram semanas depois anunciadas como o segundo e terceiro singles do material, respectivamente. "The Story of Us", "Sparks Fly" e "Ours" foram enviadas as rádios como os três singles seguintes do disco, e alcançaram sucesso moderado nos Estados Unidos e Canadá. As faixas bônus "If This Was a Movie" e "Superman" também foram liberadas como canções promocionais, e fizeram aparições apenas nas paradas estadunidenses.

Logo após seu lançamento, Speak Now atingiu o sucesso instantâneo nos campos crítica e comercial. O álbum recebeu muitas avaliações positivas por parte da crítica musical, além de ter conseguido um grande destaque de vendas em seus primeiros meses de comercialização. Ele conseguiu estrear na primeira posição da parada musical americana Billboard 200 com vendas iniciais de 1 milhão e 47 mil cópias, registrando a maior semana de vendas para uma artista feminina da música country de todos os tempos, superando as vendagens iniciais do álbum Up!, de Shania Twain. Ele também atingiu excelentes índices de vendas em países como o Canadá, a Austrália e o Brasil, obtendo discos de ouro e platina nessas e em outras diversas regiões ao redor do mundo.

A divulgação de Speak Now foi feita através de diversas apresentações realizadas por Swift em programas de TV, rádio e concertos especiais. Em fevereiro de 2011, a cantora embarcou em sua segunda turnê mundial, a Speak Now World Tour (2011-12), na qual ela gravou seu primeiro álbum ao vivo, intitulado Speak Now: World Tour Live e lançado no ano de 2011. Segundo a Big Machine Records, Speak Now vendeu cerca de 5 milhões de cópias em todo o mundo, sendo 4.2 milhões delas somente nos Estados Unidos. No agregador de resenhas Metacritic, o disco registrou uma média de 77 pontos de aprovação, indicando "críticas geralmente favoráveis".

Contexto e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

(A faixa-título) pertence ao álbum e a toda sua temática como um conceito. Estive trabalhando nesse disco durante dois anos, ou seja, desde que Fearless foi lançado. Escrevi-o, visualizei-o e contextualizei-o na minha mente, e ainda estou tentando adivinhar como ele vai sair. [...] Eu escrevo sobre a minha vida, então preciso de tempo para viver e escrever sobre situações pessoais. Nos últimos dois anos experimentei várias coisas e pude falar sobre elas agora, coisa que não podia fazer antes.[3] [4]

—Swift antes do lançamento do álbum, explicando o conceito por trás do título e descrevendo o processo de desenvolvimento do projeto.

O anúncio de que Speak Now seria lançado como o terceiro álbum de estúdio da carreira de Swift foi feito durante um webchat realizado pela cantora no dia 20 de julho de 2010, através do site de transmissão on-line ustream.[3] [4] [5] [6] Durante o bate-papo, a cantora descreveu o conceito por trás do título do disco e falou sobre seu processo de produção e composição, revelando que todas as faixas selecionadas para integrar o material haviam sido escritas inteiramente por ela, sem nenhum auxílio.[3] [4] [7] Swift disse: "Acabou acontecendo que as canções que foram selecionadas para integrar a edição final do álbum foram escritas apenas por mim. [...] Eu tinha minhas melhores ideias às 3 da manhã no Arkansas e não havia nenhum co-escritor por perto. Por isso, eu tinha que finalizá-las sozinha".[7] [8]

Speak Now foi gravado em Hollywood, na Califórnia; em Nashville, no Tennessee; e em Bowling Green, no Kentucky.[1] Contou com a produção executiva de Scott Borchetta e a produção musical de Nathan Chapman, tendo ainda o auxílio da própria Swift e de músicos como Paul Buckmaster, que foi o responsável pelo arranjamento da orquestra presente em "Back to December" e "Haunted".[7] Inicialmente se chamaria Enchanted, porém segundo Borchetta esse título não era suficientemente adequado a temática da obra. Durante uma entrevista para a Billboard, o produtor executivo revelou que o título inicial foi proposto pela própria artista. Ele declarou: "Estávamos almoçando e ela de repente começou a tocar várias novas canções pra mim. Em seguida, eu olhei pra ela como quem dizia: "Taylor, esse álbum não é mais sobre contos de fada e o colegial. Você não está mais neles, e não acho que ele deva se chamar Enchanted".[9] Segundo Borchetta, Swift deixou a mesa onde almoçavam logo em seguida e só voltou momentos depois, já com o título oficial do disco, que de acordo com o produtor "chega o mais perto possível de representar a evolução em sua carreira [da cantora] e seu entendimento ainda imaturo do mundo".[9]

Composição[editar | editar código-fonte]

Estilo musical e letras[editar | editar código-fonte]

Em algumas letras escritas para Speak Now, Swift fez referências a alguns de seus antigos namorados, entre eles Joe Jonas (esquerda) e John Mayer (direita).

Speak Now foi escrito com base no gênero country em sua variação pop, o country pop.[2] Todas as faixas foram escritas por Swift (exceto em "If This Was a Movie", que contou com a colaboração de Martin Johnson), enquanto a produção das mesmas foi feita por Nathan Chapman em parceria com a própria intérprete.[10] A temática lírica da obra baseia-se basicamente nas experiências amorosas vivenciadas por Swift entre 2008 e 2010, enquanto percorria o mundo com a Fearless Tour. Sobre as letras das canções, a cantora declarou: "Cada canção é uma confissão para uma pessoa".[7] Sobre o tempo que levou para escrevê-las, ela disse: "Eu escrevo sobre a minha vida, então preciso de tempo para viver e escrever sobre situações pessoais".[7]

A primeira faixa do álbum é "Mine". Ela possui 3 minutos e 52 segundos de duração e foi composta em um andamento moderado. Segundo Swift, sua letra fala sobre sua "tendência em fugir do amor".[11] Possui 120 batidas por minuto e foi escrita em sol maior, com os vocais de Swift chegando até uma oitava e variando entre as notas e .[12] "Sparks Fly" foi escrita em ré menor com os vocais de Swift atingindo duas oitavas, indo de a dó.[13] Sua letra fala sobre um intenso amor vivido pela cantora, no qual ela pede que seu pretendente "largue tudo agora"[nota 1] por ela. A crítica foi positiva quanto a ela, tendo elogiado os vocais da intérprete. "Back to December", terceira faixa da obra, possui 72 batidas por minuto e fala sobre o arrependimento de Swift por ter deixado seu grande amor escapar.[14] Foi escrita em ré maior, com os vocais da cantora se expandindo em uma oitava, da nota fá sustenido para .[15] Essa faixa também foi recebida de forma positiva pela crítica, sendo definida como "uma elegante balada".[16]

"Speak Now", a faixa-título do álbum, tem sua melodia feita através de um violão, e traz em sua letra a história de uma garota que tenta impedir o garoto que ela ama de casar-se com a mulher errada.[17] A inspiração para sua composição surgiu a partir de uma história contada a Swift por uma de suas melhores amigas, que era apaixonada por um garoto que estava prestes a casar-se com outra.[18] É uma faixa de andamento moderado, que possui uma base de 120 batidas por minuto e foi escrita em sol maior.[19] Nela, os vocais de Swift atingem duas oitavas, indo da nota até ré.[19] Sua progressão harmônica demonstra uma grande semelhança entre ela e "You Belong With Me".[19] [20] A crítica foi positiva ao avaliá-la, definindo-a como uma das melhores canções da cantora lançadas até então.[20] "Dear John", a quinta faixa de Speak Now, foi escrita em mi maior, e fala sobre o relacionamento da cantora com o também cantor John Mayer, que disse ter se sentido "humilhado" com sua letra.[21] [22] "Mean" possui influências claras da música country em sua melodia. Essas influências tornam-se ainda mais evidentes devido a presença de alguns elementos específicos na melodia da obra, como por exemplo o som do banjo.[23] [24] A letra de "Mean" fala sobre as pessoas que subjulgaram o talento de Swift, afirmando que ela jamais seria uma grande artista.[25] Ela foi escrita em mi maior, e traz os vocais de Swift alcançando uma oitava e um 4º, variando entre as notas sol sustenido e dó sustenido.[26] A crítica especializada avaliou-a de forma mista, pois enquanto alguns críticos a elogiaram, outros a criticaram. Apesar das críticas mistas, "Mean" ganhou as duas categorias do Grammy Awards as quais foi indicada: "Melhor Música Country" e "Melhor Performace Country Solo".[27] [28]

"The Story of Us" possui duração de 4 minutos e 27 segundos, sendo a primeira das faixas do álbum a se distanciar do country pop, indo nesse caso para o pop rock.[2] Sua letra foi inspirada em um encontro de Swift com um ex-namorado (supostamente John Mayer) durante a edição de 2010 do CMT Music Awards, no qual eles estavam precisando falar um com o outro mas estavam distantes, separados por seus assentos, algo semelhante a situação descrita na letra.[29] Ela foi escrita em mi maior e gravada com um metrônomo de 138 bpm.[30] Nela, os vocais da cantora atingem notas entre fá sustenido e si.[30] Em "Never Grow Up" e "Enchanted", a musicalidade do álbum assume um andamento mais lento que o da maioria das faixas anteriores. Essas canções foram compostas, respectivamente, em ré maior e lá bemol maior.[31] [32]

"Mine"
Demonstração de "Mine", canção derivada do country pop que foi lançada como o 1º single de Speak Now. Sua letra fala sobre a tendência de Swift em "fugir do amor".

"Speak Now"
Demonstração de "Speak Now", faixa-título do álbum cuja inspiração para a composição partiu de uma história contada a Swift por uma de suas melhores amigas.

"Mean"
Demonstração de "Mean", canção derivada da música country que foi indicada as categorias "Melhor Música Country" e "Melhor Performace Country Solo" do 54º Grammy Awards, e posteriormente venceu ambos os prêmios.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja introdução à mídia.

