Super Smash Bros. Brawl

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Super Smash Bros. Brawl
Capa da versão europeia do jogo.
Desenvolvedora Sora, Game Arts
Publicadora(s) Nintendo
Diretor Masahiro Sakurai
Escritor(es) Kazushige Nojima[1]
Compositor(es) Takahiro Nishi
Shōgo Sakai
Masaaki Iwasaki
Yutaka Iraha
Keigo Ozaki
Kentaro Ishizaka
Motoi Sakuraba
Plataforma(s) Wii
Série Super Smash Bros.
Data(s) de lançamento
    Gênero(s) Ação
    Modos de jogo Um, Multijogador, Multijogador online
    Número de jogadores 1 a 4
    Classificação Permitido para todas as idades i CERO (Japão)
    Inadequado para menores de 10 anos i DEJUS (Brasil)
    Inadequado para menores de 13 anos i ESRB (América do Norte)
    Inadequado para menores de 12 anos i PEGI (Europa)
    Mídia Disco óptico Dual Layer do Wii
    Controles Wii Remote, Wii Remote com Nunchuk, controle clássico, controle de GameCube
    Hardware
    Resolução 480i, 480p
    Último
    Último
    Super Smash Bros. Melee
    Super Smash Bros. para Nintendo 3DS e Wii U
    Próximo
    Próximo

    Super Smash Bros. Brawl (大乱闘スマッシュブラザーズX, Dairantou Sumasshu Burazāzu Ekkusu?) é um jogo eletrônico de luta crossover desenvolvido pela Sora Ltd. e publicado pela Nintendo para o Wii.[5] É o terceiro jogo da franquia Super Smash Bros., expandindo sua lista de personagens em relação ao antecessor e sendo o primeiro da série a incluir personagens de third-parties.[6] Com novos estágios, modos de jogo e extras, foi aclamado pela mídia,[7] vendeu mais de 10 milhões de cópias no mundo[8] [9] e tornou-se o segundo jogo mais vendido de 2008.

    Como seus dois antecessores, Super Smash Bros. Brawl é considerado como uma exceção em jogos de luta por causa de seu método simplificado de comandos e ênfase em nocautes para fora da arena. Brawl também inclui um modo solo mais arrojado que os antecessores, com a criação do novo modo de aventura em side-scrolling, The Subspace Emissary. Este tem como principal característica a história em CGI apresentando os personagens jogáveis de Brawl. O título dá suporte a até quatro jogadores de uma vez, além de ser compatível com a conexão à Nintendo Wi-Fi Connection.[10] A maior parte das músicas do jogo são arranjos de temas de jogos anteriores de outras franquias, feitos por 39 renomados músicos de várias empresas de video games.[11]

    Super Smash Bros. Brawl foi anunciado em uma conferência pré-E3 de 2005 pelo presidente da Nintendo Satoru Iwata.[12] Mais tarde no mesmo dia, Iwata pediu ao diretor dos dois outros games da série, Masahiro Sakurai, que também dirigisse o terceiro game, aceitando.[13] Quando a produção do jogo começou em outubro de 2005,[14] a Nintendo listou a ajuda de produtores estrangeiros especialmente para Brawl. Na E for All de 2007, o presidente da Nintendo of America, Reggie Fils-Aime, disse que Brawl seria lançado em dezembro daquele ano nas Américas.[15] O lançamento seria adiado para 10 de fevereiro de 2008[16] e depois para 9 de março do mesmo ano.[17]

    Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

    Na conferência pré-E3 de 2005, o presidente da Nintendo, Satoru Iwata, anunciou que o próximo game da série Super Smash Bros. não só estaria em desenvolvimento logo, como também poderia ser um game de lançamento do Wii com compatibilidade online.[12] O anunciamento foi uma surpresa para Masahiro Sakurai, criador da série. Em 2003, Sakurai deixou a HAL Laboratory, a empresa encarregada de produzir os jogos da série e não foi informado da intenção da Nintendo em lançar um terceiro game, embora Iwata dissera a Sakurai, logo após sua saída da HAL Laboratory, que se um outro título da série fosse produzido, ele gostaria que Sakurai fosse o diretor. Sakurai só tornou-se o diretor do jogo após a conferência de 2005, quando foi convidado à sala de Iwata para produzir o novo jogo.[13] Sakurai aceitou dirigir o jogo, sendo o único membro na produção até outubro de 2005.

    O desenvolvimento do novo jogo começou neste mês,[14] quando a Nintendo abriu um novo escritório em Tóquio apenas para sua produção. A empresa, a Sora, Ltd., teve a ajuda de vários produtores de outras empresas, tais como a Game Arts e a Monolith Soft. Sakurai disse que essas pessoas gastaram muito tempo jogando Super Smash Bros. Melee e foi dada à equipe o acesso a todo o material original e materiais de produção de Melee. Em adição, vários produtores dos outros dois jogos da série que residiam perto do local do novo estúdio se juntaram à produção de Brawl.[18] [19]

    O game estava ausente na conferência Pré-E3 do Wii de 2006. No dia seguinte, em maio, o primeiro trailer foi revelado, junto com o nome oficial Super Smash Bros. Brawl. Em uma entrevista, Sakurai falou que o uso dos movimentos do controle do Wii poderiam estar ausentes, argumentando que a implementação de muitos movimentos poderiam atrapalhar o jogo.[20] Porém, Sakurai disse que sua ideia era incluir compatibilidade online desde o início, de acordo com os planos da Nintendo no Wii,[20] embora algo como um ranking mundial estivesse fora de cogitação.[21] Em uma partida-teste entre Sakurai e o game designer Hideo Kojima, criador da série Metal Gear, este falou que o jogo era completo e que a Nintendo poderia lançá-lo no mercado para vender milhões de cópias.[22] Com isso, o site Smash Bros. DOJO!! começou a ter atualizações diárias todos os dias úteis a partir de 22 de maio de 2007, indo até 14 de abril de 2008.[23]

