Star Trek Generations

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Star Trek Generations
Star Trek: Gerações (PT)
Jornada nas Estrelas: Generations (BR)
Pôster de divulgação
 Estados Unidos
1994 • cor • 118 min 
Direção David Carson
Produção Rick Berman
Roteiro Brannon Braga
Ronald D. Moore
Baseado em Rick Berman
Brannon Braga
Ronald D. Moore
Elenco Patrick Stewart
Jonathan Frakes
Brent Spiner
LeVar Burton
Michael Dorn
Gates McFadden
Marina Sirtis
Malcolm McDowell
James Doohan
Walter Koenig
William Shatner
Género Ficção Científica
Idioma Inglês
Música Dennis McCarthy
Cinematografia John A. Alonzo
Edição Peter E. Berger
Distribuição Paramount Pictures
Lançamento 18 de novembro de 1994
Orçamento US$ 35.000.000
Receita US$ 118.071.125
Cronologia
Último
Último
Star Trek VI:
The Undiscovered Country
Star Trek:
First Contact
Próximo
Próximo
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Star Trek Generations (no Brasil, Jornada nas Estrelas: Generations[1] e em Portugal, Star Trek: Gerações) é um filme de ficção científica americano de 1994, e o sétimo filme da franquia Star Trek. É o primeiro filme da série a estrelar o elenco de Star Trek: The Next Generation, sendo filmado no Parque Estadual Vale do Fogo, perto de Overton, Nevada, em Lone Pine, Califórnia, e nos Estúdios da Paramount.

Embora tenha arrecadado bem na bilheteria, o filme recebeu resenhas mistas dos críticos.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

No ano de 2293, o Capitão James T. Kirk, recentemente aposentado, comparece a viagem inaugural da nave estelar USS Enterprise-B junto com os também aposentados Capitão Montgomery Scott e Comandante Pavel Chekov. Durante a viagem, a Enterprise é forçada a entrar em uma missão de resgate para salvar duas naves de refugiados de uma estranha faixa de energia. A Enterprise consegue salvar alguns refugiados antes das naves serem destruídas, porém ela mesma fica presa na faixa. Kirk vai para os deques inferiores para alterar os escudos defletores, permitindo que a Enterprise escape. A faixa faz contato com o casco da engenharia e causa danos graves; a seção que Kirk estava é destruída e presumi-se que ele esteja morto.

Setenta e oito anos depois, a tripulação da USS Enterprise-D recebe um pedido de socorro do Observatório de Amargosa. Ele descobrem que todos os cientistas foram mortos por romulanos, com a exceção do Dr. Tolian Soran. O androide Data, que recentemente instalou um chip de emoção, ajuda o engenheiro Geordi La Forge a vasculhar a estação. Os dois descobrem um composto chamado de trilítio escondido em uma sala. Soran aparece, deixa La Forge inconsciente e lança um míssil de trilítio na estrela de Amargosa. O míssil faz a estrela entrar em super nova, enviando uma onda de choque ao observatório. Soran e La Forge são transportados para um Ave de Rapina klingon pertencente as irmãs Duras. Data é resgatado pouco antes da destruição do observatório.

O Capitão Jean-Luc Picard descobre mais sobre Soran falando com Guinan, a bartender da Enterprise. Guinan explica que o objetivo de Soran é retornar para a "Nexus", a faixa de energia que a Enterprise-B encontrou. Picard e Data percebem que Soran está alterando o caminho da faixa destruindo estrelas, e determinam que Soran vai tentar reentrar na Nexus em Veridian III destruindo sua estrela—e, por extensão, um planeta densamente povoado no sistema. Ao chegarem em Veridian, Picard é trocado por La Forge com as irmãs Duras. Picard é transportado para a superfície do planeta e encontra Soran trabalhando em um outro míssil, protegido por um escudo. La Forge é trazido de volta a Enterprise, sem saber que seu visor está transmitindo um sinal de volta para os klingons. Quando as irmãs Duras descobrem a frequência dos escudos da Enterprise, elas abrem fogo. A Enterprise consegue contra atacar e destrói a Ave de Rapina, porém fica com seu núcleo de dobra severamente danificado. O Comandante William T. Riker ordena uma evacuação para a seção do disco da nave para separá-la da da danificada seção da engenharia. A explosão do núcleo de dobra força a seção do disco a fazer um pouso forçado em Veridian III.

Enquanto isso, Picard encontra um buraco no escudo de Soran e tenta atravessá-lo, porém não consegue impedir o lançamento do míssil. A estrela de Veridian explode e Soran e Picard são transportados para a Nexus antes da onda de choque destruir o planeta. Picard pede ajuda a um "eco" de Guinan na Nexus, e ela o manda para encontrar Kirk, que também está seguro na Nexus. Picard aborda Kirk como um oficial da Frota Estelar falando com outro, e o convence a ir para o presente de Picard e ajudá-lo a parar Soran. Kirk concorda e os dois deixam a Nexus, indo para Veridian III poucos minutos antes de Soran lançar o míssil. Juntos, eles conseguem distrair Soran o tempo suficiente para travar o míssil na plataforma, causando sua explosão no lançamento, matando Soran. Entretanto, Kirk é mortalmente ferido no encontro, e pouco antes dele morrer, Picard garante a ele que ele o ajudou a fazer a diferença. Picard enterra Kirk antes de ser resgatado por uma nave auxiliar que o leva para os destroços da seção do disco da Enterprise, se reunindo com sua tripulação e deixando o planeta.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Star Trek Generations Marina Sirtis nunca vai dirigir de novo. É a última vez que damos a ela as chaves da Enterprise. Star Trek Generations