"Better Than Revenge" possui fortes influências do pop rock e foi escrita em si menor, com os vocais de Swift variando entre as notas lá e dó.[33] Sua letra fala de uma garota que roubou o namorado da cantora e da qual ela pretende se vingar. "Innocent", a décima-primeira faixa do álbum, foi instrumentada basicamente pelo violão e o piano. Sua letra foi supostamente escrita como uma resposta ao que ocorreu na edição de 2009 do MTV Video Music Awards, quando o rapper Kanye West tomou o microfone das mãos da cantora enquanto ela fazia seu discurso de agradecimento pela vitória na categoria "Melhor Vídeo Musical Feminino" pelo vídeo da canção "You Belong With Me", para dizer que Swift não merecia ter ganhado o prêmio.[34] Na edição do ano seguinte do evento Swift performou "Innocent", o que soou como uma indireta para o cantor.[35] A canção foi escrita em si menor, com os vocais da cantora atingindo as notas de mi a si.[36] "Haunted" é a única faixa do disco que conta com a presença de uma orquestra em sua instrumentação.[37] Ela foi escrita em ré menor, e mostra os vocais de Swift indo de fá à nota dó.[38]

"Last Kiss" e "Long Live" são as duas últimas faixas da edição padrão de Speak Now. "Last Kiss" possui 6 minutos e 7 segundos de duração, o que supostamente seria uma referência a duração de uma ligação que Swift teria feito para o ex-namorado Joe Jonas, na qual ele teria terminado o relacionamento.[39] Ela foi escrita em si bemol maior, com os vocais da cantora variando entre as notas ré e fá.[40] Já "Long Live" foi escrita em sol maior, com os vocais de Swift indo de mi à dó.[41]

Outras três faixas estão presentes no segundo disco que compõe a edição deluxe do álbum. São elas: "Ours", "If This Was a Movie" e "Superman". "Ours" fala sobre as dificuldades impostas pela família de Swift em um de seus relacionamentos, que de nada importam para ela. Ela foi escrita em dó maior, com os vocais da cantora variando entre as notas mi e lá.[42] "If This Was a Movie" fala sobre um relacionamento ao qual Swift deseja voltar, o qual ela quer que seja "como em um filme".[43] "Superman" fala sobre um namorado de Swift que ela considera um "Super-Homem".[44]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Taylor Swift durante um dos show's da Speak Now World Tour.

A primeira apresentação oficial de divulgação de Speak Now ocorreu no dia 11 de junho de 2010, quando Swift interpretou "Mine" durante um show privado que foi filmado e transmitido pela ABC como parte do especial CMA Music Festival: Country's Night to Rock, exibido no 1º de setembro do mesmo ano.[45] A segunda performance foi realizada no dia 12 de setembro durante o MTV Video Music Awards de 2010, onde a cantora interpretou a canção "Innocent".[35] Nos dias 5 e 21 do mês seguinte "Mine" foi apresentada novamente, desta vez durante um dos episódios da 4ª edição do The X Factor Italia e durante um especial gravado para a BBC Radio 2, respectivamente.[46] [47] Entre essas duas performances, houve ainda a primeira apresentação ao vivo de "Back to December", realizada durante um showcase em Paris, França.[48] Essa mesma canção foi novamente interpretada pela cantora nos dias 10 e 21 de novembro, durante o CMA Awards de 2010 e o AMA de 2010, respectivamente.[49] [50] Além destas duas faixas, outras canções contidas na obra também foram performadas no ano seguinte. "Mean" foi apresentada ao vivo por Swift durante a 46ª edição do ACM Awards,[51] em um dos episódios do The Ellen DeGeneres Show e durante a 54ª edição do Grammy.[52] [53] Já "The Story of Us" e "Ours" foram cantadas durante um outro episódio do The Ellen DeGeneres Show e durante o CMA Awards de 2011, respectivamente.[54] [55]

Antes do lançamento do álbum foi realizada uma contagem regressiva através da iTunes Store, na qual uma música inédita foi liberada para compra digital em cada uma das três semanas que antecederam a divulgação oficial do material.[56] A primeira canção lançada foi "Speak Now", cuja distribuição teve início no dia 5 de outubro.[17] "Back to December" foi a segunda, tendo sua prévia liberada no dia 11 de outubro e a versão completa divulgada no dia seguinte.[57] "Mean" foi a terceira e última, tendo sua prévia apresentada no dia 18 de outubro e foi liberada para compra um dia depois.[58]

Em 23 de novembro de 2010, Swift anunciou oficialmente a Speak Now World Tour, turnê mundial que teve início no dia 9 de fevereiro de 2011 em Singapura em suporte a divulgação de Speak Now.[59] O evento passou por 19 países em um total de 111 shows, tendo uma duração de pouco mais de um ano, com seu último show sendo realizado em Auckland, Nova Zelândia no dia 18 de março de 2012.[60] Com um público aproximado de 1 milhão e meio de pessoas, a Speak Now World Tour arrecadou cerca de 123 milhões de dólares, chegando a casa dos 100 milhões após 89 shows.[60] [61] Durante os concertos da digressão, Swift interpretou 14 das 17 canções contidas em Speak Now, sendo elas "Mine", "Sparks Fly", "Back to December", "Speak Now", "Dear John", "Mean", "The Story of Us", "Enchanted", "Better Than Revenge", "Haunted", "Last Kiss", "Long Live", "Ours" e "Superman".[62] [63] [64] Durante as apresentações realizadas dos dias 9 e 10 de agosto de 2011 na cidade de Illinois, Chicago foi gravado o primeiro álbum ao vivo da cantora, o Speak Now: World Tour Live.[65] O material foi lançado em CD, DVD e Blu-Ray no dia 21 de novembro do mesmo ano.[65]

Em 13 de outubro de 2011 Swift lançou a fragrância feminina "Wonderstruck", cuja inspiração para a composição e título vieram de uma das canções contidas em Speak Now: A faixa "Enchanted".[66] Durante a coletiva de lançamento do produto Swift deu a seguinte declaração: "Eu escrevi a frase 'I'm wonderstruck, blushing all the way home'[nota 2] para a canção 'Enchanted', e ela fala sobre a primeira vez em que você encontra alguém. Uma fragrância pode ajudar a formar a primeira impressão e a primeira memória de alguém sobre você. É animador saber que a 'Wonderstruck' irá criar esse tipo de memórias".[67]

Singles[editar | editar código-fonte]

Oficiais[editar | editar código-fonte]

Swift interpretando "Sparks Fly" durante a Speak Now World Tour. A faixa foi escolhida como o quinto single do disco e obteve uma resposta satisfatória por parte do público e da crítica. Atingiu a 17ª posição da Billboard Hot 100 e o 1º lugar da Billboard Country Songs.

"Mine" foi a primeira canção do álbum divulgada como um dos singles. O anúncio de seu lançamento foi feito no dia 20 de julho de 2010,[3] sendo inicialmente planejado para o dia 16 de agosto do mesmo ano porém ocorrendo doze dias antes, em 4 de agosto.[68] Em sua semana de estreia, a faixa vendeu 297 mil downloads digitais pagos nos Estados Unidos, estreando na 1ª posição da Hot Digital Songs e no 3º lugar da Billboard Hot 100.[69] Graças a esse debut, "Mine" tornou-se na época a canção com a oitava maior semana de vendas da história, conquistando ainda o status de faixa com a quarta maior semana de vendas do ano de 2010.[69] [70] Além desses dois recordes, a canção fez de sua intérprete a segunda artista na história (logo depois de Mariah Carey) a fazer duas estreias no top 5 da Billboard em um mesmo ano, uma vez que no início de 2010 o single "Today Was a Fairytale" havia estreado na 2ª colocação do Hot 100 estadunidense.[70] No Japão, Canadá e Austrália, "Mine" atingiu as 6ª, 7ª e 9ª posições, respectivamente.[71] [72] [73] Suas vendagens aproximadas em 2 milhões e 81 mil cópias em território estadunidense foram suficientes para certificá-la com um disco duplo de platina, emitido pela Recording Industry Association of America (RIAA) após a ultrapassagem da marca de 2 milhões de exemplares distribuídos no país.[74] [75] No Canadá, o total de vendas superior a 80 mil unidades fez com que a Music Canada premiasse a obra com um disco de platina.[76] Na Austrália, foi emitido um disco de ouro pela Australian Recording Industry Association (ARIA) assim que as vendagens ultrapassaram a marca de 35 mil cópias.[77] Na Nova Zelândia, as organizações Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ) e RadioScope emitiram um disco de ouro para o tema, após o mesmo ter vendido mais de 7 mil e 500 unidades digitais.[78]

"Back to December" foi lançada como o segundo single do álbum no dia 15 de novembro de 2010.[79] Ela já havia sido liberada para download pago através do iTunes desde o dia 12 do mês anterior, como parte da contagem regressiva para o lançamento de Speak Now.[56] A faixa foi muito bem recebida pela crítica, sendo descrita como "uma elegante balada" e tendo sua letra apontada como uma referência ao relacionamento da cantora com o ator Taylor Lautner.[16] [80] Nas paradas dos Estados Unidos, atingiu a 6ª posição da Billboard Hot 100 após vender cerca de 242 mil downloads digitais pagos em sua semana de estreia, garantindo ainda a liderança da Hot Digital Songs.[81] Graças a suas vendas no formato digital, recebeu um disco de platina da RIAA, indicando vendas acima de 1 milhão de cópias nos Estados Unidos.[75] Também obteve um bom desempenho no Canadá, onde atingiu o 7º lugar da Canadian Hot 100 e foi premiada com um disco de ouro pela Music Canada, logo após vender mais de 40 mil exemplares digitais.[82] [83]

"Mean" foi lançada como o terceiro single oficial do álbum no dia 7 de março de 2011, mesmo já tendo sido liberada para download pago em 19 de outubro do ano anterior.[56] [84] Estreou na 11ª posição da Billboard Hot 100 graças as vendas de mais 163 mil cópias em sua primeira semana de distribuição nos Estados Unidos.[85] Alguns meses após o lançamento, a canção foi certificada com um disco de platina pela RIAA apontando vendas acima de 1 milhão de unidades no país, sendo essa a décima-terceira faixa de Swift a alcançar tal feito.[75] [86] No Canadá, teve como posição de pico o 10º lugar da Canadian Hot 100 e vendeu mais de 40 mil unidades digitais, sendo premiada com um disco de ouro pela Music Canada.[87] [88] Obteve ainda destaque em premiações internacionais como o Grammy, onde recebeu os prêmios de "Melhor Música Country" e "Melhor Performace Country Solo".[27]