    Na conferência para a imprensa na E3 de 2007, o presidente da Nintendo of America, Reggie Fils-Aime, que o lançamento de Brawl se daria em 3 de dezembro daquele ano nas Américas.[15] Porém, dois meses antes desta data, a equipe de desenvolvimento pediu mais tempo para terminar a produção do jogo.

    Cquote1.svg Para podermos tornar Super Smash Bros. Brawl um jogo imprescindível, vimos que precisamos ter mais tempo para concluir a produção. Pedimos desculpas aos fãs que já estavam esperando ansiosamente pelo lançamento, que se dará agora em 24 de janeiro de 2008 no Japão. Nós também revisaremos a data de lançamento do jogo nas Américas e nossas subsidiárias farão seus próprios anunciamentos.[24] Cquote2.svg
    Satoru Iwata, presidente da Nintendo

    No dia seguinte, a data de lançamento americana foi adiada para 10 de fevereiro de 2008.[16] Em 15 de janeiro, mais um adiamento foi feito para o lançamento, sendo de uma semana no Japão, lançando em 31 de janeiro, e um mês para as Américas, lançando em 9 de março nos Estados Unidos.[17] Foi feito um lançamento semi-oficial de Brawl no Brasil em 15 de março em São Paulo.[25] Na Europa, Brawl foi lançado lançado no dia 27 de junho.

    Música[editar | editar código-fonte]

    Quando o site Smash Bros. DOJO!! foi ao ar, Sakurai revelou uma lista com 36 músicos de games que estariam fazendo as músicas de Brawl. Sakurai pediu a esses músicos da Nintendo, de second e third-parties que ouvissem uma seleção das melhores músicas dos jogos da empresa e que fizessem arranjos de suas favoritas.[11] As várias músicas do game podem ser ouvidas no Sound Test de Brawl e podem ser configuradas para a possibilidade de uma delas aparecer em um estágio com a opção My Music. Há também músicas que foram retiradas de games sem sofrerem modificações.[26] Algumas músicas já estão habilitadas no início do jogo, enquanto outras devem ser destravadas encontrando CDs na hora de lutas.

    Inclusão de personagens[editar | editar código-fonte]

    Sakurai inicialmente disse que não gostaria de colocar muitos personagens de jogos lançados apenas no Japão. Porém, como a inclusão de Marth e Roy em Super Smash Bros. Melee levou a série Fire Emblem a ser lançada internacionalmente,[27] o diretor expressou um maior interesse em incluir esse tipo de personagens. Sakurai também falou que apenas outros dois personagens de third-parties, além de Solid Snake poderiam ser incluídos em Brawl.[28] A inclusão deste, um personagem da Konami, pode parecer ser contra a principal característica de Super Smash Bros. (Um jogo de luta onde apenas personagens da Nintendo e de suas second-parties poderiam marcar presença), mas Sakurai falou que Hideo Kojima, criador da série Metal Gear, queria que Snake fosse incluído ainda em Melee, o que não ocorreu devido ao game estar em um estado de produção muito avançado. Quando tomou a direção do jogo, Sakurai perguntou a Kojima se ainda queria Snake na série. Aceitando, o personagem foi incluído em Brawl.[29] O mesmo aconteceu com Lucas, de MOTHER 3, que ficou fora de Melee devido ao adiamento do lançamento de seu jogo.[30]

    Fãs da série no Japão puderam enviar as ideias de inclusão de seus personagens de third-parties favoritos, o que ocorreu em outras regiões também.[31] Após junho de 2006, as ideias não eram mais aceitas. Sakurai e Shigeru Miyamoto, criador de Mario Bros. e The Legend of Zelda, anunciaram que a Nintendo estava negociando os direitos de usar outros personagens de third-parties.[32] O personagem mais popular foi Sonic, da SEGA, anunciado em Brawl em outubro de 2007. Contudo, a decisão de incluí-lo no jogo foi feita no início daquele ano.[33]

    Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

    Seguindo o estilo de seus antecessores, Super Smash Bros. Brawl usa um sistema de batalhas diferente de outros jogos de luta. Escolhendo entre vários personagens jogáveis, um a quatro jogadores lutam em vários estágios, cada um tentando nocautear seus oponentes para fora da tela. Ao invés de usar uma barra de vida, como muitos jogos de luta fazem, são usados marcadores de porcentagem. Esses mostram o dano recebido e variam de 0 a 999%. Quanto maior a porcentagem, mais longe o personagem é arremessado. Quando um personagem é nocauteado para fora dos limites da arena, o jogador perde uma vida ou um ponto, dependendo do modo de luta.[34] O jogo pode ser jogado de quatro maneiras diferentes: usando-se o Wii-Remote virado de lado, com o Classic Controller, com o Wii-Remote e o Nunchuk ou o controle de GameCube.[35] Brawl também inclui um função que porporciona ao jogador criar uma configuração de movimentos diferentes usando seu nome escolhido.[36]

    O símbolo da bola cruzada, usada para a Smash Ball e como logo oficial da série.

