Sua Majestade Católica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde dezembro de 2014). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Sua Majestade Católica (S.M.C.), {{Lang-en|Her Catholic Majesty (H.C.M.), em espanhol: Su Majestad Católica (S.M.C.) é um tratamento atribuído pelo papa como chefe da Igreja Católica Apostólica Romana aos soberanos rainha Isabel I de Castela e Fernando II de Aragão (ambos os reinos fazem agora parte da Espanha).

Descrição[editar | editar código-fonte]

A concessão deste tratamento no passado distante significa que aos olhos do papado católico, estes soberans incorporam princípios nas suas vidas pessoais e políticas reais estatais. O estilo permanece ligado aos reis descendentes de quem recebeu o original, este tratamento só pode ser invalidado por várias causas a não ser por um papa[1] .

Direitos com relação ao papa[editar | editar código-fonte]

Um dos direitos de ser uma rainha que ostenta este tratamento é que ela pode vestir branco, em vez do habitual preto, quando se encontra com o papa (conhecido como privilège du blanc). Entre outros privilégios que tornariam este estudo ainda mais extenso. que não vão ser citados aqui[2] .

Perfeito exemplo de concessão ainda vigente de caráter perpétuo[editar | editar código-fonte]

O mais popular exemplo da concessão desse tratamento é sobre a rainha Isabel I de Castela e Fernando II de Aragão (ambos os reinos fazem agora parte da Espanha).

Os reis de Espanha (desde então Los Reyes Católicos), utilizaram este estilo, bem como os seus descendentes. A atual dinastia reinante daquela nação e o rei de Espanha escolheu não abandonar os antigos títulos e associados da coroa espanhola, mas ele não os usa.[3] .

Portanto o rei da Espanha, pode ser oficialmente "Sua Majestade Católica".

Conclusão[editar | editar código-fonte]

Numa época de reviravoltas na política mundial no fim do século XV, dois estados católicos levavam a fama de cristãos a toda Europa, e até ao Império Otomano. 2 soberanos então que tinham sempre em seus atos o comportamento de caráter cristão, receberam então das mãos do líder máximo da religião católica romana, este tratamento que marcou para sempre a história da monarquia espanhola, e a transição do tratamento de Alteza para o de Majestade [carece de fontes?]

Referências

  1. ¿Prometerá o jurará la Constitución Su Majestad Católica Felipe VI? (em espanhol) blogs.lavanguardia.com. Visitado em 15 de agosto de 2014.
  2. Histórias das Monarquias européias.
  3. Almanach de Gotha 2000, página 336 2000.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.