Sublimação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Simples aparelho de sublimação. A água fria percorre um circuito no interior do aparelho.
1 Entrada da água de arrefecimento 2 Saída da água de arrefecimento 3 Tomada de vácuo do gás 4 Câmara de sublimação 5 Composto sublimado 6 Material a sublimar 7 Aquecimento externo

A sublimação é a mudança do estado sólido para o estado gasoso, sem passar pelo estado líquido, que também pode ser chamada de ressublimação. O ponto de sublimação, assim como o ponto de ebulição e o ponto de fusão, é definido como o ponto no qual a pressão de vapor do sólido se iguala a pressão aplicada.[1] Sublimação também pode ser a passagem direta do estado gasoso para o estado sólido.[2]

Também é chamado de ressublimação ou sublimação inversa a passagem do estado gasoso para o sólido, considerando-se que a sublimação seja apenas a passagem do estado sólido para o gasoso. Mas muitos químicos consideram que sublimação é o nome de ambos os processos e desconsideram o substantivo "ressublimação". Em certos livros também se fala de deposição já que as moléculas do gás se depositam espontaneamente para a formação do sólido.

A sublimação é característica de substâncias que possuem pressão de vapor no ponto de fusão maior que a pressão atmosférica. Dessa forma, na pressão atmosférica a substância desenvolve pressão de vapor suficiente para vaporizar completamente. Isso ocorre geralmente com substâncias apolares com alta simetria, pois elas possuem pontos de fusão altos e altas pressões de vapor.

A naftalina, assim como o iodo são bons exemplos de substâncias sublimáveis.

Sublimação como método de purificação[editar | editar código-fonte]

A sublimação pode ser usada para purificar sólidos. O sólido é aquecido até que sua pressão de vapor se torna suficientemente grande para ele vaporizar e posteriormente ressublimar numa superfície fria colocada logo acima. O sólido é então contido na superfície fria enquanto as impurezas permanecem no recipiente original.

Muitos sólidos não desenvolvem pressão de vapor suficiente a 760 mm Hg (pressão atmosférica ao nível do mar) mas podem ser sublimados utilizando aparatos capazes de reduzir a pressão aplicada. A redução de pressão é uma forma de prevenir a decomposição térmica de substâncias que requerem alta temperatura para sublimarem a pressões comuns.

A vantagem que esta técnica apresenta é que nenhum solvente é necessário e assim não é preciso removê-lo mais tarde. A sublimação também permite a remoção de material ocluso, como moléculas de solvatação. Ela consiste num método mais rápido de purificação do que a cristalização, no entanto. Não é tão seletiva pois é difícil lidar com a similaridade de pressão de vapor entre os sólidos.

Em suma é a técnica que se usa quando um dos componentes da mistura sólida sublima facilmente, isto é, passa diretamente do estado sólido ao estado gasoso, por aquecimento, e do estado gasoso ao estado sólido, por arrefecimento. Pode usar esta técnica para separar, por exemplo, o iodo da areia.

Referências

  1. Ferreira, P. H. "Sublimação" no site InfoEscola.com acessado a 17 de novembro de 2009
  2. Transformações Físicas & Químicas. Visitado em 09/01/2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre Química é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.