    Os personagens lutam entre si usando uma variedade de movimentos e ataques. Cada movimento é executado apertando-se um botão e movimentando-se a alavanca analógica ou o direcional digital, no caso do Wii-Remote virado. Além de ataques básicos, como socos e chutes, os personagens podem executar quatro destes ainda mais fortes, conhecidos como Smashes. Cada personagem tem quatro movimentos especiais, que podem ter outros efeitos além de nocautear o oponente. Brawl inclui também um ataque supremo para cada personagem, conhecido como Final Smash. Estes têm muito mais poder do que ataques normais ou especiais e apresentam uma variada gama de efeitos, desde ataques não-desviáveis até transformações temporárias. Essas habilidades únicas só podem ser usadas quando o personagem quebra a proteção de uma Smash Ball (スマッシュボール, Sumasshu Bōru?). Quando a proteção de uma Smash Ball é quebrada por um personagem, este pode usar seu Final Smash caso não seja atacado abruptamente, o que o faz perder a Smash Ball, a qual retorna à arena para ser quebrada novamente.[20] [37]

    Os personagens também podem usar outros itens, indo desde projéteis até bombas e martelos gigantes. Cada tipo de item tem um efeito diferente nos personagens em volta dele. Enquanto muitos itens retornam de outros jogos da série Super Smash Bros., novos são introduzidos em Brawl. Alguns itens que voltaram receberam melhorias, mudando sua aparência e/ou habilidade.[38] Dois tipos de itens, os Assist Trophies[39] (Em Português, Troféus de Ajuda) e as Pokébolas[40] invocam, temporariamente, personagens convidados e Pokémon, os quais geralmente ajudam quem os invocou. Eles não podem ser controlados pelos jogadores e são normalmente invencíveis (exceto quando o personagem Kirby utiliza o final smash, o qual suga todos os itens da tela (incluindo o adversário dependendo da sua distância)e simplesmente os cozinha).[41]

    Grupo[editar | editar código-fonte]

    Além do modo de multiplayer normal ("Brawl"), Super Smash Bros. Brawl apresenta outros tipos de multiplayer e opções quando se está no modo Grupo. As lutas especiais retornam de Melee, onde os jogadores têm a opção de usarem regras peculiares e um nível de customização maior. Diferentemente do jogo anterior, onde só podia ser usada uma regra especial por vez, tal como "Luta Gigante" ou "Luta Metálica", os jogadores podem escolher quantas opções quiserem para uma única partida.[42] Outro modo que retorna de Melee são os torneios, os quais permitem que o jogador crie um torneio por eliminação com até 32 participantes humanos ou controlados pelo computador.[43] Uma nova opção em Brawl é a rotação, permitindo que até 16 jogadores competirem alternando vencedores ou perdedores por outros jogadores na fila após uma partida.[44]

    Solo[editar | editar código-fonte]

    Mantendo-se consistente como em seus antecessores, Brawl inclui vários modos feitos para um jogador. Em Classic Mode, o jogador passa por fases geradas aleatoriamente, embora haja uma ordem correta para o aparecimento de cada série. Cada fase apresenta um estágio ou um oponente de uma série, tais como The Legend of Zelda ou Pokémon. Algumas partidas apresentam uma condição única, como uma luta contra um oponente gigante ou uma batalha de dois contra dois.[45] O jogador passa por 11 fases, enfrentando a Master Hand no final, uma mão controlada do lado de fora do Universo de Brawl que aguarda desafiantes.

    Outro modo Solo são os Eventos, que são partidas com condições pré-determinadas. Dentre as condições, há eventos com limite de tempo para serem completados, alguns onde o jogador deve usar o Final Smash de um personagem e outros onde simplesmente deve-se resistir à luta durante um certo tempo. Uma novidade é a opção de escolher um nível de dificuldade para cada um dos 62 eventos (21 dos eventos são Co-Op para 2 jogadores e não podem ser jogados com apenas 1 jogador),[46] cada um com seu recorde.[47]

    Também vindos de Melee, Brawl inclui mingames com um propósito no STADIUM Mode. O mais conhecido deles é o Home-Run Contest, onde o jogador deve lançar um saco de pancadas o mais longe possível usando um taco de baseball. Existente desde o Super Smash Bros. original, o Target Smash!! é um minigame onde o jogador deve quebrar todos os alvos no menor tempo.[48] Outro minigame é o Multi-Man Brawl, onde o jogador deve derrotar criaturas em número ou em tempo.[49] Assim como os eventos, agora os minigames do STADIUM Mode também tem a opção de dois jogadores se cooperarem.[50]

    The Subspace Emissary[editar | editar código-fonte]

    Super Smash Bros. Brawl inclui um novo modo solo conhecido como Adventure Mode. Neste, o jogador participa da história de The Subspace Emissary (亜空の使者, Akū no Shisha?, em Português, O Emissário do Submundo ou O Enviado do Vazio). O modo é uma aventura em side-scrolling (Uma câmera frontal sem o uso de três eixos para locomoção) com vários chefes. A história é contada por animações em CGI, porém sem o uso de diálogos. The Subspace Emissary apresenta um novo inimigo, conhecido como The Subspace Army (亜空軍, Akūgun?, em Português, Exército do Submundo ou Exército Vazio), um exército das sombras liderado pelo Antigo Ministro (Ancient Minister, em Inglês). Alguns dos integrantes do exército já apareceram em jogos anteriores da Nintendo, como Porky,[51] da série MOTHER, e Rayquaza,[52] da série Pokémon, assim como uma equipe de R.O.B.s, baseados no acessório de NES. Porém, The Subspace Emissary apresenta também vários inimigos originais,[53] como Trowlon, um tapete que leva o jogador para a borda da tela, Shaydas, uma sombra que usa duas espadas, e os mais comuns deles, conhecidos como Primids. The Subspace Emissary também possiblita a melhora de qualidades de um personagem usando adesivos coletados pelas fases ou em batalhas no modo Grupo. Caso haja um Game Over, alguns destes adesivos são perdidos.[54]

