Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde janeiro de 2011).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.

Sucom

Organização
Atribuições planejar o uso e ocupação do solo do município de Salvador.
Chefia Cláudio Souza da Silva
Localização
Sede Av. Antônio Carlos Magalhães, N. 3244 - Iguatemi - Edf. Empresarial Thomé de Souza
Histórico
Criação 28 de junho de 1989
Sítio na internet
http://www.sucom.ba.gov.br/

A Superintedência de Controle e Ordenamento do Solo do Município (SuCOM) é o órgão da Prefeitura Municipal de Salvador responsável por supervisionar, acompanhar, fiscalizar e planejar o cumprimento das normas relativas ao ordenamento do uso e ocupação do solo do Município de Salvador. Criada em 1989, na gestão do prefeito Fernando José Guimarães Rosa, a partir da Lei nº3.994/891 , já passou por por oito re-estruturações, sendo a última delas em 2009, quando foi vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Meio Ambiente (Sedaham), de acordo com a Lei nº 7.783/092 . Desde 2008, é dirigida pelo técnico em Processamento de Dados e Administração, Cláudio Souza da Silva.

Entre as competências da autarquia estão o licenciamento para utilização sonora, a fiscalização de emissão de ruidos sonoros e publicidade, análise e emissão de pareceres técnicos para projetos de empreendimento e de proteção contra incêndio e pânico, licenciamento e fiscalização de obras e serviços em vias e logradouros públicos, reunir dados estatísticos e informativos sobre o uso do solo no município, promover o embargo, a interdição de empreendimentos e atividades poluidoras.3

Breve histórico[editar | editar código-fonte]

Com a implantação do Escritório do Plano Urbanístico da Cidade do Salvador -EPUCS, sob a coordenação de Mário Leal Ferreira, em 1943, surge o primeiro órgão de regulação e controle de uso do solo do município de Salvador. Em 1976, o então EPUCS é transformado em Órgão Central de Planejamento - OCEPLAN. Oito anos depois, as atribuições do OCEPLAN passam para a Secretaria de Planejamento do Município, em 1984, até a criação da Sucom.4

Entre 1943 e 1976, além do ordenamento do solo, era competência do órgão antecessores a elaboração de planos de urbanização para Salvador. Em 2008, sob o comendo de Kátia Carmelo, a superintendência foi responsável pela demolição do terreiro de candomblé Oyá Onipo Neto, alegando irregularidade na construção do espaço religioso.

Referências