Túrin Turambar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Túrin Turambar
Personagem da Terra Média
Raça Homens
Divisão Edain
Família Casa de Hador
Tiítulos Príncipe de Dor-Lómin, Senhor da Dor-Cúarthol
Outros Nomes Neithan,
Gorthol,
Mormegil,
Agarwaen,
Thurin,
Adanedhel,
Turambar,
Negro
Arma Gurthang
Data de Nascimento 464 da Primeira Era
Data de Falecimento 499 da Primeira Era
Primeira aparição
em Livro
O Silmarillion
Personagems Criados por J.R.R. Tolkien


Túrin Turambar, ou simplesmente Túrin é um personagem fictício das obras de J. R. R. Tolkien. Túrin era um homem de Dor-Lómin, que se tornou um herói trágico da Primeira Era. É dito que foi o mais belo homem que já viveu. Também se afirma que foi o maior guerreiro de seu tempo, embora seu pai, Húrin, às vezes seja considerado o maior.

A história de sua vida é contada nas Crônicas dos Filhos de Húrin, o Narn i Chîn Húrin, e no poema épico A Balada dos Filhos de Húrin. Depois da morte do autor, Christopher Tolkien, seu filho, publicou uma versão encurtada de sua história no Silmarillion, no capítulo De Túrin Turambar, e sua versão complementar nos Contos Inacabados. O fim da história, chamado As Viagens de Húrin tornou-se parte do livro A Guerra das Jóias, da série A História da Terra-média.

Em 2007 Christopher publicou um romance à parte, chamado Os Filhos de Húrin. O livro é baseado nos esboços não terminados de Tolkien, que Christopher editou numa versão completa.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Túrin era o único filho homem de Húrin e Morwen. Húrin era um grande guerreiro entre os homens, líder da região de Dor-lómin. Deixou sua casa, sua esposa e seu filho, ainda criança, para lutar nas batalhas que ficaram conhecidas como as Nirnaeth Arnoediad (As Lágrimas Incontáveis), em que houve várias perdas irreparáveis. Ao fim da batalha, o próprio Húrin é capturado e levado para Angband, os domínios de Morgoth , o Grande Inimigo de todos. Lá, Húrin com seu orgulho desafia Morgoth. Furioso, Morgoth lança uma maldição contra Húrin e todos os seus filhos, dizendo que tudo que eles fizerem terá resultados terríveis, e todos com quem eles se envolverem sofrerão conseqüências funestas. Morgoth então prende Húrin numa cadeira no alto das torres Thangorodrim, lançando um encantamento que evita que Húrin morra enquanto a maldição contra seus filhos não se concretiza, e fazendo com que Húrin observe tudo de longe, como se possuísse a visão distante de Morgoth.

Túrin tinha uma irmã menor chamada Urwen, conhecida como Lalaith, que morreu ainda criança devido uma nuvem de pestilência lançada por Morgoth. Quando foi capturado durante a guerra, Túrin ficou com sua mãe Morwen, que o escondeu dos Orientais que Morgoth havia mandado a Hithlum, com medo de que eles pudessem matar o filho ou escravizá-lo. Sem que Túrin soubesse, Morgoth amaldiçoou a família de Húrin.

Quando Túrin tinha nove anos, Morwen o mandou secretamente a Doriath, onde foi tomado como um filho pelo rei daquele reino, Thingol, esposo de Melian, a Maia. Após a partida de Túrin, nasce Nienor, sua irmã, filha de Húrin e Morwen.

Assim que lhe foi permitido, juntou-se a Beleg Arcoforte nos exércitos de Doriath, lutando contra os orcs de Morgoth. Vestia sempre o Elmo-de-dragão de Dor-lómin que era herança da Casa de Hador, e os orcs começaram a temê-lo mais que todos.