    Diferentemente dos outros modos, The Subspace Emissary apresenta um sistema de equipes compostas pelos personagens, começando com um número limitado. Outros personagens se unem ao time, enquanto outros podem deixá-lo temporariamente.[55] Quando um dos personagens é nocauteado, outro toma o lugar, continuando a fase. Quando todos são nocauteados, o jogador recebe um Game Over, perdendo adesivos, mas com a opção de continuar a qualquer hora.[56]

    Sakurai alegou que em The Subspace Emissary há muito mais informação que em outros modos Solo de jogos anteriores.[57] Shigeru Miyamoto explicou que Sakurai sempre quis ter um jogo single-player profundo, mas que ele pediu para que focasse mais no multiplayer nos jogos anteriores uma vez que havia vários jogos do tipo encontrado em The Subspace Emissary. Como Brawl teve um longo tempo para ser produzido, ambos foram possíveis de serem concluídos sem afetar um ao outro.[58] Para criar um enredo para The Subspace Emissary, Sakurai contou com a ajuda de Kazushige Nojima, o escritor de cenário para a série Final Fantasy.[59]

    Enredo[editar | editar código-fonte]
    Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

    Em um mundo onde troféus ganham vidas, lutas ocorrem. As lutas são a razão da existência destes. Quando alguém quebra as regras, o mundo pagará caro por isso.[60] Em uma arena de batalha, Mario e Kirby lutam entre si, sendo assistidos pelas princesas Zelda e Peach Toadstool. Dependendo do vencedor, o outro fará com que o derrotado volte a viver. Porém, uma nave aparece ao longe, trazendo o The Subspace Army junto de seu líder, o Antigo Ministro. Nocauteando Mario e o mandando para muito longe, Kirby enfrenta o gigante Petey Piranha para libertar Zelda ou Peach. Quando salva uma, a outra é transformada em troféu por Wario e é capturada. O Antigo Ministro, usando a Bomba do Submundo, explode a arena, fazendo-a ser engolida pela escuridão. Kirby e a princesa fogem, enquanto o enviado da Deusa Palutena, Pit, sai de seu palácio para combater o The Subspace Army. Durante sua jornada nas nuvens, Pit alia-se a Mario.

    A história se desenrola com outros personagens aparecendo, como Donkey Kong e Diddy Kong, Link e Yoshi e Samus e Pikachu. Mais tarde, é revelado que a nave, conhecida como Halberd, foi roubada de Meta Knight, que se alia a Ike e Marth para recuperá-la e se vingar. Vários acontecimentos ocorrem ao mesmo tempo, tais como a captura de Donkey Kong, o combate entre Mario e Link e outros. Quando Meta Knight encontra sua nave, tenta abordá-la subindo uma montanha, deixando Marth e Ike com Mario, Pit, Kirby, Link e Yoshi, que se juntaram também ao Treinador Pokémon e Lucas. Na montanha, Meta Knight encontra Ice Climbers e no topo, luta com Lucario e os os dois abordam o Halberd, encontrando Solid Snake ali. Salvando a nave do terrível Duon, todos se reúnem na costa do mundo. Em uma ilha flutuante, Samus e Pikachu se aliam a Diddy Kong, Donkey Kong e aos capitães Captain Falcon e Olimar. Eles descobrem o plano do The Subspace Army, que é destruir e transformar todos em troféus para dominarem o mundo.

    Descobre-se que o Antigo Ministro é um servo de Ganondorf. Não contente com a situação dos R.O.B.s na Ilha dos Antigos (Em Inglês, Island of Ancients), o Antigo Ministro se revolta, revelando-se o Mestre dos R.O.B.s. Porém, com o poder de Ganondorf, ele controla todos os R.O.B.s, que, usando mais de cem Bombas do Submundo ao mesmo tempo, explodem a ilha flutuante, obrigando os heróis a saírem de lá. Mostrando sua arma definitiva, o Subspace Gunship, Ganondorf tem seus planos destruídos pelos heróis, que destroem a arma e se infiltram no submundo. É revelado que Ganondorf, o Antigo Ministro e outros estavam servindo à Master Hand, uma entidade de fora do mundo dos troféus, e que esta estava sendo manipulada por um ser ainda mais maligno, conhecido como Tabuu. Ele, com seus poderes adquiridos com o número de Bombas do Submundo, libera sua energia e transforma todos os heróis e vilões em troféus, dominando o mundo.