"The Story of Us" foi enviada às rádios country como o quarto single de Speak Now no dia 19 de abril de 2011,[89] no entanto, sua estreia na Billboard Hot 100 já havia ocorrido. A faixa debutou na parada estadunidense na mesma semana em que o álbum foi lançado, ocupando o 41º posto, sua posição de pico desde então.[90] Nessa mesma semana foi registrada também sua estreia na Canadian Hot 100, ocupando a 70ª posição da lista.[91] Seu videoclipe foi filmado em Nashville, Tennessee e durante as filmagens um tornado passou pela cidade, interrompendo temporariamente as filmagens.[92]

"Sparks Fly" foi oficializada como o quinto single do disco no dia 18 de julho de 2011.[93] Sua estreia e posição de pico na Billboard Hot 100 foram registradas em paralelo com o lançamento de Speak Now, quando a faixa vendeu 113 mil unidades digitais e atingiu a 17ª posição da parada norte-americana, unindo-se às demais canções de Swift que estreavam na mesma edição da lista, e estendendo o recorde de maior número simultâneo de faixas no Hot 100 estadunidense concedido a mesma.[94] As vendas digitais da faixa ultrapassaram a marca de 500 mil cópias, fazendo com a RIAA emitisse mais um disco de ouro a cantora.[75] A faixa também obteve destaque no Canadá, onde atingiu o 28º posto do ranking geral.[91] Seu videoclipe apresenta trechos de diversas performances executadas por Swift durante a Speak Now World Tour.[95]

"Ours" foi liberada como sexto e último single oficial de Speak Now no dia 8 de novembro de 2011.[96] Atingiu a 13ª posição da Billboard Hot 100, vendeu cerca de 1 milhão 224 mil unidades digitais nos Estados Unidos e foi certificada com um disco de platina pela RIAA, indicando um nível de vendagens superior a 1 milhão de unidades.[97] [74] [75]

Promocionais[editar | editar código-fonte]

"Speak Now" (faixa-título do álbum) foi lançada como single promocional da obra no dia 5 de outubro de 2010, através do iTunes.[98] Vendeu mais de 217 mil unidades de download digital em semana de estreia, atingindo o 8º lugar da Billboard Hot 100.[99] Com essa estreia, Swift quebrou o recorde de maior número de entradas consecutivas no top 10 do Hot 100 estadunidense, cujo maior número era antes pertencente a Mariah Carey.[99] Vendeu mais de 500 mil cópias nos Estados Unidos, suficientes para premiá-la com um disco de ouro, que foi emitido pela RIAA.[75] No Canadá, teve como posição máxima o 8º lugar da Canadian Hot 100.[100]

Em novembro de 2011, as duas canções restantes da edição deluxe de Speak Now que não haviam sido disponibilizadas para venda digital foram liberadas como single's promocionais através da iTunes Store. "If This Was a Movie" chegou ao 10º lugar da Billboard Hot 100 e atingiu a 17ª colocação da Canadian Hot 100,[101] [91] enquanto "Superman" ocupou o 26º posto do Hot 100 estadunidense e o 82º do canadense.[102] [91]

Outras canções[editar | editar código-fonte]

Apesar de não terem sido lançadas como single's oficiais ou promocionais, várias canções presentes em Speak Now fizeram aparições nas paradas musicais dos Estados Unidos e do Canadá. As faixas "Dear John", "Never Grow Up", "Enchanted", "Better Than Revenge", "Innocent", "Haunted", "Last Kiss" e "Long Live" ocuparam respectivamente as 54ª, 84ª, 75ª, 56ª, 27ª, 63ª, 71ª e 85ª posições da Billboard Hot 100.[90] [103] [101] [102] Nos casos de "Dear John", "Enchanted", "Better Than Revenge", "Innocent", "Haunted" e "Last Kiss" houveram ainda aparições na Canadian Hot 100, onde cada uma delas ocupou respectivamente os 68º, 95º, 73º, 53º, 61º e 99º lugares da lista.[91]

Alinhamento de faixas[editar | editar código-fonte]

A lista de faixas oficial do álbum foi divulgada no dia 22 de setembro de 2010 através do website oficial de Swift.[104]

Todas as canções escritas e compostas por Taylor Swift e produzidas por Nathan Chapman e Swift, exceto quando escrito. 

Edição padrão[104]
N.º Título Duração
1. "Mine"   3:50
2. "Sparks Fly"   4:20
3. "Back to December"   4:53
4. "Speak Now"   4:00
5. "Dear John"   6:43
6. "Mean"   3:57
7. "The Story of Us"   4:25
8. "Never Grow Up"   4:50
9. "Enchanted"   5:52
10. "Better than Revenge"   3:37
11. "Innocent"   5:02
12. "Haunted"   4:02
13. "Last Kiss"   6:07
14. "Long Live"   5:17
Duração total:
67:02
Notas
  • As versões internacionais do álbum (lançadas fora dos Estados Unidos) apresentam versões pop alternativas das faixas "Mine", "Back to December" e "The Story of Us" na edição padrão;[108] [109] [110]
  • No encarte do álbum, algumas letras foram propositalmente escritas com fonte maiúscula, no intuito de formar mensagens secretas referentes a cada uma das canções.[10]

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 77/100[111]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg[2]
BBC Music Positiva[112]
Entertainment Weekly (B+)[113]
Los Angeles Times 3 de 4 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svg[114]
Robert Christgau (A-)[115]
Rolling Stone 4 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg[116]
Slant Magazine 3 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg[117]
Spin 7/10[118]
The Guardian 4 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar full.svgStar empty.svg[119]
Território da Música 3 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg[120]

Speak Now foi muito bem recebido pela crítica contemporânea após seu lançamento. No agregador de resenhas Metacritic, que estabelece uma média de até 100 pontos com base nas avaliações dos críticos musicais, o álbum obteve 77 pontos de aprovação, que foram baseados em 20 resenhas recolhidas e indicaram "críticas geralmente favoráveis".[111] Stephen Thomas Erlewine, do portal musical AllMusic, deu ao disco quatro entre cinco estrelas e elogiou Swift pela maturidade de suas composições.[2] Ele afirmou que "ela escreve a partir da perspectiva do momento, porém possui a habilidade de uma compositora mais experiente, articulando as contradições e as confissões com detalhes e melodias poderosos".[2] Erlewine disse ainda que "Speak Now não representa um grande progresso desde Fearless, mas sim uma mudança sutil na direção do puro pop com algumas características country".[2] Sua resenha foi concluída com a observação de que Swift "talvez não seja mais uma garota mas também não seja ainda uma mulher", contudo no álbum "ela capta essa transição com uma graça pessoal e uma habilidade que poucas cantoras/compositoras possuem".[2] Matthew Horton, da BBC Music, também avaliou a obra de forma positiva, definindo-o como um "faiscado e afetável disco, levando Swift através de uma confiante e imponente marcha".[112]

Leah Greenblatt, do portal Entertainment Weekly, deu um (B-) a Speak Now e afirmou que "por trás da doçura da cantora se esconde uma habilidosa técnica" e que "o amor talvez a confunda, mas a arte da música certamente não".[113] Ann Powers do Los Angeles Times deu três entre quatro estrelas ao disco, afirmando que a variedade musical dele "se expande através do country pop e beira entre o rock e o sujo bubblegum pop popularizado por produtores como Dr. Luke", declarando ainda que a atenção dada por Swift aos detalhes é seu "ponto forte", e que em Speak Now "ela faz uma música memorável", com direito "as meias-notas em uma frase cantarolada e as imagens líricas que demonstram com precisão como é sentir-se desconfortável, desapontado ou feliz".[114] Robert Christgau deu um (A-) para o álbum em sua crítica para o MSN Music e criticou o fato das canções do álbum serem "muito longas e trabalhadas", porém ainda assim afirmou que "mesmo em seu excesso de trabalho, elas [as músicas] demonstram um esforço que se assemelha ao cuidado - isto é, cuidado no melhor sentido, mais amplo e emocional".[115] Dave Heaton do PopMatters deu ao álbum oito pontos em dez de aprovação, indicando (segundo a classificação do website) que o álbum é "excelente".[121] Ele declarou que "tudo em Speak Now se preocupa em tornar nossas histórias as dela e as histórias dela as nossas" (referindo-se ao público e a cantora), além de também tê-lo definido como "um grande progresso desde seus últimos dois álbuns".[121] Já Liz Stinson, da Paste Magazine, afirmou que "em Speak Now, Swift sussura seus segredos nos ouvidos de milhões de pessoas", e que ela "está crescendo, e suas composições também".[122]

Speak Now reafirma Swift como uma estrela pop seguindo seu próprio caminho. Talvez ela não tenha a glória de Lady Gaga ou o sex appeal de Britney quando mais jovem, mas assim como Beyoncé, ela também quer alguém para pôr um anel nele [no dedo][nota 3] - ainda mais se isso significar que o garoto vai conhecer seu pai e prometer amá-la para todo o sempre.

—Trecho da crítica emitida por Liz Stinson para a Paste Magazine.[122]

Rob Sheffield da revista Rolling Stone deu ao álbum quatro entre cinco estrelas, definindo-o como "cerca de duas vezes melhor que Fearless, que por sua vez é cerca de duas vezes melhor que Taylor Swift".[116] Jonathan Keefe da Slant Magazine deu a Speak Now três entre quatro estrelas e afirmou que o disco "não é nenhuma obra-prima pop, mas com certeza será aclamado como tal por alguns", concluindo sua avaliação ao dizer que "deve levar mais dois anos para que Swift desenvolva um álbum mais maduro, distante da perspectiva 'eu em primeiro lugar', e se Deus quiser, com um treinador vocal".[117] Mikael Wood, da revista Spin, deu 7 pontos em 10 ao álbum e notou que nas letras mais marcantes dele, como as de "Dear John" e "Innocent", Swift refere-se direta ou indiretamente ao rapper Kanye West, e que nas letras em que ela não o cita a música acaba tornando-se "esquecível".[118]

Alex Macpherson do jornal The Guardian deu quatro entre cinco estrelas ao material, afirmando que nele Swift vive um "dilema incomum", que se encontra na necessidade de "deixar as coisas de criança para trás, mantendo um equilíbrio entre a maturidade e a relatabilidade".[119] Ele também disse que "às vezes, a auto-consciência de uma artista tentando forçar a si mesma à novos estilos aparece - mas na maioria das vezes, Speak Now é triunfante".[119] Por fim Theon Webber, do The Village Voice, também fez uma crítica positiva ao disco, definindo-o como "leve e fofinho" e afirmando que ele "brinca de ser enjoativo".[123] Webber disse ainda que "Speak Now prova que seu talento [o de Swift] está se expandindo em proporção à sua liberdade".[123] Aaron M. da página on-line Território da Música deu três estrelas das cinco máximas, avaliando que "o álbum segue a mesma fórmula [dos anteriores]: country pop, com os violões dominando os arranjos e refrãos grudentos de sobra. A única diferença está nas letras, mais maduras". O analista concluiu que "Speak Now é um bom álbum. Nem melhor, nem pior do que os anteriores, apenas traz exatamente o que o público espera de Taylor Swift".[120]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Entre outros prêmios, Speak Now foi indicado ao Grammy de "Melhor Álbum Country" de 2010.

