Superliga Brasileira de Voleibol Masculino de 2012–13 - Série A

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Superliga Série A 2012/2013
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
Informações gerais
País  Brasil
Organizador CBV
Período de 24 de novembro de 2012 a 14 de abril de 2013
Participantes 12
Resultados
Campeão Rio de Janeiro RJX (1º título)
Vice-campeão Minas Gerais ASE Sada Cruzeiro
Baixa Rebaixamento São Paulo FUNVIC Pinhamonhangaba
Estatísticas
Número de jogos 151
Maior pontuador(a) MIN Ricardo Lucarelli (462 pontos)
◄◄ 2011–12 Bola de volei de quadra.svg 2013–14 ►►
Página oficial da competição

A Superliga Brasileira de Voleibol Masculino de 2012–13 - Série A foi a 19ª edição desta competição organizada pela Confederação Brasileira de Voleibol através da Unidade de Competições Nacionais. Foi também a 35ª edição do Campeonato Brasileiro de Voleibol Masculino, a principal competição entre clubes de voleibol masculino do Brasil.[1] Participaram do torneio doze equipes proveniente de cinco estados brasileiros: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Após 32 anos de jejum, o local mais alto do pódio voltou a ser ocupado por uma equipe fluminense após a vitória do RJX na decisão, disputada no Maracanãzinho. A equipe dirigida pelo técnico Marcelo Fronckowiak derrotou de virada a ASE Sada Cruzeiro por três sets a um.[2]

Regulamento[editar | editar código-fonte]

A fase classificatória da competição foi disputada por 12 equipes em dois turnos. Em cada turno, todos os times jogaram entre si uma única vez. Os jogos do segundo turno foram realizados na mesma ordem do primeiro, apenas com o mando de quadra invertido. Os oito primeiros colocados se classificaram para os play-offs. Nesta fase, a vitória por 3-0 ou 3-1 garantiu três pontos para o ganhador e nenhum ponto para o perdedor. Já em uma vitória por 3-2, o ganhador da partida levou dois pontos e o perdedor um.[1]

Os play-offs foram divididos em três fases - quartas-de-final, semi-final e final.

Nas quartas-de-final houve um cruzamento entre as equipes com os melhores índices técnicos seguindo a lógica: 1ª x 8ª (A); 2ª x 7ª(B); 3ª x 6ª(C) e 4ª x 5ª(D). Estas jogaram partidas em melhor de 3 (jogos), sendo um mando de quadra para cada e o jogo de desempate, quando houve, no ginásio da equipe com o melhor índice técnico da fase classificatória.[1]

As semifinais foram disputadas pelas equipes que passaram das quartas-de-final, seguindo a lógica: Vencedora do jogo A x Vencedora do jogo D; Vencedora do jogo B x Vencedora do jogo C. Estas jogaram novamente partidas em melhor de 3 (jogos), sendo um mando de quadra para cada e o jogo de desempate, quando houve, no ginásio da equipe com o melhor índice técnico da fase classificatória.[1]

As vencedoras se classificaram para a final, que foi disputada em jogo único no Maracanãzinho, cidade do Rio de Janeiro.[3] A terceira e a quarta colocações serão definidas pelo melhor índice técnico da fase classificatória e das semifinais.[1]

O campeão do torneio conquistou o direito de participar do Campeonato Sul-Americano de Clubes de 2013. Já o último colocado foi rebaixado para a Série B 2014.[carece de fontes?]

Equipes participantes[editar | editar código-fonte]

Doze equipes disputaram o título da Superliga Masculina de 2012/2013 - Série A.[3] São elas:

Equipe
Nome fantasia
Ginásio
Cidade
Capacidade Temporada 2011/2012
ASE Sada Cruzeiro
Sada Cruzeiro Vôlei
Riacho
Contagem
2 000
GRER Araçatuba
Vôlei Futuro
Plácido Rocha
Araçatuba
4 000
Minas TC
Vivo/Minas
Arena JK
Belo Horizonte
3 650
RJX
RJX
Maracanãzinho
Rio de Janeiro
11 800
Sesi-SP
Sesi-SP
Vila Leopoldina
São Paulo
800
Floripa EC
Super Imperatriz Vôlei
Capoeirão
Florianópolis
2 000
BVC Campinas
Medley/Campinas
Taquaral
Campinas
2 600
ADCM São Bernardo
São Bernardo Vôlei
Adib Moisés Dib
São Bernardo do Campo
5 730
Volta Redonda FC
Volta Redonda
Ilha São João
Volta Redonda
4 000
UFJF
UFJF
UFJF
Juiz de Fora
1 000 11º
APAV Canoas
Canoas
La Salle
Canoas
1 200 (Série B)
FUNVIC Pindamonhangaba
Funvic/Midia Fone
Juca Moreira
Pindamonhangaba
1 000 2º (Série B)

Fase classificatória[editar | editar código-fonte]

Classificação[editar | editar código-fonte]