    Contudo, Tabuu não esperava que um de seus servos, o Rei Dedede, descobrisse sua trama. Dedede elabora um plano próprio para reviver alguns troféus, como Luigi e Ness, e poder contra-atacar o humanoide. Resgatando todos os derrotados, os heróis, com a ajuda de Sonic the Hedgehog, enfrentam e derrotam Tabuu, revertendo o efeito das Bombas do Submundo e retornando às suas vidas normais. Porém, há um lugar onde o efeito não pôde ser revertido, a Ilha dos Antigos. The Subspace Emissary termina com os personagens olhando para o horizonte, observando uma marca em "X", o lugar onde ficava a antiga ilha que foi uma Utopia no passado.[61]

    Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

    Vozes [62] [editar | editar código-fonte]

    Personagem Dublagem Estados Unidos Dublagem Japão
    Mario Charles Martinet
    Link Akira Sasanuma
    Kirby Makiko Omoto
    Zero Suit Samus Alésia Glidewell
    Yoshi Kazumi Totaka
    Fox McCloud Jim Walker
    Ness Makiko Omoto
    Pikachu Ikue Otani
    Captain Falcon Ryo Horikawa
    Luigi Charles Martinet
    Ganondorf Hironori Miyata
    Meta Knight Eric Newsome Atsushi Kisaichi
    King Dedede Masahiro Sakurai
    Pit Lani Minella Minami Takayama
    Peach Samantha Kelly
    Zelda/ Sheik Jun Mizusawa
    Falco Lombardi Dex Manley Hisao Egawa
    Marth Hikaru Midorikawa
    Wario Charles Martinet
    Toon Link Sachi Matsumoto
    Pokémon Trainer Michele Knotz Tomoe Hanba
    Lucas Lani Minella
    Charizard Shinichiro Miki
    Squirtle Michele Knotz Rikako Aikawa
    Ivysaur Craig Blair Tomoko Kawakami
    Ike Jason Adkins Michihiko Hagi
    Lucario Bill Rogers Daisuke Namikawa
    Pikmin Hajime Wakai
    Solid Snake David Hayter Akio Otsuka
    Sonic Jason Griffith Junichi Kanemaru
    Wolf Jay Ward Mahito Oba
    Jigglypuff/Purin Rachael Lillis Mika Kanai
    Narrador/Master Hand/Crazy Hand Pat Cashman

    Nintendo Wi-Fi Connection[editar | editar código-fonte]

    Super Smash Bros. Brawl permite que os jogadores batalhem contra oponentes do mundo inteiro através da Nintendo Wi-Fi Connection. As partidas online podem ser jogadas com amigos registrados ou oponentes aleatórios através do globo. Em batalhas com amigos registrados, não só serão mostrados os nomes dos jogadores, como também o jogador pode se comunicar com seu oponente usando provocações customizadas. Um outro modo, Spectactor (Em Português, Espectador) permite que se assista partidas entre outros jogadores, apostando em qual deles irá ganhá-la usando moedas. Acertando-se o vencedor, o jogador recebe uma quantia a mais da qual ele apostara.[63] Além das lutas normais, é possível jogar o Home-Run Contest e o Multi-Man Brawl através do serviço online.[64]

    Além disso, durante batalhas, fotos podem ser tiradas e enviadas à Nintendo através da Nintendo Wi-Fi Connection.[65] Da mesma maneira que fotos e vídeos que foram gravados de Brawl também podem ser enviados.[48]

    Vault[editar | editar código-fonte]

    Em Super Smash Bros. Melee, todos os personagens, itens e outros eram encarnações de troféus, que podiam ser colecionados e vistos de vários ângulos. Essas estatuetas dão uma breve descrição do mostrado ali.[66] Em Super Smash Bros. Brawl, há várias maneiras de se conseguir troféus, sendo a mais básica delas o modo Coin Launcher (Em Português, Lançador de Moedas). Quanto mais se progride no jogo, seja em The Subspace Emissary, lutas ou o Classic Mode, moedas são adquiridas, que são usadas nesse lançador como projéteis. Elas servem para atirar em troféus e adquiri-los e contra-atacar mísseis vindo em sua direção.[67] As moedas também podem ser utilizadas no modo Spectator na Nintendo Wi-Fi Connection. Troféus não disponíveis no Coin Launcher são adquiridos em The Subspace Emissary usando bases de troféus para transformar um inimigo em um destes[68] e também quebrando cubos laranjas[69]

    Além dos troféus, os jogadores agora também podem colecionar adesivos de artworks de vários jogos.[70] Com eles, pode-se posicioná-los a fim de tirar uma foto ou então usá-los em The Subspace Emissary para melhorar as qualidades de um personagem.[54] Outro item colecionável são CDs, que destravam novas músicas para alguns estágios.[26]

    Troféus, adesivos ou CDs que não podem ser destravados pelo Coin Launcher, The Subspace Emissary ou batalhas normais são obtidos pelos Desafios (Challenges), um modo especial que cataloga quase tudo o que pode ser destravado no jogo, através de janelas. Uma vez que uma janela é quebrada e seu conteúdo destravado, as janelas adjacentes à quebrada mostram uma sombra do que pode ser destravado e o necessário para destravar.[71] Raramente, o jogador recebe um martelo dourado para poder quebrar qualquer janela não destravada. Este é um sistema usado por Sakurai em seu jogo Kirby Air Ride.

    O Vault também apresenta demonstrações de grandes títulos da Nintendo, conhecidos como Masterpieces, disponíveis no Virtual Console do Wii, tais como F-Zero e Super Metroid. Cada demo tem um tempo-limite de uso de 30 segundos a cinco minutos, sendo que alguns salvam os dados para que o jogador escolha uma certa fase daquele jogo.[72] Junto com as Masterpieces, há as Crônicas (Chronicles), um índice com vários títulos da Nintendo desde o NES e o Game & Watch até o Nintendo DS e o próprio Wii.[73]

    Personagens[editar | editar código-fonte]

    Super Smash Bros. Brawl apresenta 35 personagens jogáveis, sendo 12 deles novatos, 13 personagens que já apareceram em títulos ateriores da série e 12 personagens secretos. Alguns dos veteranos que apareceram em Melee sofreram mudanças no design devido às suas últimas aparições, como é o caso de Link e Fox McCloud. Samus Aran ganha uma segunda forma sem sua armadura chamada de Zero Suit Samus.