Speak Now foi listado por diversos críticos musicais como um dos melhores álbuns de 2010, foi premiado e indicado a várias categorias dos mais diversos de premiação eventos musical ao redor do planeta. A revista Rolling Stone apontou-o como o 13º melhor lançamento de 2010,[124] enquanto Bill Lamb, do portal About.com, afirmou que ele era o melhor álbum pop do ano, definindo-o como "um documento musical altamente íntimo e pessoal, que atrai os ouvintes com seu humor e graciosidade".[125] Allison Stewart do The Washington Post listou-o como o 10º melhor lançamento do ano em questão,[126] ao passo que Jon Caramanica colocou-o na 2ª posição de seu top 10 dos melhores do ano, afirmando que "suas canções são mais diversificadas, sua imagem mais severa, sua lâmina mais afiada".[127]

Jim Malec, crítico do American Noise, listou Speak Now como o 6º melhor álbum country de 2010, chamando-o de "o mais corajoso" lançamento do ano.[128] Ao realizarem a mesma listagem Dave Heaton e Steve Leftridge, do portal PopMatters, colocaram-o como o 5º melhor material do gênero lançado em 2010,[129] enquanto Erin Duvall, do The Boot, colocou-o na 2ª posição de sua lista.[130] Em junho de 2012, Speak Now entrou para a lista dos "50 melhores álbuns femininos de todos os tempos" da edição norte-americana da revista Rolling Stone, ficando com o 45º lugar.[131]

Além das listagens de fim de ano feitas pelos críticos, Speak Now também foi incluído em diversas premiações musicais ao redor do mundo. Em 2011, o álbum foi indicado a categoria de "Álbum Internacional do Ano" no Juno Awards, vindo a perder o prêmio para Teenage Dream, de Katy Perry. Ele também foi indicado a algumas categorias do Billboard Music Awards, incluindo as de "Melhor álbum da Billboard 200" e "Melhor álbum da Billboard Country Albums", vindo a vencer o último.[132]

A obra também foi indicada a categoria de "Melhor Álbum Country" na 54ª edição do Grammy Awards, porém não obteve a vitória. No entanto a canção "Mean", que havia sido indicada as categorias de "Melhor Música Country" e "Melhor Performace Country Solo", acabou ganhando os dois prêmios aos quais concorreu.[133] [27] O disco também foi indicado a categoria de álbum do ano no Academy of Country Music Awards,[134] no Country Music Association Awards e no American Country Awards,[135] [136] não obtendo a vitória em todos eles. Contudo, o álbum foi campeão na categoria "Álbum Country Favorito" do American Music Awards de 2011.[137]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

Ao vender 1 milhão e 47 mil unidades em sua semana de estreia, Speak Now tornou-se o álbum country com a segunda maior semana de vendas da história até então, atrás apenas de Double Live, de Garth Brooks (esquerda). Ele também quebrou o recorde de álbum country feminino com a maior semana de vendas da história, detido anteriormente por Shania Twain (direita) com o álbum Up!.

Speak Now obteve êxito comercial em várias regiões do mundo, em especial na América do Norte e Ásia. Ele estreou na 1ª colocação da Billboard 200 graças as vendas iniciais de 1 milhão e 47 mil unidades,[138] [139] que ajudaram Swift a quebrar diversos recordes da indústria musical estadunidense. Entre as marcas quebradas está a de artista feminina de música country com a maior semana de vendas da história, superando o álbum Up! de Shania Twain.[140] O disco também estreou no topo da Billboard Country Albums e da Billboard Digital Albums,[141] [142] tendo alcançado a liderança desta última graças as vendas de 278 mil cópias digitais (inclusas no total de 1 milhão e 47 mil cópias vendidas).[140]

Na semana seguinte, Speak Now manteve-se na liderança das três paradas, vendendo 320 mil exemplares e apresentando uma queda de 69% nas vendagens em relação a semana anterior.[143] [144] Nas semanas seguintes, o disco caiu do primeiro lugar e oscilou entre as 10 primeiras posições da Billboard 200, retornando ao topo da tabela em sua oitava semana de vendas, quando 245 mil unidades da obra foram distribuídas.[145] [146] O material permaneceu no topo da lista durante seis semanas não-consecutivas,[147] vendendo cerca de 4 milhões e 200 mil cópias até outubro de 2012 e obtendo um disco quadruplo de platina, cuja emissão foi feita pela Recording Industry Association of America (RIAA) logo após o disco quebrar a barreira de 4 milhões de unidades comercializadas.[75] [148] Esse foi o terceiro álbum de Swift que conseguiu atingir a marca de mais de 4 milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos, tornando-a a única artista a atingir tal marca em uma mesma década.[149]

No mercado internacional, Speak Now também obteve êxito. No Canadá, atingiu a 1ª posição da Canadian Albums Chart ao vender mais de 62 mil cópias em sua semana de lançamento,[150] [151] sendo esta a segunda maior semana de vendas do ano de 2010.[150] Alguns meses após o lançamento, o álbum já havia acumulando um total de mais de 240 mil exemplares comercializados em território canadense, que forma suficientes para certificá-lo com um disco triplo de platina cuja emissão foi realizada pela Music Canada.[152] No Reino Unido, Japão e Irlanda estreou no 6º lugar da UK Albums Chart, da Oricon Albums Chart e da IRMA Albums Chart, respectivamente.[153] [154] [155] No Reino Unido, vendeu 28.223 cópias na semana de lançamento e semanas depois obteve um disco de ouro da British Phonographic Industry (BPI) por vendas superiores a 100 mil unidades.[151] [156] [157] O mesmo disco de ouro também foi emitido no Japão e na Irlanda, através da Recording Industry Association of Japan (RIAJ) e da Irish Recorded Music Association (IRMA), cujas premiações indicaram um total superior a 100 mil e a 15 mil cópias vendidas em cada um dos territórios.[158] [159]

Na Austrália e Nova Zelândia o disco fez sua estreia no topo da ARIA Albums Chart e da RIANZ Albums Chart, respectivamente.[160] [161] Em terras australianas também atingiu o topo da ARIA Country Albums Chart e acumulou um total de vendas superior a 140 mil unidades, suficientes para assegurar-lhe um disco duplo de platina que emitido pela Australian Recording Industry Association (ARIA).[162] [163] Na Nova Zelândia vendeu mais de 15 mil exemplares e foi premiado com um disco de platina pela Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ).[164] Speak Now também fez entradas no top 10 de outros diversos países, como Espanha,[165] México,[166] Noruega e Taiwan.[167] [168] Em países como Alemanha, França e Itália fez entradas e posições de pico dentro do top 40 nacional.[169] [170] [171]

O disco também obteve certificações em outras diversas regiões do planeta. No continente asiático, além de ter sido premiado no Japão o disco também obteve discos de platina na Coreia do Sul, Filipinas, Indonésia e Taiwan, assim como um disco de ouro em Hong Kong.[151] [172] [173] Neste, recebeu a premiação após superar o total de 7 mil e 500 cópias vendidas.[174] Na Coreia do Sul, Taiwan e Indonésia foi certificado após atingir vendas superiores a 10 mil unidades em cada um.[175] Já nas Filipinas, obteve o disco de platina após vender mais de 15 mil exemplares.[175] Por fim também foi premiado na Noruega, onde obteve mais um disco de ouro após vender mais de 15 mil exemplares.[151] Em nível mundial, Speak Now vendeu mais de 5 milhões de cópias, tornando-se um dos lançamentos mais comercializados ao longo de toda a carreira de Swift.[176]

Precessão e sucessão[editar | editar código-fonte]

Gráficos de sucessão
Precedido por
Come Around Sundown por Kings of Leon[216]
Álbuns número um na Austrália ARIA Albums Chart
14 de novembro de 2010 – 20 de novembro de 2010[160]
Sucedido por
Greatest Hits por Bon Jovi[217]
Precedido por
Come Around Sundown por Kings of Leon[218]
Álbuns número um na Canadá Canadian Albums Chart
13 de novembro de 2010 – 26 de novembro de 2010[181]
Sucedido por
Greatest Hits por Bon Jovi[219]
Precedido por
The Incredible Machine por Sugarland (1ª vez)[220]
The Gift por Susan Boyle (2ª vez)[221]
Álbuns número um na Estados Unidos Billboard 200
13 de novembro de 2010 – 26 de novembro de 2010 (1ª vez)[138]
1º de janeiro de 2011 – 21 de janeiro de 2011 (2ª vez)[222]
Sucedido por
The Gift por Susan Boyle (1ª vez)[223]
Showroom of Compassion por Cake (2ª vez)[224]
Precedido por
The Incredible Machine por Sugarland (1ª vez)[225]
Nothing Like This por Rascal Flatts (2ª vez)[226]
Álbuns número um na Estados Unidos Billboard Country Albums
13 de novembro de 2010 – 3 de dezembro de 2010 (1ª vez)[141]
11 de dezembro de 2010 – 11 de fevereiro de 2011 (2ª vez)[227]
Sucedido por
Nothing Like This por Rascal Flatts (1ª vez)[226]
My Kinda Party por Jason Aldean (2ª vez)[228]
Precedido por
Come Around Sundown por Kings of Leon[229]
Álbuns número um na Nova Zelândia RIANZ Albums Chart
1º de novembro de 2010 – 14 de novembro de 2010[161]
Sucedido por
The Gift por Susan Boyle[230]
Precedido por
It's My Time por Lin Yu Chun[231]
Álbuns número um na República da China G-Music Western Albums Chart
5 de novembro de 2010 – 11 de novembro de 2010[192]
Sucedido por
Greatest Hits por Bon Jovi[232]
Precedido por
Need You Now por Lady Antebellum[203]
Álbuns do ano na Estados Unidos Billboard Country Albums
2011[210]
Sucedido por
Red por Taylor Swift[233]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Lista-se abaixo os profissionais envolvidos na elaboração de Speak Now, de acordo com o encarte do álbum e dados do website AllMusic.[2] [10]

