Superman Lives

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Superman Lives
Super-Homem Vive (Possível) (BR)
Estados Unidos
N/A • Cor • N/A min 
Direção Tim Burton
Roteiro Kevin Smith
Elenco Nicolas Cage
Género Ação
Idioma Inglês
Cronologia
Último
Último
O Homem de Aço
Batman contra Superman
Próximo
Próximo

Superman Lives era para ser o quinto filme do Superman, mas que acabou abortado ainda na pré-produção. O projeto foi iniciado em 1996, tendo a direção de Tim Burton (Batman e Batman: O Retorno), produção de John Peters e roteiro de Kevin Smith (Barrados no Shopping e Procura-se Amy). O filme acabou nunca realizado graças aos desacordos entre Smith, Peters e Burton, e também pela reprovação do público, motivada por grandes modificações que seriam feitas no super-herói.

O Projeto inicial[editar | editar código-fonte]

Em 1996 a Warner Bros. decidiu novamente trazer Superman as telas do cinema. O roteirista escolhido foi Kevin Smith que, apesar de ainda não ser muito cultuado entre os cinéfilos, se declarava uma grande fã do personagem. Smith escreveu o roteiro e várias informações sobre o filme começaram a vazar entre os fãs. Segundo essas informações, o roteiro da película seria baseado na história da Morte e Retorno do Super-Homem, publicados no começo da mesma década, o que agradou em cheio os fãs. Para a direção foi escolhido Tim Burton, consagrado pelos primeiros dois filmes do Batman. Para os fãs era a garantia de uma adaptação aceitavel, como fora feito com o Homem Morcego, mas estavam errados.

O Roteiro de Smith[editar | editar código-fonte]

Kevin Smith entregou o roteiro final a Tim Burton em 1997. De acordo com informações dadas pelo roteirista anos depois do fim do projeto, sabe-se que realmente o filme retrataria a morte e renascimento do Superman, mas misturando no contexto os vilões Lex Luthor e Brainiac.

O Fim de Krypton nas mãos de Brainiac[editar | editar código-fonte]

Na trama, o sistema de inteligência artificial Brainiac chegou a Krypton com o aparente propósito de policiar o planeta. Acontece que o vilão estava interessado em recolher toda a cultura e conhecimento do planeta para si, com o objetivo de criar um corpo próprio. O cientista Jor-El e sua esposa Lara descobrem este plano graças ao computador que haviam desenvolvido, o Erradicador, e percebem que isto levara ao fim de Krypton. Acontece que Brainiac vê no computador de ambos uma fonte inesgotável de força, e começa a absorver sua energia também.

Acontece que o cataclisma do planeta Krypton começa antes do que era esperado, o que deixa Brainiac sem o corpo completamente formado e também sem o computador de Jor-El. Já o cientista, para poder salvar a vida do filho, transforma o Erradicador em uma nave espacial, coloca lá seu filho Kal-El e o mandou para a Terra. Quando chega ao planeta azul, o bebê é adotado pelos Kents, cresce e desenvolve poderes superiores ao de qualquer humano. Já adulto, se transforma no maior defensor da Terra: o Super-Homem.

Após o fim de Krypton, Brainiac se vê obrigado a vagar pelo espaço e absorver a energia de pequenas naves para poder manter uma misera forma antopomórfica. Isso até que, um dia, a nave onde Brainiac esta parasitando recebe uma mensagem de Lex Luthor, pedindo ajuda para combater o último filho de Krypton.

A Morte do Superman[editar | editar código-fonte]

Em Metrópolis, o milionário Luthor se empenha em aprovar, junto ao Congresso, o Wertham Act (nome em “homenagem” a Fredric Wertham), projeto para diminuir a atuação de vigilantes uniformizados. Como a governadora Bree era contra o projeto, Lex Luthor manda o Pistoleiro, velho inimigo do Batman, mata-la. Quando o vilão vai matar a governadora, eis que surge então Superman pela primeira vez no filme.

Após o atentado, Brainiac e Luthor finalmente se encontram e traçam um plano para acabar com o herói. O robô espacial então modifica o uso de uma estação espacial da LexCorp, que iria captar energia do Sol para comercializa-la, e faz com que ela comece a bloquear a luz do astro. Sendo assim, Superman se vê obrigado a enfrentar Apocalipse sem sua fonte de energia, e acaba morrendo.