    Séries representadas anteriormente receberam novos personagens, tais como Diddy Kong, da série Donkey Kong, e Meta Knight, da série Kirby. Outros novatos são os primeiros a representarem suas séries, como Pit, de Kid Icarus, Olimar, de Pikmin, e Wario, da série WarioWare. Solid Snake, protagonista da série Metal Gear, da Konami,[74] e Sonic the Hedgehog da série homônima da SEGA[75] são os primeiros personagens de third-parties a serem incluídos em um título de Super Smash Bros.

    Certos personagens têm peculiaridades, como Zelda, que pode se tornar Sheik, Samus, que pode lutar sem a sua Varia Suit, o Treinador Pokémon, que usa seus três Pokémon para lutar, e Lucario, que tem sua base de dano originada de seu próprio; e outros que acabam usando ataques parecido com outros, como Falco Lombardi, que possui ataques parecidos com os de Fox, e Toon Link, uma versão mais fraca e mais rápida de Link. O Final Smash de cada personagem também tem certos efeitos diferentes, como o de Bowser, que o torna invencível, ou o de Kirby, que cozinha todos os personagens e itens no estágio.

    Há duas maneiras de habilitar um personagem em Brawl. Uma delas é lutar um certo número de batalhas para que o personagem apareça, obrigando o jogador a lutar contra ele e vencer para destravá-lo. A outra maneira é encontrar esse personagem em The Subspace Emissary e fazê-lo juntar à equipe, sem a necessidade de lutas.

    Estágios[editar | editar código-fonte]

    Os estágios são arenas onde ocorrem as lutas. Cada estágio representa parte de uma das séries em Brawl. Os estágios variam desde plataformas móveis até áreas onde deve-se ficar para o bem do jogador. Em todo estágio, há uma área onde não se deve ultrapassar, seja em qualquer direção, ou o jogador perderá uma vida ou um ponto, dependendo do modo de jogo.

    Em Super Smash Bros. Brawl, há 41 estágios diferentes, sendo que 29 já podem ser escolhidos pelo jogador desde o início. Vários estágios sofrem mudanças elaboradas enquanto as batalhas ocorrem, como um ciclo de dias,[76] visto em Battlefield, e até mudanças no tempo e espaço,[77] como visto em Spear Pillar. Em especial, um estágio da série Animal Crossing apresenta eventos em determinada hora do dia.[78] Em vários estágios de Brawl, é possível destruir parte do cenário, como em Luigi's Mansion[79] e, inclusive, nadar. Diferentemente de seus antecessores, Brawl inclui estágios de third-parties, como Green Hill Zone.[80] O jogo também apresenta estágios que apareceram em Super Smash Bros. Melee.[81]

    Brawl permite que os jogadores criem seus próprios estágios usando o Stage Builder no modo Vault e salvá-los na memória interna do Wii ou em um Cartão SD. Assim como as fotos, também é possível enviar um estágio para a Nintendo por dia através da Nintendo Wi-Fi Connection.[82]

    Recepção[editar | editar código-fonte]

     Recepção
    Resenha crítica
    Publicação Nota
    Famitsu 40 de 40[83]
    GameSpot 9,5[84]
    GameSpy 4,5 de 5[85]
    IGN 9,5[86]
    Wii Brasil 100%[87]
    NGamer Brasil 100 de 100[88]
    Nintendo World 10[89]
    Nintendo Power 10[90]
    Pontuação global
    Publicação Nota média
    Metacritic 93% baseado em 80 reviews[91]
    GameRankings 93% baseado em 70 reviews[92]

    Super Smash Bros. Brawl, em seu lançamento, recebeu muitas críticas positivas. Os editores da revista japonesa Famitsu concederam a Brawl uma nota perfeita, tornando-o o sétimo jogo a receber tal nota,[83] devido à profundidade do modo solo, à imprevisão dos efeitos dos Final Smashes e à dinâmica dos personagens. A revista americana Nintendo Power também concedeu a Brawl uma nota perfeita, sendo chamado de "um dos melhores games já produzidos pela Nintendo."[90] O site GameSpot comentou que "seus controles simples e o gameplay são muito bem acessíveis aos novatos."[84]

    No Brasil, Brawl recebeu nota máxima nas duas revistas oficiais da Nintendo no país. Na Nintendo World, "Brawl adquiriu proporções tão dantescas que atiçou a criatividade dos fãs"[89] enquanto a revista NGamer Brasil constatou que "seu nome ficará gravado na história dos video games."[88] No site Wii Brasil, The Subspace Emissary foi aclamado pela "trama magnífica, mas que em alguns momentos a mistura de um jogo de luta e um de plataforma parecerá bem estranha."[87]

    No site IGN, Brawl foi considerado "muito viciante e completamente divertido, mas sofre de longas telas de carregamento e tem inimigos mal conceitualizados em The Subspace Emissary." O review também criticou os gráficos, considerando o jogo "uma versão atualizada de Melee com planos de fundo com falta de detalhes."[86] O site GameSpy comentou que os gráficos se parecem com os de GameCube.[85] Na versão britânica da revista NGamer, "os riscos de Super Smash Bros. estão se repetindo: não há uma falta de valor no jogo, mas não apresenta a mesma mágica de Super Mario Galaxy."[93]

