Títulos honoríficos japoneses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

No idioma japonês, há um vasto conjunto de títulos honoríficos que servem para dirigir-se a pessoas ou referir-se a estas com respeito. Tais formas de tratamento seguem o nome de um indivíduo, da mesma forma que um sufixo.

Títulos honoríficos comuns[editar | editar código-fonte]

San[editar | editar código-fonte]

San (さん?) é o mais comum de todos e, provavelmente, o mais conhecido fora do Japão. É usado para referir-se a alguém de mesma hierarquia, quer etária, quer profissional. Aplica-se tanto a homens como a mulheres, e a tradução mais próxima ao português é senhor e senhora. Sempre se utiliza na segunda ou terceira pessoa.

Por exemplo, se um operário referir-se a um colega de trabalho de mesmo nível, chamado Arima, este será chamado de Arima-san.

Caso se desconheça o nome e o sobrenome da pessoa que exerça uma profissão, san também poderia ser empregado.

Por exemplo, um açougueiro (肉屋, nikuya?) seria chamado de nikuya-san.

Outro uso do título ocorre quando um integrante de uma entidade refere-se a outra entidade.

Por exemplo, o gerente de uma empresa que quisesse falar sobre outra empresa, nomeada Kojima Denki, poderia mencioná-la como Kojima Denki-san.

Kun[editar | editar código-fonte]

O sufixo 君(kun) é bastante utilizado na relação "superior falando com um inferior" para se referir ao inferior. Também é utilizado entre jovens quando existe alguma intimidade, sendo geralmente utilizado para nomes masculinos.

Chan[editar | editar código-fonte]

Emprega-se Chan (ちゃん?) para demonstrar informalidade, confiança, afinidade ou segurança com a outra pessoa, não obrigatoriamente do sexo feminino. Para acentuar a informalidade, pode-se atribuir chan à inicial da outra pessoa.

Por exemplo, uma mulher chamada Ichitaka pode ser chamada de I-chan por alguém próximo a ela.

Senpai e kōhai[editar | editar código-fonte]

Senpai (先輩?) é o sufixo para tratar colegas mais velhos ou figuras mentoras. Aplica-se a estudantes mais velhos de escolas, a atletas mais experientes, etc.

Kōhai (後輩?) é o contrário de senpai, usado para referir-se aos mais jovens. Porém, não é normal tratar alguém diretamente com este sufixo, pois seria rude. Ao invés de kōhai, é preferível kun.

Sama[editar | editar código-fonte]

Sama (?) é a versão formal de san, sendo utilizado para tratar pessoas de altíssima posição ou importância, como imperadores e deuses. A imprensa japonesa costuma mencionar as mulheres da família imperial japonesa com este tratamento (Masako-sama, por exemplo). Os cristãos japoneses, ao rezarem, chamam Deus de Kami-sama e Jesus de Iesu-sama.

Na comunicação dentro do comércio, é comum ouvir o-kyaku-sama (senhor cliente) de vendedores que querem demonstrar respeito e deferência.

Shi[editar | editar código-fonte]

Shi (?) é usado na escrita formal, para referir-se a uma pessoa que o interlocutor não conhece pessoalmente, mas conhece através de publicações. Aparece em documentos legais, diários, jornais, publicações acadêmicas, entre outros escritos.

Dono/Tono[editar | editar código-fonte]

Tono (殿?), pronunciado Dono quando anexado a um nome, significam "lorde" ou "mestre". São títulos que já não são usados atualmente, embora sejam utilizados, por vezes, em algumas correspondências de negócios. Também se podem ver escritos em diplomas, prêmios e correspondência escrita em cerimônias de chá. Dono e Tono são mais comuns no anime e/ou manga, especialmente naqueles que decorrem em períodos antigos, podendo apresentar um significado de submissão (para mostrar respeito profundo por um "mestre" ou "lorde") ou de igualdade (quando uma pessoa importante se dirige, com grande respeito, a outra do mesmo estatuto, elevando o interlocutor relativamente ao locutor).