O funeral do Homem de Aço mobiliza toda a cidade. Batman faz uma aparição especial, emitindo da batcaverna uma mensagem de alento a população de Metrópolis. Surgem então, nos céus da cidade, uma imensa frota alienígena, pronta pra invadir a Terra. Lex Luthor diz a população que Brainiac era mestre do falecido Superman e o único capaz de derrotar a armada extraterrestre, que não passava de uma projeção criada pelos dois.

O Retorno[editar | editar código-fonte]

Graças a hábil eloqüência dos vilões, todos são levados a crer que apenas o bloqueio dos raios solares salvará o planeta. Luthor se transforma no único fornecedor de energia do mundo e Brainiac em herói. Já na Fortaleza da Solidão, Erradicador desperta com a morte de Kal-El e também detecta a presença da inteligência artificial na Terra. Programado por Jor-El para defender a vida do filho, o computador transporta o corpo do Superman para lá, lhe devolvendo a vida.

Enquanto isso, Lois Lane e Jimmy Olsen, do Planeta Diário, investigam as operações da LexCorp, dispostos a expor a fraude para todos.

Interferências[editar | editar código-fonte]

O roteiro agradaria em cheio aos fãs, pois tinha vários elementos das histórias em quadrinhos, mas sempre trazendo algo de novo e melhorado. Acontece que John Peters procurou fazer várias alterações, como não querer que o personagem voasse, pois achava que o efeito de vôo era muito ruim nos outros filmes. A saída encontrada por Kevin Smith foi colocar sempre um estrondo e uma mancha azul e vermelha quando o Superman voasse. Smith tentou manter a história a mais próxima possível do original, apesar das interferências de John Peters e Tim Burton, mas Burton resolveu negar o roteiro, alegando que estava muito próximo dos gibis.

Novo roteiro[editar | editar código-fonte]

Peters e Burton começaram então a criar seu próprio roteiro, modificando drasticamente o personagem. O produtor considerava o uniforme azul e vermelho “muito alegre, muito afeminado” e decidiu que este deveria ser todo negro. Tim Burton concordava com essa visão e achava que, além de não voar, deveria ter um “Supermóvel” e poderes elétricos. Foram apresentados vários possíveis novos uniformes, como um com roupa transparente, que deixava os órgãos internos visíveis. Havia até uma armadura alienígena, toda negra.

O novo roteiro mostrava Brainiac como cria de Jor-El, que renegou o computador após o nascimento de Kal-El. O cérebro eletrônico então destruiu Krypton por ressentimento e o pequeno Super foi obrigado a vir a Terra. Anos depois Brainiac chegou aqui e se fundiu a Lex Luthor, criando a amalgama Lexiac. Este e outros roteiros, considerados ridículos pelos leitores dos gibis, foram sucessivamente negados pela Warner.

Atores[editar | editar código-fonte]

Para o papel-título, Peters queria Sean Penn. De acordo com o produtor, Penn era ideal para o papel graças a seus “olhos de assassino e o carisma de um animal enjaulado”. Mais tarde foi escolhido Nicolas Cage, que, para Burton, poderia interpretar o lado “mais sombrio e homicida do Super-Homem".

Para os fãs do herói, o nome de Nicolas Cage para Superman causou muita estranheza, porém o ator foi várias vezes contra Tim Burton, exigindo o uniforme clássico e a volta do poder de voar.

Para o papel do grande amor de Superman, Lois Lane a atriz Winona Ryder era a preferida para fazer o papel,Jennifer Connelly, Kristy Swanson e Allison Smith foram consideradas para o papel . Já para o papel dos viloes o ator britanico Cary Elwes como Brainiac, Christopher Walken como Lex Luthor e Corey Haim como o Pistoleiro foram os mais cotados. Como Jimmy Olsen, Matt Damon era o preferido para o papel. E houve especulaçoes que o cantor Bob Dylan ia fazer uma participação como Jor-El, também chegou a ser falado o nome do astro Sean Connery, Brian Dennehy, Frank Gorshin e de Peter Boyle provavel dono do papel. Para pequena participaçao de Batman que apareceu em muitos dos projetos, o ator Michael Keaton que já havia feito o personagem anteriormente com Tim, seria iria fazer a pequena participaçao do heroi. Caso não aceitasse iriam procurar um ator mais jovem e menos conhecido para o papel.

O fim do projeto[editar | editar código-fonte]

Em 1998 a Warner Bros. tirou Burton do projeto, que voltou a gaveta. De tempos em tempos novos boatos foram surgindo e chegou-se a pré-produzir um filme onde Superman encontraria o Batman, mas nada saiu do papel.

Só em 2004 foi retomado um projeto sobre o filme com o Superman, mas sem ter nada relacionado com a tentativa anterior.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]