    Vendas[editar | editar código-fonte]

    Super Smash Bros. Brawl foi um estouro de vendas tanto no Japão quanto nos Estados Unidos. No Japão, o jogo vendeu mais de meio milhão de cópias em seu primeiro dia,[94] chegando a 820.000 unidades na primeira semana.[95] Até agosto de 2008, o jogo vendera mais de 1,6 milhão de unidades no país.[8] Nos Estados Unidos, o jogo vendeu mais de 870.000 unidades em seu primeiro dia e 1,4 milhão na primeira semana, tornando-o o jogo mais vendido da Nintendo of America desde Super Mario Bros. 3, de 1990.[96] Porém, as vendas não se repetiram no Reino Unido e até agosto de 2008, apenas 213.000 cópias do jogo foram vendidas.[97] Até aquele mês de 2008, Brawl vendera aproximadamente 5,4 milhões de unidades.

    Referências

    1. Masahiro Sakurai. Entrevista com Satoru Iwata. Iwata Asks: Super Smash Bros. Brawl. Wii.com. Visitado em 17 de fevereiro de 2010.
    2. スマブラ拳!! (em japonês) Nintendo.
    3. Super Smash Bros. Brawl Nintendo.
    4. Nintendo anuncia agenda de lançamentos do segundo trimestre de 2008 Nintendo (24/04/2008).
    5. Gantanyat, Anoop Sakurai fala de de Smash Bros. Brawl. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    6. Travis Moses e Dave Rudden (fevereiro de 2008): "Super Smash Bros Brawl. O último preview do jogo antes de seu lançamento em março. GamePro edição nº 235: Págs. 30, 31.
    7. Super Smash Bros. Brawl Review. Metacritic, acesso em 6 de abril de 2008.
    8. a b [1], acesso em 7 de setembro de 2008.
    9. [2], VGChartz.com, acesso em 17 de janeiro de 2009
    10. Sakurai, Masahiro "Jogabilidade Online". Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    11. a b Sakurai, Masahiro "Os Músicos". Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008
    12. a b Cassamina, Matt Super Smash Bros. Revolution. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    13. a b Diretor de Super Smash Bros. Revolution anunciado. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    14. a b Sakurai, Masahiro Old Dojo, acesso em 6 de abril de 2008.
    15. a b Cassamina, Matt Nintendo na E for All 2007. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    16. a b Data de Brawl confirmada. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    17. a b Cassamina, Matt Smash Bros. adiado. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    18. Gantayat, Anoop A equipe de Smash Bros. Revolution. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    19. Pensamento de Sakurai sobre games. Famitsu, acesso em 6 de abril de 2008.
    20. a b c Cassamina, Matt Brawl pode não usar movimentos do Wii. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    21. Miller, Ross Sakurai fala mais de Brawl. Joystiq, acesso em 6 de abril de 2008.
    22. Dormer, DanHideo Kojima VS Masahiro Sakurai em Brawl. 1UP.com, acesso em 6 de abril de 2008.
    23. Atualizações até 14 de abril. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    24. Conferência da Nintendo de 2007. E-News, acesso em 6 de abril de 2008
    25. Torneio de Brawl em São Paulo. Wii-Brasil, acesso em 6 de abril de 2008.
    26. a b Sakurai, Masahiro Minhas Músicas. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    27. Sakurai quer dar ênfase a personagens japoneses. GameSpy, acesso em 6 de abril de 2008
    28. Klepek, Patrick Detalhes de Smash Bros. Brawl. 1UP.com, acesso em 6 de abril de 2008.
    29. McWerthor, Michael Um pouco mais de Super Smash Bros. Brawl. Kotaku, acesso em 6 de abril de 2008.
    30. 速報スマブラ拳: ネス. Nintendo.com, acesso em 6 de abril de 2008
    31. Fãs podem enviar ideias de incluir outros personagens além de Snake. IGN, acesso em 6 de abril de 2008
    32. Sakurai e Miyamoto comentam sobre Sonic. IGN, acesso em 6 de abril de 2008.
    33. McWerthor, Michael Entrevista com Masahiro Sakurai sobre Brawl. Kotaku, acesso em 6 de abril de 2008.
    34. Sakurai, Masahiro As Regras Básicas. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    35. Sakurai, Masahiro Quatro Tipos de Controle. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    36. Sakurai, Masahiro Nomes. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    37. Sakurai, Masahiro O Que É um Final Smash?. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    38. Sakurai, Masahiro Itens de Títulos Anteriores. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    39. Sakurai, Masahiro O Que São Assist Trophies?. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    40. Sakurai, Masahiro O Que São Pokébolas?. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008.
    41. Sakurai, Masahiro Samurai Goroh. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 6 de abril de 2008
    42. Sakurai, MasahiroLutas Especiais. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008.
    43. Sakurai, Masahiro Torneios. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008.
    44. Sakurai, Masahiro Rotação. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008.
    45. Sakurai, Masahiro Modo Clássico. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008.
    46. Sakurai, Masahiro Eventos Cooperativos. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008
    47. Sakurai, Masahiro Eventos. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008.
    48. a b Sakurai, Masahiro Stadium: Target Smash!!. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008.
    49. Sakurai, Masahiro Stadium: Multi-Man Brawl. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008.