Morou por doze anos em Doriath, mas num acidente causou a morte de um dos conselheiros de Thingol, Saeros, que havia provocado e atacado Túrin pelas costas. Ele fugiu antes que pudesse ser julgado pelo rei, encontrando um grupo de proscritos que moravam ao sul de Brethil. Ali ele se identificou como Neithan, o Injustiçado, e tornou-se líder dos proscritos. Enquanto isso, ao conhecer os detalhes dos fatos que levaram à morte de Saeros, o rei Thingol perdoa Túrin e permite que Beleg parta de Doriath em busca dele, carregando consigo a espada Anglachel, considerada maliciosa e famosa por ter sido forjada pelo elfo Eöl, de coração negro.

Após viver em céu aberto por algum tempo, o grupo de Túrin encontra e captura o anão Mîm. Como pagamento de resgate por sua vida, Mîm abriga todo o grupo em sua morada, escavada na colina de Amon Rûdh. Eventualmente, Beleg reencontra Túrin e vive por um tempo com o grupo em Amon Rûdh, que começa a servir como ponto de referência na resistência contra Morgoth, atraindo homens que vagavam sem destino nas terras ao redor.

Ao chegar em Amon Rûdh Beleg entrega a Túrin seu antigo elmo, o Elmo-do-Dragão, e a partir de então as terras ao redor passaram a se chamar Dor-Cúarthol, a Terra do Arco e do Elmo. Lá Túrin adotou o nome de Gorthol, o Elmo do Terror. Muitos juntaram-se a eles, e o Oeste de Beleriand ficou livre do mal por um tempo.

A presença de Beleg em Amon Rûdh causava ainda mais desconforto a Mîm, pois o anão odiava elfos. Eventualmente, Túrin foi traído por Mîm, que capturado após vigia, mostrou aos orcs onde encontrá-los, com o objetivo de se vingar e recuperar sua casa. Seu grupo foi morto e ele foi capturado vivo, para ser torturado em Angband. Beleg sobreviveu, e partiu novamente em busca de Túrin, seguindo os rastros do bando de orcs.

No caminho, nas florestas de Taur-nu-Fuin, dominadas pela sombra do mal, Beleg encontra Gwindor, um elfo que havia conseguido escapar dos tormentos de Angband. Eles continuam a viagem juntos, após Beleg cuidar das feridas de Gwindor. Já entrando nas dunas do deserto de Anfauglith, próximo de Angband, Beleg encontra Túrin, desacordado. Com a ajuda de Gwindor, ele carrega Túrin para longe do acampamento orc. Porém, quando Beleg foi libertar Túrin, a malícia de Anglachel se manifesta, e a espada escorrega de sua mão, espetando o pé de Túrin. Este acorda assustado, pensando ter sido acordado para mais torturas dos orcs. Na escuridão da noite chuvosa, Túrin parte para lutar com a figura desconhecida que supostamente o iria torturar, rouba sua espada e acerta o suposto inimigo com um golpe mortal. Após perceber que havia acabado de matar seu melhor amigo com as próprias mãos, Túrin entra num estado de desespero, quase de loucura, numa espécie de transe. Gwindor então passa a acompanhar Túrin, e o leva até as Fontes do Rio Ivrin, abençoadas pelo Senhor das Águas, Ulmo. Lá, Gwindor lhe dá de suas águas puras e finalmente, Túrin é curado de sua loucura.

Gwindor leva Túrin a seu lar, nas cavernas élficas de Nargothrond. Túrin, procurando evitar sua maldição, esconde seu nome, chamando a si mesmo de Agarwaen, Sujo de Sangue. Anglachel foi reforjada e nomeada Gurthang, Ferro da Morte. Com o passar do tempo, por sua beleza, seu valor e sua sabedoria élfica, Túrin também ficou conhecido como Adanedhel, o Homem-Elfo. Túrin tornou-se chefe conselheiro do rei Orodreth, e sua influência em Nargothrond cresceu até se tornar o líder bélico do reino.

Finduilas, filha do rei Orodreth, apaixonou-se por ele, mas Túrin era impressionado com Finduilas pois ela o lembrava de sua irmã Lalaith, e de seu povo. Para Túrin, Finduilas era como uma rainha. Túrin recusou-se a dizer-lhe seu nome, e ela o chamou de Thurin, o Secreto.