Músicos e funcionários
Embalagem

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

CD e download digital[editar | editar código-fonte]

Speak Now foi distribuido no formato de Compact Disc (CD) e download digital no mundo inteiro entre os dias 25 de outubro e 23 de novembro de 2010, através do Universal Music Group e afiliados, como a Big Machine Records e a Mercury Records.[234] [235] Foi lançado nas versões padrão e deluxe, trazendo 14 faixas na primeira e 22 (mais 2 vídeos) na segunda.[106] [109] A capa da edição padrão foi divulgada pelo US Weekly no dia 18 de agosto do mesmo ano e traz Swift usando um vestido lilás,[236] enquanto que a capa da versão deluxe a traz usando o mesmo vestido, porém na cor vermelha.[237]

LP e karaokê[editar | editar código-fonte]

O disco foi lançado em dois formatos especiais em algumas regiões, sendo eles o formato de long play (LP) e o de karaokê (CD+G/DVD).[271] [272] O LP possui as mesmas faixas da versão padrão de Speak Now, porém masterizadas em um formato para colecionadores.[271] Já a versão Karaokê traz as faixas em um formato conhecido como Sing-Along, no qual o comprador completa os vocais de cada canção.[272]

Notas

  1. Em inglês: "Drop everything now."
  2. Em português: "Eu estou perplexa, corando por todo o caminho até em casa".
  3. Esse trecho da crítica faz uma referência à canção "Single Ladies (Put a Ring on It)", da cantora Beyoncé.