    50. Sakurai, Masahiro Stadium: Home-Run Contest. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 7 de abril de 2008.
    51. Sakurai, Masahiro Estratégias de Chefões. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 8 de abril de 2008.
    52. Sakurai, Masahiro O Azar de Fox. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 8 de abril de 2008.
    53. Sakurai, Masahiro Os Inimigos do Submundo. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 8 de abril de 2008
    54. a b Sakurai, Masahiro Melhorias com os Adesivos. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 8 de abril de 2008.
    55. Sakurai, Masahiro Petey Piranha. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 8 de abril de 2008.
    56. Sakurai, MasahiroEquipe. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 8 de abril de 2008.
    57. Sakurai, Masahiro O Que É o The Subspace Emissary. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 8 de abril de 2008.
    58. Bramwell, Tom Miyamoto e Sakurai no Wii. Eurogamer, acesso em 8 de abril de 2007.
    59. Iwata, Satoru Iwata Pergunta: Super Smash Bros. Brawl Vol. 4. Wii.com, acesso em 8 de abril de 2008.
    60. Sakurai, Masahiro Neste Mundo.... Smash Bros. DOJO!!, acesso em 8 de abril de 2008
    61. Sakurai, Masahiro Mistérios do The Subspace Emissary. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 10 de abril de 2008.
    62. http://www.imdb.com/title/tt0928380/?ref_=fn_al_tt_6
    63. Sakurai, Masahiro Espectador. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 16 de abril de 2008.
    64. Gantayat, Anoop Conferência da Nintendo (2007). IGN, acesso em 16 de abril de 2008.
    65. Sakurai, Masahiro Tirando Fotos. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 16 de abril de 2008.
    66. Sakurai, Masahiro Troféus. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 16 de abril de 2008.
    67. Sakurai, Masahiro Lançador de Moedas. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 16 de abril de 2008.
    68. Sakurai, Masahiro Bases de Troféus. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 16 de abril de 2008.
    69. Sakurai, Masahiro Clear %. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 16 de abril de 2008.
    70. Sakurai, Masahiro Adesivos. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 18 de abril de 2008.
    71. Sakurai, Masahiro Desafios. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 18 de abril de 2008.
    72. Sakurai, Masahiro Masterpieces. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 18 de abril de 2008.
    73. Sakurai, Masahiro Vault. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 18 de abril de 2008.
    74. Sakurai, Masahiro Novato: Snake. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 18 de abril de 2008.
    75. Sakurai, Masahiro Novato: Sonic. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 19 de abril de 2008.
    76. Sakurai, Masahiro Battlefield. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 19 de abril de 2008.
    77. Sakurai, Masahiro Spear Pillar. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 19 de abril de 2008.
    78. Sakurai, Masahiro Smashville. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 19 de abril de 2008.
    79. Sakurai, Masahiro Luigi's Mansion. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 19 de abril de 2008.
    80. Sakurai, Masahiro Green Hill Zone. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 19 de abril de 2008.
    81. Sakurai, Masahiro Estágios de Melee. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 19 de abril de 2008.
    82. Sakurai, Masahiro Stage Builder. Smash Bros. DOJO!!, acesso em 19 de abril de 2008
    83. a b Nota perfeita para Smash Bros. IGN, acesso em 19 de abril de 2008.
    84. a b Anderson, Lark Review: Super Smash Bros. Brawl no GameSpot. GameSpot, acesso em 19 de abril de 2008.
    85. a b Villoria, Gerald Review: Super Smash Bros. Brawl no GameSpy. GameSpy, acesso em 19 de abril de 2008.
    86. a b Casamassina, Matt Review: Super Smash Bros. Brawl no IGN. IGN, acesso em 19 de abril de 2008
    87. a b Lippe, Pedro Henrique Review: Super Smash Bros. Brawl no Wii Brasil. Wii Brasil, acesso em 19 de abril de 2008.
    88. a b Felipe Azevedo e Fábio Santana (março de 2008). "Super Smash Bros. Brawl: Mega e Fabão saem no braço - virtualmente falando - para analisar a aguardada nova versão da série." NGamer Brasil edição nº 9: Págs. 34-41.
    89. a b Barros, Alexei (março de 2008): "A batalha do século: Super Smash Bros. Brawl." Nintendo World edição nº 109: Págs. 54, 55.
    90. a b Slate, Chris (fevereiro de 2008): "Review: Super Smash Bros. Brawl." Nintendo Power edição nº 226.
    91. Super Smash Bros. Brawl. Metacritic, acesso em 7 de setembro de 2008.
    92. Super Smash Bros. Brawl. Gamerankings, acesso em 7 de setembro de 2008.
    93. Castle, Matthew Review: Super Smash Bros. Brawl na NGamer Britânica. Computer & Video games, acesso em 19 de abril de 2008.
    94. Super Smash Bros. Brawl vende 500 mil em seu primeiro dia. Wii Brasil, acesso em 19 de abril de 2008.
    95. Ranking de venda de jogos no Japão. Wii Brasil, acesso em 19 de abril de 2008.
    96. Super Smash Bros. Brawl é o jogo com a melhor primeira semana no mercado da história da Nintendo. Wii Brasil, acesso em 19 de abril de 2008.
    97. NPD libera venda dos cinco jogos mais vendidos de 2008. Wii Brasil, acesso em 19 de outubro de 2008.

    Ligações externas[editar | editar código-fonte]