Télson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Esquema de um camarão do género Penaeus com o seu télson destacado em laranja

Em zoologia, chama-se télson a uma peça quitinosa do exosqueleto de alguns artrópodes - particularmente visível nos camarões e lagostas - que se encontra na extremidade do último segmento do corpo. Não é denominado um segmento verdadeiro porque não surge no embrião a partir do teloblasto como ocorre com os segmentos verdadeiros. Nunca possui apêndices, mas uma cauda bifurcada é eventualmente presente. Em camarões, lagostas e outros decápodes formam o leque caudal junto com os urópodes (apêndices do último segmento do terceiro tagma) que serve como uma nadadeira epecializada para a fuga.

Alguma estrutura análoga pode ser vista em determinados grupos de Chelicerados tais como o espeinho caudal dos límulos e a dilatação da extremidade do pós-abdômen onde se localizam as glândulas de veneno dos escorpiões embora o uso do nome telson para estes grupos seja bastante difundido, é questionado por alguns autores que definem o termo especificamente para o tipo de prolongamento pós-segmentar dos crustáceos.[1]

Ícone de esboço Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.



Referências

  1. Karl-Ernst Lauterbach. (1980). "Schlüsselereignisse in der Evolution des Grundplans der Arachnata (Arthropoda)" (em German). Abhandlungen des Naturwissenschaftlichen Vereins in Hamburg 23: 163–327.