Syrigma sibilatrix

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaMaria-faceira
Syrigma sibilatrix no Uruguai

Syrigma sibilatrix no Uruguai
Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Domínio: Eukariota
Reino: Animalia
Subreino: Metazoa
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Infrafilo: Gnathostomata
Superclasse: Tetrapoda
Classe: Aves
Ordem: Ciconiiformes
Família: Ardeidae
Género: Syrigma
Espécie: S. sibilatrix
Nome binomial
Syrigma sibilatrix
(Temminck, 1824)
Sinónimos
Ardea sibilatrix

Syrigma sibilatrix (Tem.), conhecido popularmente como maria-faceira, coaracinumbi e coaracimimbi[1] , é uma ave da família Ardeidae, ordem Ciconiiformes.

Existem duas subespécies: S.s. sibilatrix, do sul, e S.s. fostersmithi, do norte da América do Sul.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Maria-faceira" é uma referência a seu comportamento ativo. "Coaracimimbi" e "coaracinumbi" vêm da junção dos termos tupis kûarasy, "sol"[2] e me'mbi, "flauta"[3] , sendo uma referência a seu canto e a sua coloração amarelada.

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Maria-faceira (Syrigma sibilatrix) à beira de ribeirão - Bonito MS, Brasil (2013)

A maria-faceira mede 53 cm de comprimento e pesa 540 gramas. Apresenta face azul-clara, coroa e crista acinzentadas e bico róseo com mancha azul-violeta na ponta. A plumagem da garganta, pescoço e partes inferiores é amarelada, enquanto o dorso é cinza-claro.

Emite um sibilo melodioso característico durante o voo. É ativo durante o dia e habita paisagens abertas, como campos secos, arrozais, entre outros.

Ocorre da Venezuela e Colômbia ao Paraguai, Bolívia e Argentina. No Brasil, é encontrado do Rio de Janeiro e Minas Gerais ao Rio Grande do Sul.

Ícone de esboço Este artigo sobre Aves, integrado no Projeto Aves é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.1 092
  2. http://tupi.wikispaces.com/YRL+-+textos+-+Nheengarisaua+Retamauara
  3. http://www.aflauta.com.br/