Quando Glaurung, o dragão de Morgoth, atacou a cidade e Túrin, hipnotizado por seu olhar, viu impotente Finduilas passar capturada por ele, e foi forçado a acreditar que Morwen e Nienor estavam sofrendo em Dor-lómin, quando na verdade já haviam fugido de lá e estavam seguras em Doriath.

Quando a notícia da destruição de Nargothrond chega Doriath, Morwen e Nienor precipitadamente saem a procura de Túrin, auxiliados por uma tropa de elfos. Infelizmente, Glaurung, que está habitando os arruinados Salões de Nargothrond, ataca e consegue separa-las de sua escolta élfica. Morwen estava perdida, os Elfos fugiram, mas Nienor é abordada pelo dragão e luta com ele numa batalha de vontades. Ela perde, e Glaurung maliciosamente consegue prendê-la com seu olhar malicioso e põe um feitiço sobre Nienor, fazendo ela esquecer todas suas memórias. Liberta depois de algum tempo do feitiço do dragão, Nienor disperta sem lembrar sequer como se fala, livra-se de suas roupas e se pôe em fuga de um pavor desconhecido para dentro da mata...

Enquanto isso, em Dor-lómin, Túrin encontrou vazia sua antiga casa, mas lá recebeu a informação de que sua mãe e irmã haviam partido há tempos para Doriath. Túrin então procurou por Finduilas, mas os homens de Brethil o informaram que ela fora morta com uma lança no peito.

Túrin passa então a morar em Brethil, adotando seu mais famoso nome: Turambar, o Senhor do Destino. Depois de um tempo, no túmulo de Finduilas ele encontra uma mulher caída. Ele a revigora mas não consegue extrair-lhe nenhuma palavra, somente lágrimas, e por isso a chama de Níniel, Donzela das Lágrimas, que posteriormente se apaixona por Túrin, e ambos se casam.

Quando Glaurung volta a atacar, Túrin toma novamente sua espada e parte para matá-lo. Quando ele consegue, o sangue de Glaurung queima sua mão, e ele desmaia, mas Níniel vem a sua procura e o encontra. Glaurung, com suas últimas forças, desfez seu feitiço, e revela que Turambar é na verdade seu irmão e que seu real nome é Nienor.

Nienor, ao saber disso, atira-se no abismo, caindo nas águas do Teiglin. Quando Túrin acorda, encontra sua mão enfaixada, e descobrindo toda a história, pega sua espada, finca-a no chão e atira-se nela, morrendo. Foi enterrado no lugar onde Glaurung, que foi queimado, jazia. Lá está seu túmulo, com as inscrições em runas de Doriath:

TÚRIN TURAMBAR DAGNIR GLAURUNGA

Túrin, Senhor do Destino, a Perdição de Glaurung.

Abaixo disso está escrito:

NIENOR NÍNIEL

Embora não se saiba aonde seu corpo foi levado pelas águas. Morwen e Húrin encontraram-se nesse mesmo lugar tempos depois, pela última vez, e Morwen também foi enterrada lá.

Foi profetisado por Mandos que no Fim dos Tempos, a Dagor Dagorath Morgoth vai liderar a Batalha Final contra os Valar e os Filhos de Ilúvatar, e que Túrin Turambar irá lhe dar o sopro da morte, com sua espada Gurthang, que será reforjada, exterminando o mal para sempre e, assim, vingar os Filhos de Húrin e todos os Humanos.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Árvore Genealógica[editar | editar código-fonte]

 
 
Bëor
 
 
 
 
 
 
 
Baran
 
 
 
 
 
 
 
Marach
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Boron
 
 
 
Haldad
 
Malach
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Boromir
 
 
 
Haldar
 
Magor
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Bregor
 
 
 
Haldan
 
Hathol
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Bregolas
 
 
 
Halmir
 
Hador
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Belegund
 
Baragund
 
Hareth
 
Galdor
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Rían
 
Morwen
 
Húrin
 
Huor
 
Rían
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Túrin
Turambar
Urwen
Lalaith
Nienor
Níniel
 
 
Tuor
Eladar
 
Idril
Celebrindal
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Elwing
 
Eärendil
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Elros
 
Elrond