Referências

  1. a b "Taylor Swift - Speak Now CD Album" (em inglês) CD Universe. Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  2. a b c d e f g h i Erlewine, Stephen Thomas. "Speak Now - Taylor Swift: Songs, Reviews, Credits, Awards" (em inglês) Rovi Corporation. AllMusic. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  3. a b c d Faia, Amanda (20 de julho de 2010). "Taylor Swift anuncia nome do novo álbum e data de lançamento" MTV Brasil. POPLine (UOL). Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  4. a b c "Speak Now: Tudo sobre o novo álbum de Taylor Swift!" R7.com. Estrelando (21 de julho de 2010). Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  5. "Cantora country Taylor Swift anuncia novo álbum para outubro" Folha de S. Paulo. Folha Online (UOL) (21 de julho de 2010). Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  6. "Speak Now – Taylor Swift's New Album Drops October 25" (em inglês) Celebuzz. Just Jared (20 de julho de 2010). Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  7. a b c d e Herrera, Monica (20 de julho de 2010). "Taylor Swift Announces New Album 'Speak Now', Out Oct. 25" (em inglês) Prometheus Global Media. Billboard. Página visitada em 4 de dezembro de 2012.
  8. Dunham, Nancy (21 de julho de 2010). "Taylor Swift on New Album, New Home, Favorite Fan Moments" (em inglês) The Boot. Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  9. a b Roland, Tom (15 de outubro de 2010). "Taylor Swift ready to "Speak Now" with third album" (em inglês) Reuters. Página visitada em 18 de outubro de 2012.
  10. a b c (2010) Créditos do álbum Speak Now (Deluxe Edition) por Taylor Swift. Big Machine Records.
  11. Love, Ryan (21 de julho de 2010). "Taylor Swift confirms new single details" (em inglês) Digital Spy. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  12. "Taylor Swift - Mine Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  13. "Taylor Swift - Sparks Fly Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  14. Still, Jennifer (13 de outubro de 2010). "Swift: 'Back To December is an apology'" (em inglês) Digital Spy. Página visitada em 22 de dezembro de 2012. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2012.
  15. "Taylor Swift - Back to December Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  16. a b M. Deusner, Stephen (29 de novembro de 2010). "Taylor Swift – 'Back To December'" (em inglês) The 9513. Página visitada em 23 de janeiro de 2013.
  17. a b Lipshutz, Jason (5 de outubro de 2010). "Taylor Swift Releases 'Speak Now' Title Track" (em inglês) Prometheus Global Media. Billboard. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  18. "Taylor Swift Is Wedding Crasher in New Single 'Speak Now'" (em inglês) AceShowBiz (6 de outubro de 2010). Página visitada em 21 de janeiro de 2013.
  19. a b c "Taylor Swift - Speak Now Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  20. a b Vozick-Levinson, Simon (5 de outubro de 2010). "Taylor Swift releases 'Speak Now' single: Like it?" (em inglês) Time Warner. Entertainment Weekly. Página visitada em 20 de outubro de 2012.
  21. "John Mayer diz que se sentiu humilhado com música feita por Taylor Swift" UOL. UOL Música (6 de junho de 2012). Página visitada em 21 de outubro de 2012.
  22. "Taylor Swift – Dear John Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  23. Bjorke, Matt (26 de outubro de 2010). "Taylor Swift - Speak Now" (em inglês) Roughstock. Página visitada em 21 de outubro de 2012.
  24. Lamb, Bill (19 de outubro de 2010). "Taylor Swift Calls Out the Haters On 'Mean'" (em inglês) About.com. Página visitada em 21 de outubro de 2012.
  25. Bierly, Mandi (19 de outubro de 2010). "Taylor Swift takes on a bully (and John Mayer?) on new album" (em inglês) Entertainment Weekly. Music-Mix. Página visitada em 21 de outubro de 2012.
  26. "Taylor Swift - Mean Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 21 de outubro de 2012.
  27. a b c "Past Winners Search - Taylor Swift" (em inglês) Grammy. Página visitada em 23 de janeiro de 2013.
  28. Faia, Amanda (1º de dezembro de 2011). "Grammy 2012: Adele, Bruno Mars, Lady GaGa e Rihanna estão entre os indicados" MTV Brasil. POPLine (UOL). Página visitada em 21 de outubro de 2012.
  29. Vena, Jocelyn (22 de outubro de 2010). "Taylor Swift's 'Story Of Us' Inspired By Awards-Show Awkwardness" (em inglês) MTV. Página visitada em 4 de dezembro de 2012. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2012.
  30. a b "Taylor Swift - The Story of Us Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2013.
  31. "Taylor Swift - Never Grow Up Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 21 de outubro de 2012. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2013.
  32. "Taylor Swift - Enchanted Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 21 de outubro de 2012.
  33. "Taylor Swift - Better Than Revenge Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 22 de outubro de 2012.
  34. Kay, Jessie (13 de setembro de 2009). "Kanye West Takes Taylor Swift's Mic at MTV's VMA 2009: Was it Staged?" (em inglês) Yahoo!. Yahoo! Voices. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  35. a b "Taylor Swift canta para Kanye West no VMA: 'podemos ser amigos'" Terra (13 de setembro de 2010). Página visitada em 23 de outubro de 2012. Cópia arquivada em 2 de dezembro de 2012.
  36. "Taylor Swift - Innocent Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  37. Bain, Becky (22 de outubro de 2010). "Taylor Swift Is "Haunted" By The Ghost Of Relationships Past In New Track" (em inglês) Idolator. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  38. "Taylor Swift - Haunted Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  39. "Are Taylor Swift’s ‘Last Kiss’ Lyrics about Joe Jonas?" (em inglês) All Voices (25 de outubro de 2010). Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  40. "Taylor Swift - Last Kiss Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  41. "Taylor Swift - Long Live Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  42. "Taylor Swift - Ours Sheet Music - Download & Print" (em inglês) Alfred Publishing. Music Notes. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  43. "If This Was a Movie - Taylor Swift (letra e vídeo)" Terra. Letras.mus.br. Página visitada em 26 de dezembro de 2012.
  44. "Superman - Taylor Swift (letra e vídeo)" Terra. Letras.mus.br. Página visitada em 26 de dezembro de 2012.
  45. Vena, Jocelyn (4 de agosto de 2010). "Taylor Swift To Perform New Single On CMA Special In September" (em inglês) MTV. Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  46. "Taylor Swift On The X Factor In Italy" (em inglês) Disney Dreaming (16 de outubro de 2010). Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  47. Vick, Megan (21 de outubro de 2010). "Taylor Swift Strips Down Coldplay's 'Viva La Vida'" (em inglês) Prometheus Global Media. Billboard. Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  48. "Taylor Swift Performs In Paris, France" (em inglês) Disney Dreaming (20 de outubro de 2010). Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  49. "Taylor Swift: 'Back To December' at CMA Awards – Video" (em inglês) Just Jared Jr. (11 de novembro de 2010). Página visitada em 4 de dezembro de 2012.
  50. Ward, Kate (21 de novembro de 2010). "AMAs: Taylor Swift covers OneRepublic. Who was she singing to?" (em inglês) Entertainment Weekly. Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  51. Hilton, Perez (4 de abril de 2011). "Swifty Gives A Mean Performance At The ACM's!" (em inglês). Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  52. "Taylor Swift Performs "Mean" On The Ellen Show" (em inglês) The Ellen DeGeneres Show. Disney Dreaming (31 de maio de 2011). Página visitada em 4 de dezembro de 2012.
  53. "Taylor Swift's Grammy Performance - Watch Now!" (em inglês) Just Jared Jr. (12 de fevereiro de 2012). Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  54. Maher, Cristin (11 de maio de 2011). "Taylor Swift Debuts Live Performance of 'The Story of Us' on 'Ellen'" (em inglês) Taste of Country. Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  55. Hensel, Amanda (9 de novembro de 2011). "Taylor Swift Performs New Single 'Ours' at 2011 CMA Awards" (em inglês) Taste of Country. Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  56. a b c "Taylor Swift Launches Speak Now Album Release With 3-Week iTunes Countdown" (em inglês) Open Road Recordings (6 de outubro de 2010). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  57. "Taylor Swift: Back To December' Preview!" (em inglês) Just Jared Jr. (11 de outubro de 2010). Página visitada em 24 de outubro de 2012.
  58. "Escute o novo single de Taylor Swift: "Mean"!" Editora Abril. Capricho (20 de outubro de 2010). Página visitada em 4 de dezembro de 2012.
  59. Mapes, Jillian (23 de novembro de 2010). "Taylor Swift Announces 'Speak Now' World Tour" (em inglês) Prometheus Global Media. Billboard. Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  60. a b Hackett, Vernell (6 de junho de2012). "Taylor Swift Tour Exhibit Opens at Country Music Hall of Fame" (em inglês) The Boot. Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  61. "Top 25 Tours of 2011" (em inglês) Prometheus Global Media. Billboard (27 de dezembro de 2011). Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  62. Herrero, Javier (19 de março de 2011). "Taylor Swift encandila a unos 4.000 madrileños con su country edulcorado" (em espanhol) Grupo Vocento. La Rioja. Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  63. Sträter, Andreas (13 de março de 2011). "Blaue Augen, süße Songs: Taylor Swift in Oberhausen" (em alemão) WA.de. Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  64. Coffey, Kevin (28 de maio de 2011). "Taylor Swift shimmers in Omaha" (em inglês) Omaha World-Herald. Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  65. a b "Amazon.com: Speak Now World Tour Live (CD/DVD): Taylor Swift: Music" (em inglês) Amazon.com (Estados Unidos). Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  66. Schultz, Adriane (14 de outubro de 2011). "Taylor Swift lança perfume Wonderstruck em Nova York!" Editora Escala. Atrevida (UOL). Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  67. Faia, Amanda (18 de julho de 2011). "'Wonderstruck': Taylor Swift lança primeira fragrância em outubro" MTV Brasil. POPLine (UOL). Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  68. "Taylor Swift's New Single, "Mine", Shipped to Country Radio After Leak" (em inglês) Country Music Television (4 de agosto de 2010). Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  69. a b Caufield, Keith (11 de agosto de 2010). "Taylor Swift Makes Sparkling Hot 100 Entrance" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  70. a b Caufield, Keith (11 de agosto de 2010). "Arcade Fire and Taylor Swift Sweep in with New No. 1s" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  71. "Billboard Japan Hot 100 (2010/11/15)" (em japonês) Hanshin Contents Link Corporation, Plantech Company & Prometheus Global Media. Billboard Japan. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  72. "Billboard Canadian Hot 100: August 21st 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  73. "Single Top 50 (22/08/2010)" (em inglês) Hung Medien. Australian Recording Industry Association. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  74. a b Trust, Gary (25 de agosto de 2012). "Ask Billboard: Taylor Swift's Career Sales" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  75. a b c d e f g h "RIAA - Taylor Swift's Gold & Platinum" (em inglês) Recording Industry Association of America. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  76. "Gold Platinum Database: Mine, Taylor Swift" (em inglês) Music Canada. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  77. "ARIA Charts – Accreditations – 2010 Singles" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  78. "Latest Gold / Platinum Singles - RadioScope New Zealand" (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. RadioScope (16 de janeiro de 2011). Página visitada em 13 de maio de 2013.
  79. "R&R :: Going For Adds :: CHR/Country" (em inglês) Radio & Records (15 de novembro de 2010). Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  80. Bierly, Mandi (12 de outubro de 2010). "Taylor Swift apologizes (to Taylor Lautner?) in 'Back to December'" (em inglês) Entertainment Weekly. Music-Mix. Página visitada em 23 de outubro de 2012.
  81. Caufield, Keith; Pietroluongo, Silvio (21 de outubro de 2010). "Chart Moves: Lil Wayne, David Archuleta, Taylor Swift, Kanye West" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard.biz. Página visitada em 23 de outubro de 2012. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2012.
  82. "Billboard Canadian Hot 100: October 30th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  83. "Gold Platinum Database: Back to December, Taylor Swift" (em inglês) Music Canada. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  84. "Taylor Swift Releases "Mean" as Next Single" (em inglês) Country Music Television (7 de março de 2011). Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  85. Caufield, Keith (28 de outubro de 2010). "Far*East Holds on Hot 100, Swift Makes Another Top Debut" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  86. Grein, Paul (10 de agosto de 2011). "Week Ending Aug. 7, 2011. Songs: Place Your Bets" (em inglês) Yahoo!. Página visitada em 28 de outubro de 2012.
  87. "Billboard Canadian Hot 100: November 6th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  88. "Gold Platinum Database: Mean, Taylor Swift" (em inglês) Music Canada. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  89. Hensel, Amanda (7 de abril de 2011). "Taylor Swift, ‘The Story of Us’ – Song Spotlight" (em inglês) Taste of Country. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  90. a b "Taylor Swift - Chart history on Billboard Hot 100 (Page 5)" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  91. a b c d e "Canadian Singles Top 100 (November 13, 2010) - Music Charts" (em inglês) aCharts.us. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  92. "Taylor Swift é surpreendida por tornados durante gravação de clipe" Globo.com. G1 (25 de março de 2011). Página visitada em 28 de outubro de 2012.
