Swing state

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Swing state (Português: estado decisivo) é um termo estadunidense, utilizado pela mídia na cobertura política, para se referir a estados de uma república federativa os quais, durante a eleição presidencial, nenhum candidato possui maioria absoluta nas intenções de voto. São, portanto, os estados que definem a escolha do presidente.

Swing states no Brasil[editar | editar código-fonte]

Na realidade brasileira, o termo é utilizado para identificar estados nos quais um candidato vence no primeiro turno mas tem chances de perder no segundo ou vice-versa. Na eleição presidencial de 2006, por exemplo, Lula perdeu o primeiro turno no Acre, em Goiás, no Distrito Federal e em Rondônia. Conseguir a maioria nesses estados - principalmente em Goiás, o mais populoso deles - foi fundamental para que ele conseguisse a vitória no segundo turno.

Swing states nos EUA[editar | editar código-fonte]

Apesar de se afirmar que a população do Nordeste do país é tradicionalmente filiada ao Partido Democrata, há estados nos quais não há uma maioria absoluta de eleitores democratas e republicanos. Alguns exemplos, com base nas eleições de 2007 que determinaram os membros do Congresso, são New Hampshire e Pensilvânia.