  • Vitória por 3 sets a 0 ou 3 a 1: 3 pontos para o vencedor;
  • Vitória por 3 sets a 2: 2 pontos para o vencedor e 1 ponto para o perdedor.
  • Não comparecimento, a equipe perde 2 pontos.
  • Em caso de igualdade por pontos, os seguintes critérios servem como desempate: número de vitórias, média de sets e média de pontos.
Equipes classificadas para às quartas-de-final e garantidas na Série A 2013/2014.
Rebaixada para a Série B 2014.
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
1 Rio de Janeiro RJX 53 22 18 4 9 5 4 3 0 1 60 25 2.400 1965 1774 1.108
2 Minas Gerais ASE Sada Cruzeiro 52 22 18 4 10 5 3 1 1 2 57 23 2.478 1900 1692 1.123
3 São Paulo Sesi-SP 47 22 16 6 5 6 5 4 1 1 57 34 1.676 2086 1949 1.070
4 São Paulo Brasil VC 40 22 15 7 5 3 7 2 3 2 52 38 1.368 2028 1983 1.023
5 Minas Gerais Minas TC 40 22 15 7 4 5 6 1 4 2 51 38 1.342 2001 1936 1.034
6 Rio Grande do Sul APAV Canoas 40 22 14 8 6 5 3 1 3 4 47 35 1.343 1896 1764 1.075
7 Rio de Janeiro Volta Redonda FC 27 22 9 13 3 2 4 4 8 1 43 49 0.878 1984 2056 0.965
8 São Paulo ADCM São Bernardo 27 22 9 13 2 3 4 4 2 7 37 50 0.740 1916 1989 0.963
9 São Paulo GRER Araçatuba 24 22 8 14 0 6 2 2 4 8 32 52 0.615 1859 1968 0.945
10 Santa Catarina Floripa EC 16 22 4 18 1 0 3 7 3 8 29 60 0.483 1849 2027 0.912
11 Minas Gerais UFJF 16 22 3 19 2 0 1 8 6 5 31 59 0.525 1895 2048 0.925
12 São Paulo FUNVIC Pindamonhangaba 14 22 3 19 0 1 2 7 6 6 29 62 0.468 1912 2105 0.908

Resultados[editar | editar código-fonte]

Para um dado resultado encontrado nesta tabela, a linha se refere ao mandante e a coluna, ao visitante.

  APC BVC CRU FLO FUN MIN RJX SBE SES UJF VFO VRE Pos
Rio Grande do Sul APC APAV Canoas 3–1 0–3 3–1 3–0 2–3 3–0 3–2 1–3 3–0 3–0 3–1
São Paulo BVC Brasil VC 1–3 0–3 3–2 3–0 3–1 3–2 1–3 3–2 3–2 3–0 3–2
Minas Gerais CRU ASE Sada Cruzeiro 3–0 0–3 3–2 3–0 3–2 3–2 3–0 0–3 3–1 3–1 3–1
Santa Catarina FLO Floripa EC 0–3 0–3 0–3 2–3 2–3 2–3 3–2 1–3 0–3 3–0 0–3 10º
São Paulo FUN FUNVIC Pindamonhangaba 2–3 1–3 0–3 2–3 2–3 1–3 2–3 2–3 3–2 2–3 2–3 12º
Minas Gerais MIN Minas TC 3–1 3–0 0–3 3–2 3–1 0–3 3–1 1–3 3–1 3–2 3–2
Rio de Janeiro FUN RJX 0–3 3–2 3–2 3–0 3–0 3–1 3–0 2–3 3–0 3–1 3–1
São Paulo SBE ADCM São Bernardo 0–3 0–3 0–3 3–0 3–0 0–3 1–3 3–2 3–1 3–2 3–1
São Paulo SES Sesi-SP 3–0 2–3 3–1 3–2 3–1 0–3 2–3 3–0 3–0 3–0 3–1
Minas Gerais UJF UFJF 2–3 2–3 0–3 2–3 1–3 1–3 0–3 2–3 2–3 3–0 2–3 11º
São Paulo VFO GRER Araçatuba 3–1 1–3 1–3 3–1 3–1 0–3 0–3 3–2 3–1 3–1 3–1
Rio de Janeiro VRE Volta Redonda FC 1–3 3–2 1–3 3–0 3–1 3–1 0–3 3–2 2–3 2–3 3–0

Playoffs[editar | editar código-fonte]

  Quartas-de-final Semifinais Final
                                   
   Rio de Janeiro RJX 3 3  
 São Paulo ADCM São Bernardo 0 0  
   Rio de Janeiro RJX 3 0 3  
   Minas Gerais Minas TC 2 3 1  
 São Paulo Brasil VC 2 1
   Minas Gerais Minas TC 3 3  
     Rio de Janeiro RJX 3
   Minas Gerais ASE Sada Cruzeiro 1
   Minas Gerais ASE Sada Cruzeiro 3 2 3  
 Rio de Janeiro Volta Redonda FC 0 3 1  
   Minas Gerais ASE Sada Cruzeiro 3 3
   São Paulo Sesi-SP 0 0  
 São Paulo Sesi-SP 2 3 3
   Rio Grande do Sul APAV Canoas 3 2 0  

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Melhor atacante Yoandy Leal Minas Gerais ASE Sada Cruzeiro
Melhor bloqueio Maurício Souza Minas Gerais Minas TC
Melhor saque Lucas Saatkamp Rio de Janeiro RJX
Melhor Recepção Murilo Endres São Paulo Sesi-SP
Melhor levantador William Arjona Minas Gerais ASE Sada Cruzeiro
Melhor defesa Sérgio Nogueira Minas Gerais ASE Sada Cruzeiro

Referências

  1. a b c d e Superliga 2012/2013 - Regulamento oficial (PDF) (em português brasileiro) 1-18 pp. CBV (2012). Visitado em 5 de novembro de 2012.
  2. SUPERLIGA MASCULINA 12/13: RJX vence o Sada Cruzeiro e conquista o título da competição CBV (14 de abril de 2013). Visitado em 19 de fevereiro de 2015.
  3. a b Superliga de Vôlei: CBV divulga tabelas da edição 12/13 (em português brasileiro) CBV (5 de outubro de 2012). Visitado em 5 de novembro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]