  93. Hensel, Amanda (4 de julho de 2011). "Taylor Swift, 'Sparks Fly' – Song Review" (em inglês) Taste of Country. Página visitada em 28 de outubro de 2012.
  94. Caulfield, Keith; Pietroluongo, Silvio (4 de novembro de 2010). "Chart Moves: Taylor Swift, Michael Jackson, Rihanna, Kanye West" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard.biz. Página visitada em 28 de outubro de 2012. Cópia arquivada em 2 de dezembro de 2012.
  95. Spicher, Wendy (10 de agosto de 2011). "Watch Taylor Swift’s New Video, 'Sparks Fly'" (em inglês) Scripps Networks. Great American Country. Página visitada em 28 de outubro de 2012.
  96. "Ours - Single by Taylor Swift" (em inglês) Apple Inc.. iTunes (Estados Unidos). Página visitada em 28 de outubro de 2012.
  97. "Taylor Swift - Chart history on Billboard Hot 100 (Page 4)" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  98. "'Speak Now': Ouça na íntegra novo single da Taylor Swift" MTV Brasil. POPLine (UOL) (5 de outubro de 2010). Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  99. a b Caufield, Keith (14 de outubro de 2010). "Chart Moves: 'Glee,' Mavis Staples, Stephen Colbert, 'Social Network,' Pink" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard.biz. Página visitada em 27 de outubro de 2012.
  100. "Billboard Canadian Hot 100: October 23rd 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  101. a b "Taylor Swift - Chart history on Billboard Hot 100 (Page 3)" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  102. a b "Taylor Swift - Chart history on Billboard Hot 100 (Page 6)" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  103. "Taylor Swift - Chart history on Billboard Hot 100 (Page 1)" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 12 de fevereiro de 2013.
  104. a b Vick, Megan (22 de setembro de 2010). "Taylor Swift Reveals 'Speak Now' Track List" (em inglês) Prometheus Global Media. Billboard. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  105. "Speak Now (Bonus Track Version) by Taylor Swift" (em inglês) Apple Inc.. iTunes (Reino Unido). Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  106. a b c Now Taylor "Taylor Swift: Speak Now (Deluxe Edition) (CD) - Only at Target" (em inglês) Target. Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  107. a b "Taylor Swift: Speak Now (Deluxe 2CD Edition)" (em inglês) Universal Music (Reino Unido). Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  108. a b "Speak Now von Taylor Swift" (em alemão) Buecher. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  109. a b c "Taylor Swift: Speak Now" (em inglês) Universal Music (Reino Unido). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  110. a b "Speak Now: Taylor Swift" (em francês) Fnac (França). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  111. a b "Speak Now Reviews, Ratings, Credits, and More" (em inglês) CBS Interactive. Metacritic. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  112. a b Horton, Matthew (25 de outubro de 2012). "Review of Taylor Swift - Speak Now" (em inglês) BBC. BBC Music. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  113. a b Greenblatt, Leah (3 de novembro de 2010). "Speak Now Review" (em inglês) CNN. Entertainment Weekly. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  114. a b Powers, Ann (25 de outubro de 2010). "Album review: Taylor Swift's 'Speak Now'" (em inglês) Tribune Company. Los Angeles Times. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  115. a b Christgau, Robert (4 de fevereiro de 2011). "Now That's What I Call Club Hits 2/Taylor Swift" (em inglês) Microsoft. MSN Music. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  116. a b Sheffield, Rob (26 de outubro de 2010). "Speak Now: Album review" (em inglês) Rolling Stone. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  117. a b Keefe, Jonathan (25 de outubro de 2010). "Taylor Swift: Speak Now" (em inglês) Slant Magazine. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  118. a b Wood, Mikael (26 de outubro de 2010). "Taylor Swift, 'Speak Now' (Big Machine)" (em inglês) BuzzMedia. Spin. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  119. a b c Macpherson, Alex (9 de dezembro de 2010). "Taylor Swift: Speak Now" (em inglês) Guardian News and Media Ltd.. The Guardian. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  120. a b M., Aaron (17 de novembro de 2010). Taylor Swift: Speak Now Território da Música. Página visitada em 20 de março de 2014.
  121. a b Heaton, Dave (30 de novembro de 2010). "Taylor Swift: Speak Now" (em inglês) Spin Media Group. BuzzMedia. PopMatters. Página visitada em 28 de novembro de 2012.
  122. a b Stinson, Liz (29 de outubro de 2010). "Taylor Swift Speak Now Review" (em inglês) Paste Media Group. Paste Magazine. Página visitada em 28 de novembro de 2012.
  123. a b Webber, Theon (3 de novembro de 2010). "The Iceberg Songs of Taylor Swift" (em inglês) The Village Voice. Página visitada em 29 de outubro de 2012.
  124. "The 30 Best Albums of 2010" (em inglês) Rolling Stone (25 de dezembro de 2010). Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  125. Lamb, Bill. "Top 10 Pop Albums of 2010" (em inglês) About.com. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  126. Stewart, Allison (20 de dezembro de 2010). "Lists: Allison Stewart picks her top ten albums of 2010" (em inglês) The Washington Post. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  127. Caramanica, Jon (16 de dezembro de 2010). "The Purpler the Bruise, the Sweeter the Song" (em inglês) The New York Times. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  128. Malec, Jim (29 de dezembro de 2012). "Top 10 Country Music Albums of 2010" (em inglês) American Noise. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  129. Heaton, Dave; Leftridge, Steve (15 de dezembro de 2010). "The Best Country Music of 2010" (em inglês) PopMatters. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  130. Duvall, Erin. "Top Country Albums of 2010" (em inglês) The Boot. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  131. "Women Who Rock: The 50 Greatest Albums of All Time - Taylor Swift, 'Speak Now'" (em inglês) Rolling Stone. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  132. "Justin Bieber, Taylor Swift, Eminem Top 2011 Billboard Music Awards" (em inglês) Prometheus Global Media. Billboard (22 de maio de 2011). Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  133. Shelburne, Craig (30 de novembro de 2011). "Grammy Award Nominations Revealed" (em inglês) Country Music Television. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  134. Yvonne, Renata (3 de março de 2011). "Academy of Country Music Awards 2011 Nominees Announced: Will You Be Watching the ACM Awards?" (em inglês) Yahoo! Voices. Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  135. "2011 CMA Awards Winners" (em inglês) The Boot (9 de novembro de 2011). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  136. "The American Country Awards Nominees" (em inglês) Fox Broadcasting Company. Fox News Channel (5 de dezembro de 2011). Página visitada em 22 de novembro de 2012.
  137. Faia, Amanda (20 de novembro de 2011). "Veja a lista de vencedores do American Music Awards 2011" MTV Brasil. POPLine (UOL). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  138. a b c Em seu primeiro período de liderança na Billboard 200, Speak Now permaneceu no topo durante duas semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  139. Caulfield, Keith (3 de novembro de 2010). "Taylor Swift Sells Over 1 Million in Record Billboard 200 Debut" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  140. a b Grein, Paul (3 de novembro de 2010). "Week Ending Oct. 31, 2010: A Cool Million For Swift" (em inglês) Yahoo!. Página visitada em 17 de janeiro de 2013.
  141. a b c Em seu primeiro período de liderança na Billboard Country Albums, Speak Now permaneceu no topo durante três semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  142. "Digital Albums: November 13th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  143. Caufield, Keith (10 de novembro de 2010). "Country Albums Rule Top Three on Billboard 200" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  144. Grein, Paul (10 de novembro de 2010). "Week Ending Nov. 7, 2010: Rihanna Ties Rihanna" (em inglês) Yahoo!. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  145. Caufield, Keith (22 de dezembro de 2010). "Swift Back at No. 1 on Billboard 200, 'Michael' Bows at No. 3" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  146. Grein, Paul (22 de dezembro de 2010). "Week Ending Dec. 19, 2010: Michael Wouldn’t Have Liked This" (em inglês) Yahoo!. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  147. Caufield, Keith (19 de janeiro de 2011). "Taylor Swift's 'Speak Now' Takes No. 1 in Record-Low Sales Week" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  148. a b Lipshutz, Jason (13 de dezembro de 2012). "Taylor Swift's Top 10 Biggest Career Moments" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  149. Grein, Paul (29 de fevereiro de 2012). "Week Ending Feb. 26, 2012. Albums: Half of the Top 10" (em inglês) Yahoo!. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  150. a b Williams, John (3 de novembro de 2010). "Taylor Swift shakes up charts" (em inglês) Canadian Online Explorer. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  151. a b c d e f g h Paine, Andre (4 de novembro de 2010). "International Sales Solid For 'Speak Now'" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 22 de janeiro de 2013.
  152. a b c "Gold Platinum Database: Speak Now, Taylor Swift" (em inglês) Music Canada. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  153. a b "2010-11-06 Top 40 Official UK Albums Archive" (em inglês) Official Charts Company. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  154. a b "Billboard Japan Top Albums (2010/11/22)" (em japonês) Billboard Japan. Página visitada em 1º de fevereiro de 2013.
  155. a b "Top 75 Artist Album, Week Ending 28 October 2010" (em inglês) Irish Recorded Music Association. GFK Chart-Track. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  156. "1 UK and 1 US predicted for Taylor's 'Red' album!" (em inglês) Music Week. Taylor Swift Forum (26 de outubro de 2012). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  157. a b "BPI - Certified Awards Search: Speak Now, Taylor Swift" (em inglês) British Phonographic Industry. Página visitada em 17 de janeiro de 2013. "Para localizar a certificação do álbum, digite "Taylor Swift" na área "Keywords". Em seguida, selecione "Artist" na opção "Search by". Depois, pressione o botão "Search"."
  158. a b "一般社団法人 日本レコード協会" (em japonês) Recording Industry Association of Japan. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  159. a b "IRMA - 2010 Certification Awards: Gold" (em inglês) Irish Recorded Music Association. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  160. a b c "Albums Top 50 (14/11/2010)" (em inglês) Hung Medien. Australian Recording Industry Association. Página visitada em 21 de janeiro de 2013.
  161. a b c Em seu período de liderança na RIANZ Albums Chart, Speak Now permaneceu no topo durante duas semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  162. a b "ARIA Top 20 Country Chart: 15/11/2010" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 31 de maio de 2013.
  163. a b "ARIA Charts - Accreditations - 2010 Albums" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  164. a b NZ Top 40 Albums Chart: Week ending 21 February, 2011 (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 24 de novembro de 2012. "Caso não consiga ver o certificado, basta clicar em "Text Version" que está localizado acima da tabela de posições"
  165. a b "Top 100 Albumes - Semana 43: del 25.10.2010 al 31.10.2010" (em espanhol) Productores de Música de España. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  166. a b "MexicanCharts.com: Taylor Swift – Speak Now" (em espanhol) Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas. MexicanCharts.com. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  167. a b "VG-lista: Topp 40 Album uke 44, 2010" (em no) VG-lista. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  168. a b "G-Music: 風雲榜 (西洋榜) - 第45週計算時間: 2010/11/05 - 2010/11/11" (em chinês) G-Music. Página visitada em 24 de novembro de 2012. "Para localizar o posicionamento do álbum, selecione o ano 2010 e a semana 45, nas opções localizadas na parte inferior da página."
  169. a b "Charts.de: Taylor Swift – Speak Now" (em alemão) Media Control GfK. Charts.de. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  170. a b "Le classement des Albums Nouveautés - Semaine du 25/10/2010 au 31/10/2010" (em francês) Syndicat National de l'Édition Phonographique. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  171. a b "Classifica settimanale dal 25/10/2010 al 31/10/2010" (em italiano) Federazione Industria Musicale Italiana. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  172. a b c d Lee, Min (21 de fevereiro de 2011). "AP Interview: Taylor Swift relishes Asian success" (em inglês) Washington Times. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  173. a b "Taylor Swift receives 9X Platinum Award for her Fearless album" (em inglês) Philippine Entertainment Portal (25 de fevereiro de 2011). Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  174. a b "Rules of IFPI HKG Gold Disc Award" (em inglês) IFPI Hong Kong Group. Página visitada em 22 de janeiro de 2013.
  175. a b c d e f g h "International Certification Award levels" (em inglês) International Federation of the Phonographic Industry (Agosto de 2012). Página visitada em 21 de janeiro de 2013.
