Syncarida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaSyncarida
Taxocaixa sem imagem
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Subfilo: Crustacea
Classe: Malacostraca
Subclasse: Eumalacostraca
Superordem: Syncarida
Packard[1] , 1885
Ordens

Syncarida é uma superordem de crustáceos da classe Malacostraca, constituída maioritariamente por pequenos crustáceos intersticiais que vivem nos espaços entre os grãos de areia. Inclui espécies marinhas, dulçaquícolas e terrestres agrupadas em três ordens (uma das quais extinta)[2] [3] [4] .

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

A superordem Syncarida compreende as ordens Anaspidacea e Bathynellacea[5] [6] , para além da ordem extinta Palaeocaridacea. São reconhecidos 59 géneros, distribuídos por 6 famílias[7] :

Syncarida fósseis são encontrados em depósitos marinhos do Carbonífero e do Permiano.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Os Syncarida diferem dos outros taxa da classe Malacostraca pela ausência de uma carapaça. O primeiro segmento do tórax pode ser fundido com a cabeça. Em consequência, os membros da ordem Anaspidacea têm 7 e os da ordem Bathynellacea 8 segmentos torácicos livres.

A primeira antena (antennula) possui um três segmentos e dois flagelos (flagellum). A segunda antena apresenta dois flagelos, por vezes reduzidos a estruturas vestigiais. A mandíbula geralmente na apresenta partes móveis (lacinia mobilis).

As espécies incluídas não apresentam bolsa para incubação (marsupium), os pereópodes são equipados com protuberâncias e o sexto pleon (segmento abdómen) é muitas vezes fundido com o télson, formando um pleotélson.

A maioria dos Syncarida são pequenos crustáceos intersticiais que habitam os espaços entre os grãos de areia de locais saturados em água. Eles vivem maioritariamente em rios de montanha e pequenas lagoas rochosas, acolhendo-se em tocas de caranguejos de água doce e em turfeiras. Os representantes da família Stygocardididae são espécies cavernícolas cegas (troglóbios ou estigobiontes)[8] .

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Packard A. S. (1886). On the Syncarida, a hitherto undescribed synthetic group of extinct malacostracous Crustacea. Memoirs of the National Academy of Science, Washington 3:123-128.
  2. Coineau, N. (1996). Sous-classe des Eumalacostracés (Eumalacostraca Grobben, 1892) Super-ordre des syncarides (Syncarida Packard, 1885). pp. 897-954 in Forest, J. (ed.) Traité de Zoologie sous la direction de P.-P. Grassé. Tom. 7 Fasc. 2. Généralités (suite) et systématique (céphalocarides à syncarides). Paris : Masson éditeur 1002 pp.
  3. Schminke, H.K. (1982). Syncarida. pp. 233–237 in Parker, S.P. (ed.) Synopsis and classification of living organisms. New York : McGraw-Hill Vol. 2
  4. Schram, F.R. (1986). Crustacea. New York : Oxford University Press xii 606 pp
  5. Syncarida (TSN 89802) (em inglês) . Integrated Taxonomic Information System (www.itis.gov)
  6. Todd Haney (2004). Classification. Natural History Museum of Los Angeles County. Página visitada em August 8, 2007.
  7. Estela C. Lopretto & Juan J. Morrone. (1998). "Anaspidacea, Bathynellacea (Crustacea, Syncarida), generalised tracks, and the biogeographical relationships of South America". Zoologica Scripta 27 (4): 311–318. DOI:10.1111/j.1463-6409.1998.tb00463.x.
  8. Lopretto, E.C. & Morrone, J.J. (1998). Anaspidacea, Bathynellacea (Crustacea, Syncarida), generalised tracks, and the biogeographical relationships of South America. Zoologica Scripta 27: 311-318