Sultanato de Rum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sultão de Rum)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde março de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Mapa do Sultanato de Rum em 1090.

O Sultanato de Rum foi um sultanato turco seljúcida que governou a maior parte da Anatólia, através de uma linhagem direta, de 1077 até 1307, com a capital em İznik e, posteriormente, em Konya (embora como a corte do sultanato era extremamente móvel, cidades como Kayseri e Sivas também funcionaram como capitais). Em sua extensão máxima o sultanato se estendeu por toda a Turquia central, da costa de Antália-Alanya, no Mediterrâneo, até ao território de Sinop, no mar Negro. A leste, o sultanato absorveu outras nações turcas e chegou até as margens do lago Van. Seu limite ocidental localizava-se próximo a Denizli, às portas da bacia do Egeu.

História[editar | editar código-fonte]

O termo "Rûm" vem do árabe para Roma, designando o Império Romano; os seljúcidas chamavam as terras de seu sultanato de Rum pois localizava-se sobre território que era considerado "romano", isto é, bizantino, pelos exércitos islâmicos.[1] Historiadores turcos modernos usam o termo Anadolu Selçukluları ("Sultanato Seljúcida da Anatólia") ou, mais recentemente, Türkiye Selçukluları ("Seljúcidas da Turquia"). O Estado é chamado ocasionalmente de Sultanado de Konya ou Sultanato de Iconium, em fontes ocidentais mais antigas.

O sultanato prosperou especialmente durante o fim do século XII e início do século XIII, quando conquistou os principais portos bizantinos nas costas do Mediterrâneo e do mar Negro. Na Anatólia, os seljúcidas fomentaram o comércio mediante um programa de construção de caravanserais, que facilitavam o fluxo de mercadorias do Irã e Ásia Central até os portos. Formaram-se laços comerciais especialmente fortes com os genoveses durante este período, e a riqueza proveniente destas atividades comerciais permitiu ao sultanato absorver outros Estados turcos que haviam sido fundados na Anatólia antes da Batalha de Manziquerta: os danismendidas, os mengücek, os saltuklu e os artuklu. Os sultões seljúcidas suportaram com sucesso seguidos ataques durante as Cruzadas, porém em 1243 sucumbiu ao avanço dos mongóis. Os seljúcidas tornaram-se vassalos dos mongóis, e apesar dos esforços de administradores astutos para preservar a integridade do Estado, o poder do sultanato se desintegrou durante a segunda metade do século XIII, e já havia desaparecido completamente na primeira década do século seguinte.

Em suas décadas finais, o território do Sultanato Seljúcida de Rum viu o surgimento de diversos pequenos principados (beilhiques) entre os quais estava o dos Osmanoğlu, conhecidos posteriormente como otomanos, que acabaram assumindo eventualmente o poder na região.

Referências

  1. Kazhdan, Alexander . "Rūm" The Oxford Dictionary of Byzantium (Oxford University Press, 1991), vol. 3, p. 1816.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre História da Turquia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.