  176. "Hollywood's Highest-Paid Women: Taylor Swift" (em inglês) Forbes (16 de maio de 2012). Página visitada em 4 de dezembro de 2012. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2012.
  177. "CAPIF - Ranking Semanal Pop: Semana de 7 al 13 de Noviembre de 2010" (em espanhol) Cámara Argentina de Productores de Fonogramas y Videogramas. Página visitada em 27 de fevereiro de 2013. "Para localizar o posicionamento do álbum na lista, selecione 'Ranking Semanal Pop' na opção 'Tipo' e '07/11/2010' na opção 'Fecha'."
  178. "Austrian-Charts.com: Taylor Swift – Speak Now" (em alemão) IFPI Áustria. AustrianCharts.at. Página visitada em 26 de outubro de 2012.
  179. "Ultratop.nl: Taylor Swift – Speak Now" (em neerlandês) Belgian Entertainment Association. Ultratop. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  180. "Ultratop.fr: Taylor Swift – Speak Now" (em francês) Belgian Entertainment Association. Ultratop. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  181. a b Em seu primeiro período de liderança na Canadian Albums Chart, Speak Now permaneceu no topo durante duas semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  182. "Hrvatska Top Lista Prodaje (Jedinstvena Lista): 04.04.2011 - 10.04.2011" (Necessário Download) (em croata) IFPI Croatia. Top of the Shops. Página visitada em 1º de fevereiro de 2013.
  183. "Hrvatska Top Lista Prodaje (Inozemni Program): 04.04.2011 - 10.04.2011" (em croata) IFPI Croatia. Top of the Shops. Página visitada em 23 de novembro de 2012.
  184. a b c "차트 검색결과: Taylor Swift" (em coreano) Gaon Music Chart. Página visitada em 21 de janeiro de 2013. Cópia arquivada em 16 de fevereiro de 2013. "Para localizar o álbum na lista vá até a sessão "앨범차트", localizada na parte inferior da página."
  185. "DanishCharts.com: Taylor Swift – Speak Now" (em dinamarquês) Hitlisten. DanishCharts.com. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  186. "2010-11-06 Top 40 Scottish Albums Archive" (em inglês) Official Charts Company. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  187. "GreekCharts.com: Taylor Swift – Speak Now" (em inglês) IFPI Greece. GreekCharts.com. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  188. "DutchCharts.nl: Taylor Swift - Speak Now" (em neerlandês) DutchCharts.nl. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  189. "SwedishCharts.com: Taylor Swift - Speak Now" (em sueco) Sverigetopplistan. SwedishCharts.com. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  190. "Hitparade.ch: Taylor Swift - Speak Now" (em alemão) Schweizer Hitparade. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  191. "G-Music: 風雲榜 (西洋榜) - 第45週計算時間: 2010/11/05 - 2010/11/11" (em chinês) G-Music. Página visitada em 24 de novembro de 2012. "Para localizar o posicionamento do álbum, selecione o ano 2010 e a semana 45, nas opções localizadas na parte inferior da página."
  192. a b "G-Music: 風雲榜 (西洋榜) - 第45週計算時間: 2010/11/05 - 2010/11/11" (em chinês) G-Music. Página visitada em 28 de novembro de 2012. "Para localizar o posicionamento do álbum, selecione o ano 2010 e a semana 45, nas opções localizadas na parte inferior da página."
  193. "Taylor Swift - Chart history on European Albums" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 16 de fevereiro de 2013.
  194. "ARIA Charts - Accreditations" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 21 de janeiro de 2013.
  195. "ABPD – Certificados: Taylor Swift" Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Página visitada em 24 de novembro de 2012.
  196. "ABPD – Níveis de Certificação" Associação Brasileira dos Produtores de Discos. Página visitada em 21 de janeiro de 2013.
  197. "一般社団法人 日本レコード協会 - 各種統計" (em japonês) Recording Industry Association of Japan. Página visitada em 22 de janeiro de 2013.
  198. "The Official New Zealand Music Chart: About the Chart" (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 22 de janeiro de 2013.
  199. "Certified Awards - Certification Levels" (em inglês) British Phonographic Industry. Página visitada em 22 de janeiro de 2013.
  200. "ARIA Charts - End Of Year Charts - Top 100 Albums 2010" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  201. "ARIA Charts - End Of Year Charts - Top 50 Country Albums 2010" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  202. "Billboard 200 Albums: 2010 Year-End Chart" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  203. a b "Country Albums: 2010 Year-End Chart" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  204. "RIANZ: Top Selling Albums of 2010" (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  205. "ARIA Charts - End Of Year Charts - Top 100 Albums 2011" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  206. "ARIA Charts - End Of Year Charts - Top 50 Country Albums 2011" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  207. "Canadian Albums: 2011 Year-End Chart" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  208. "MTV CHINA - 2011 Western Album Best-Selling Top 10" (em inglês) MTV. Movook. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  209. "Billboard 200 Albums: 2011 Year-End Chart" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  210. a b "Country Albums: 2011 Year-End Chart" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  211. "Billboard Japan Top Albums: 2010 Year End Chart" (em japonês) Hanshin Contents Link Corporation, Plantech Company & Prometheus Global Media. Billboard Japan. Página visitada em 1º de fevereiro de 2013.
  212. "RIANZ: Top Selling Albums of 2011" (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 25 de novembro de 2012.
  213. "ARIA Charts - End Of Year Charts - Top 50 Country Albums 2012" (em inglês) Australian Recording Industry Association. Página visitada em 14 de janeiro de 2013.
  214. "The Billboard 200 Year End Chart - 2012" (em japonês) Hanshin Contents Link Corporation, Plantech Company & Prometheus Global Media. Billboard Japan. Página visitada em 5 de maio de 2013. Cópia arquivada em 5 de maio de 2013.
  215. Silva, Robert. "Top-Selling Country Albums of 2012" (em inglês) About.com. Página visitada em 16 de fevereiro de 2013.
  216. "Album Top 50 (07/11/2010)" (em inglês) Hung Medien. Australian Recording Industry Association. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  217. "Album Top 50 (21/11/2010)" (em inglês) Hung Medien. Australian Recording Industry Association. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  218. "Canadian Albums: November 6th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  219. "Canadian Albums: November 27th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  220. "Billboard 200: November 6th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  221. "Billboard 200: December 25th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  222. Em seu segundo período de liderança na Billboard 200, Speak Now permaneceu no topo durante quatro semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  223. "Billboard 200: November 27th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  224. "Billboard 200: January 29th 2011" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  225. "Top Country Albums: November 6th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  226. a b "Top Country Albums: December 4th 2010" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  227. Em seu segundo período de liderança na Billboard Country Albums, Speak Now permaneceu no topo durante dez semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  228. "Top Country Albums: February 19th 2011" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 13 de fevereiro de 2013.
  229. "NZ Top 40 Albums Chart: 25 October 2010" (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 21 de janeiro de 2013.
  230. "NZ Top 40 Albums Chart: 15 November 2010" (em inglês) Recording Industry Association of New Zealand. Página visitada em 21 de janeiro de 2013.
  231. "G-Music 風雲榜 (西洋榜) - 第44週計算時間: 2010/10/29 - 2010/11/04" (em zh) G-Music. Página visitada em 21 de janeiro de 2013. "Para localizar o posicionamento do álbum selecione o ano '2010' e a semana '44' nas opções localizadas na parte inferior da página"
  232. "G-Music 風雲榜 (西洋榜) - 第46週計算時間: 2010/11/12 - 2010/11/18" (em chinês) G-Music. Página visitada em 21 de janeiro de 2013. "Para localizar o posicionamento do álbum selecione o ano '2010' e a semana '46' nas opções localizadas na parte inferior da página"
  233. "Country Albums: 2012 Year-End Chart" (em inglês) Nielsen Business Media, Inc. Billboard. Página visitada em 16 de fevereiro de 2013.
  234. a b "Taylor Swift: Speak Now" (em inglês) Target. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  235. a b Boll, Júlio; Antunes, Angela (22 de novembro de 2010). "É amanhã: Speak Now chega ao Brasil" Gazeta do Povo. Página visitada em 28 de novembro de 2012.
  236. "Taylor Swift está linda na capa de seu próximo CD, 'Speak Now'" Editora Abril. Capricho (18 de agosto de 2010). Página visitada em 29 de dezembro de 2012.
  237. a b "Speak Now (Deluxe Edition) - Taylor Swift / 泰勒絲 - 台灣環球唱片公司" (em chinês) Universal Music (Taiwan). Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  238. "Taylor Swift - Speak Now" (em inglês) Open Road Recordings (25 de outubro de 2010). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  239. "Speak Now - Edition Deluxe: Taylor Swift" (em francês) Fnac (França). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  240. "Speak Now - Taylor Swift" (em inglês) WOW HD (Irlanda). Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  241. "Speak Now (Deluxe Edition) - Taylor Swift" (em inglês) WOW HD (Irlanda). Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  242. "Taylor Swift - Speak Now" (em espanhol) Mixup. Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  243. "Taylor Swift - Speak Now (CD + Enhanced CD) (DLX)" (em espanhol) Mixup. Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  244. "CD Swift, Taylor, Speak Now" CDGO. Página visitada em 30 de novembro de 2012.
  245. "CD Swift, Taylor, Speak Now (Deluxe)" CDGO. Página visitada em 30 de novembro de 2012.
  246. "Speak Now: Taylor Swift" (em espanhol) Fnac (Espanha). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  247. "Speak Now - Edición Deluxe: Taylor Swift" (em espanhol) Fnac (Espanha). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  248. "(CD) Taylor Swift - Speak Now (Standard Edition)" (em malaio) Yes24.com (Indonésia). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  249. "(CD) Taylor Swift - Speak Now (Deluxe Edition)" (em malaio) Yes24.com (Indonésia). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  250. "Taylor Swift: Speak Now" (em italiano) Universal Music (Itália). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  251. "Taylor Swift: Speak Now (Deluxe Enhanced CD)" (em italiano) Universal Music (Itália). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  252. "Speak Now - Swift Taylor - Musik" (em dinamarquês) CDON (Dinamarca). Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  253. "Speak Now - Swift Taylor - Musiikki" (em finlandês) CDON (Finlândia). Página visitada em 4 de dezembro de 2012.
  254. "Speak Now - Swift Taylor - Musik" (em norueguês) CDON (Noruega). Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  255. "Speak Now - Swift Taylor - Musik" (em sueco) CDON (Suécia). Página visitada em 30 de novembro de 2012.
  256. "Taylor Swift - Speak Now (CD)" (em inglês) Take a Lot. Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  257. "Taylor Swift - Speak Now - Deluxe Package" (em alemão) MusicLoad. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  258. "Buy Speak Now Taylor Swift, Country, CD" (em inglês) Sanity. Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  259. "Buy Speak Now: 2 Disc Deluxe Edition Taylor Swift, Country, CD" (em inglês) Sanity. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  260. "Speak Now von Taylor Swift" (em alemão) Weltbild. Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  261. "Speak Now - Taylor Swift" (em neerlandês) Standaard Boekhandel. Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  262. "Taylor Swift - Diskografija" (em croata) Universal Music (Croácia). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  263. "Speak Now - Swift, Taylor" (em inglês) JB Hi-Fi (Nova Zelândia). Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  264. "Speak Now (Deluxe Edition) - Swift, Taylor" (em inglês) JB Hi-Fi (Nova Zelândia). Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  265. "Speak Now, Taylor Swift" (em neerlandês) Bol. Página visitada em 30 de novembro de 2012.
  266. "Speak Now von Taylor Swift" (em alemão) Weltbild. Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  267. "Speak Now (首批限量進口盤) - Taylor Swift / 泰勒絲 - 台灣環球唱片公司" (em chinês) Universal Music (Taiwan). Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  268. "Taylor Swift: スピーク・ナウ(通常盤) (CD)" (em japonês) Universal Music (Japão). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  269. "Taylor Swift: スピーク・ナウ-デラックス・エディション(通常盤) (CD") (em japonês) Universal Music (Japão). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  270. "Musical - Speak Now - Λεπτομέριες Προϊόντος" (em grego) Musical. Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  271. a b c "Taylor Swift: Speak Now Album (Vinyl LP)" (em inglês) Taylor Swift Store. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  272. a b c "Taylor Swift - Speak Now Karaoke" (em inglês) Taylor Swift Store. Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  273. "Speak Now (Vinyl LP): Amazon.de: Musik" (em alemão) Amazon.com (Alemanha). Página visitada em 29 de novembro de 2012.
  274. "Speak Now (Vinyl): Swift, Taylor" (em inglês) JB Hi-Fi (Austrália). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.
  275. "Speak Now (Karaoke Version) - Taylor Swift / 泰勒絲 - 台灣環球唱片公司" (em chinês) Universal Music (Taiwan). Página visitada em 1º de dezembro de 2012.
  276. "Taylor Swift: スピーク・ナウ-カラオケ・エディション(限定盤)(+DVD) (CD)" (em japonês) Universal Music (Japão). Página visitada em 2 de dezembro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]