Sultanato de Bahmani

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Extensão do Sultanato de Bahmani, por volta de 1470.

O Sultanato de Bahmani (1347-1518) (também denominado Império Bahmanide) foi um reino muçulmano do Decão, no sudeste da Índia, contemporâneo da Idade Média europeia,[1] e o primeiro da região de confissão xiita.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O sultanato foi fundado a 3 de Agosto de 1347 quando Nazir uddin Ismail Shah, que se havia rebelado contra o Sultão de Deli (o turco Muhammad bin Tughluq) cedeu o poder ao governador Zafar Khan, que adoptou o nome de Ala-ud-Din Bahman Shah.[3]

A capital do novo estado foi Ahsanabad (Gulbarga) entre 1347 e 1425, ano em que se mudou para Muhammadabad (Bidar).

O Sultanato de Bahmani lutou várias vezes com o império hindu de Vijayanagara (que os portugueses então denominavam Bisnaga) pelo controlo do Decão. Alcançou o máximo poderio no período 14661481, sob o reinado de Mahammad III, boa medida graças ao seu primeiro-ministro Mahmud Gawan, que capturou Goa, o porto mais importante de Vijayanagara. Quando Mahammad III deu crédito aos que denunciavam falsamente Mahmud Gawan como traidor e o executou, começou um rápido declínio do reino que por fim, em 1518 se dividiu em cinco estados: Ahmednagar, Berar, Bidar, Bijapur e Golconda, conhecidos como Sultanatos do Decão.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A dinastia Bahmani considerava-se descendente de Bahman um lendário rei do Irão, o que os moveu a converter-se em mecenas da língua, literatura e cultura persa em geral, ao ponto de muitos dos sultões e príncipes se tornarem muito versados em farsi e literatura persa.

De igual modo, promoveram a arquitectura monumental de estilo persa, contratando arquitectos e artesãos dessa origem. O Golgumbaz em Bijapur é um exemplo do estilo arquitectónico do período e conta com uma das maiores cúpulas do mundo.

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. Los cinco reinos del Sultanato de Bahmani..
  2. Ansari, N.H., Bahmanid Dynasty, Encylopaedia Iranica [1].
  3. Possivelmente era de origem afegã ou turca. Veja-se: Cavendish, Marshall, World and Its Peoples, p.335., Marshall Cavendish, 2007, ISBN 0-7614-7635-0.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Haroon Khan Sherwani, The Bahmanis of the Deccan, Munshiram Manoharlal Publishers, 1985, ISBN 81-215-0289-6

Ligações externas[editar | editar código-fonte]