Summa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abelardo (a esquerda), um dos primeiros a utilizar o termo summa.

Summa é um termo que começou a ser utilizado a partir do séc XII, para designar um breve tratado sistemático de um determinado conjunto de conhecimentos.[1] Abelardo anotou no prefácio de sua Introdução a Teologia: "Escrevi uma summa da sagrada erudição, como introdução a divina escritura."[2] Comumente, as summas tomam seu título da matéria tratada (Summa de vitiis et virtutibus, Summa de articulis fidei, Summa sermonorum, Summa gramaticalis, Summa logicalis, etc.). A partir do séc XIII, aproximadamente, o termo começou a ser preferido ao invés de Sententiæ no título das exposições sistemáticas da teologia. A obra de Pedro de Cápua (escrita em 1200) leva já nos manuscritos o título Summa. Nas grandes obras sistemáticas do séc XIII se usa quase que exclusivamente o termo Summa.[3] O termo foi usado no século XII para designar uma coleção de sentenças. Exemplo disso é a Summa sententiarum atribuída a Hugo de São Vitor.[4]

Ícone de esboço Este artigo sobre Teologia ou sobre um teólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. Abbagnano, Nicola. Diccionário de Filosofia. Ciudad del México, Fondo de Cultura Económica. 1966 p. 1106b
  2. Migne, Patrologia Latina 68ª, col 979
  3. Grabmann, Michael. Geschichte der Scholastischen Methode (História dos métodos escolásticos). II, pp 23ss
  4. José Ferrater Mora. Dicionário de filosofia. 4. (Q - Z). Ed. Loyola; 2001. ISBN 978-85-15-02004-1. p. 2794.