 — Patrick Stewart, sobre a destruição da NCC-1701-D.[2]

Em 1993, foi pedido ao produtor Rick Berman para que fosse produzido um filme baseado em Star Trek: The Next Generation. Dois roteiros diferentes foram escritos, um por Maurice Hurley, editor de roteiros da segunda temporada de TNG, e outro por Ronald D. Moore e Brannon Braga, que co-escreveram vários episódios populares entre os fãs. O segundo acobou sendo o escolhido.[3]

Leonard Nimoy e DeForest Kelley se negaram a aparecer. Suas falas, como Spock e McCoy, foram modificadas para James Doohan e Walter Koenig como Scotty e Chekov. Na caso de Scotty, isso criou um aparente erro de continuidade, dado o seu diálogo no episódio "Relics". Naquele episódio, Scotty pareceu acreditar que Kirk ainda estava vivo, apesar da cena ocorrer após Scotty ter presenciado a aparente morte de Kirk em Generations. A explicação oficial de Star Trek para a inconsistência é que Scotty estava desorientado quando ele disse a fala em "Relics", tendo sido rematerializado poucos momentos depois de ter ficado 75 anos na estase do transporte.[4]

O diretor David Carson não tinha nenhuma experiência em filmes, porém havia dirigido alguns episódios de Star Trek, incluindo o aclamado "Yesterday's Enterprise", de The Next Generation, e "Emissary", o piloto de Star Trek: Deep Space Nine.[5]

Música[editar | editar código-fonte]

Dennis McCarthy, um compositor que havia trabalhado em The Next Generation e Deep Space Nine, recebeu a tarefa de compor a trilha sonora do filme. O crítico Jeff Bond escreveu que enquanto a trilha de McCarthy foi "encarregada de abranger o estilo das duas séries", também ofereceu a oportunidade do compositor produzir músicas mais fortes e dramáticas. Sua música de abertura era uma peça de coral etérea que toca enquanto uma garrafa de champagne atravessa o espaço. Para as cenas de ação na Enterprise-B, McCarthy usou cordas baixas. Kirk recebeu um tema de metais acentuado por tambores (algo proibido em The Next Generation), enquanto a cena termina com notas dissonantes quando Scotty e Chekov descobrem que Kirk foi ejetado para o espaço.[6]

McCarthy expande seu estilo com metais para as sequências de ação do filme, como a batalha sobre Veridian III e a subsequente queda da Enterprise. Para a viagem de Picard a Nexus, mais músicas com corais e sintetizadores acompanham a descoberta de sua família. O único tema nítido do filme, uma ampla fanfarra, aparece pela primeira vez quando Picard encontra Kirk. No tema, McCarthy mistura seu tema de Picard da primeira temporada de The Next Generation, algumas notas de seu tema de Deep Space Nine e o tema clássico de Alexander Courage da série original.[6]

Para a batalha final de Picard e Kirk contra Soran, McCarthy usou uma música staccato para acentuar a luta corpo a corpo. Para a morte de Kirk, McCarthy juntou cordas líricas com outra versão do tema de Courage, enquanto a tomada de Picard na frente da sepulura de Kirk tem uma música com mais pompa.[6] Ao final do filme, o tema de Courage toca mais uma vez.[7]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Star Trek Generations estreou no dia 18 de novembro de 1994. Em sua primeira semana, o filme arrecadou US$ 23.116.394, terminando em primeiro lugar nas bilheterias. Generations acabou arrecadando US$ 75.671.125 nos Estados Unidos, para um total mundial de US$ 118.071.125.[8]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Star Trek Generations foi recebido com críticas mistas. No site Rotten Tomatoes o filme possui um indíce de aprovação de 45%, baseado em 44 resenhas, com uma nota média de 5,5/10.[9]

Referências

  1. Jornada nas estrelas: Generations. Omelete, página visitada dia 14 de abril de 2013.
  2. Patrick Stewart - Jean Luc Picard, Captain of the Enterprise BBC.
  3. Shapiro, Marc. "Rick Berman: Executive Producer", Star Trek Generations: Official Movie Souvenir Magazine, Titan Magazine, janeiro de 1995.
  4. Scott, Montgomery StarTrek.com.
  5. Shapiro, Marc. "David Carson: Director", Star Trek Generations: Official Movie Souvenir Magazine, Titan Magazine, janeiro de 1995.
  6. a b c Bond, pág. 152
  7. Bond, pág. 153
  8. Star Trek Generations (1994) Box Office Mojo.
  9. Star Trek Generations (1994) Rotten Tomatoes.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bond, Jeff. The Music of Star Trek. [S.l.]: Lone Eagle Publishing Company, 1999. ISBN 1580650120.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]