Sven Hedin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sven Hedin
Geografia
Nacionalidade Suécia Sueco
Nascimento 19 de Fevereiro de 1865
Local Estocolmo
Morte 26 de Novembro de 1952 (87 anos)
Atividade
Campo(s) Geografia
Prêmio(s) Medalha Cothenius (1925)

Sven Anders Hedin (Estocolmo, 19 de Fevereiro de 186526 de Novembro de 1952) foi um explorador, geógrafo e geopolítico sueco.

Hedin nasceu em Estocolmo. Entre 1886 e 1892 estudou geologia, mineralogia, zoologia e latim em Estocolmo, Uppsala, Berlim e Halle. Foi aluno de Ferdinand von Richthofen.

Entre a sua graduação em 1892 e 1935 Hedin levou a cabo várias expedições à Ásia Central. Em 1902 foi o último sueco a ser enobrecido com um título hereditário. Tornou-se membro da Academia Sueca em 1913.

As suas realizações incluem a produção dos primeiros mapas detalhados de vastas partes do Pamir, do Deserto de Taklamakan, do Tibete, da antiga Rota da Seda, e dos Himalaias. Aparentemente foi o primeiro a reconhecer os Himalaias como uma cadeia de montanhas única.

Embora fundamentalmente fosse um explorador, Hedin foi também o primeiro a desenterrar ruínas de cidades budistas antigas na Ásia Central Chinesa. Em 1899 descobriu a cidade antiga chinesa de Loulan (Lou-lan) no deserto de Taklamakan. Muitos dos manuscritos por si desenterrados demonstraram ter uma grande importância histórica.

Nas suas expedições posteriores cartografou grandes partes da região montanhosa das terras altas tibetanas mas nunca atingiu o seu grande objectivo: a cidade proibida de Lhasa.

Ele foi um amigo pessoal de Gustavo V da Suécia (e da rainha Vitória de Baden) e prestou-lhes visitas regulares. Ele foi o co-autor (juntamente com Carl Bennedich) do chamado borggårdstalet (o discurso no castelo real) o qual foi lido durante a marcha de suporte ao armamento dos camponeses (bondetåget) à chegada do castelo real. Neste discurso o rei denunciou a a política de defesa do governo (encabeçado por Karl Staaff) que levou à sua resignação.

Expedições[editar | editar código-fonte]

Expedições exploratórias de Sven Hedin entre 1886 e 1935
  • 1885-1886 Primeira viagem à Rússia, Cáucaso, Pérsia, Iraque, e Turquia
  • 1890-1891 Segunda viagem à Pérsia e à Ásia Central
  • 1893-1897 Ásia Central. Ao cruzar o Deserto de Taklamakan só Hedin e dois membros da sua tripulação de quatro homens sobreviveram. Tibete e finalmente Pequim.
  • 1899-1902 Ásia Central. Mapeamento do Tibete. Tentativa sem êxito de atingir Lhasa
  • 1905-1909 Terceira expedição à Ásia Central, em particular aos Himalaias, onde ele passou tempo significativo no Tibete, onde provavelmente foi o primeiro a descobrir o sistema de montanhoso Trans-Himalaio
  • 1914 Viajou por posições militares alemãs na Bélgica, França, Alemanha e Luxemburgo
  • 1926-1935 A chamada expedição sino-sueca (em parte patrocinada pelo governo alemão e pela companhia aérea Lufthansa) ao Deserto de Gobi e à Mongólia. Durante este tempo, também conheceu Chiang Kai-shek, que considerou ser uma pessoa impressionante.