TV Alternativa (Paço do Lumiar)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TV Alternativa
Sistema WCS de Comunicação Ltda.
Rua Alpha, Qd. 2, Lote 11, S/N - Loteamento Santa Clara
 Brasil
Tipo Empresa Privada
Cidade de concessão Flag of None.svg Paço do Lumiar, MA
Canais
35 UHF analógico
Outros canais 34 UHF (2007-2012)
Slogan A TV com a cara da ilha
Rede Rede Gazeta
Fundador Wagner Silva
Pertence a Sistema WCS de Comunicação
Proprietário Wagner Silva
Presidente Wagner Silva
Fundação junho de 2007 (7 anos)
Cobertura Grande São Luís e áreas próximas em raio de 80 km
Nome(s) anteriore(s) TV WCS (2004)
Página oficial [1]

A TV Alternativa é uma emissora de televisão brasileira instalada no município de Paço do Lumiar, no Estado do Maranhão. A emissora é afiliada à Rede Gazeta e sintonizada no Canal 35 UHF.

A emissora é a primeira emissora de TV a entrar no ar que não seja instalada na cidade de São Luís e sim no centro da Ilha de São Luís, na zona rural município de Paço do Lumiar.

De propriedade do Sistema WCS de Comunicação, a TV Alternativa é o resultado de uma longa luta pela concessão pública, como é toda luta que empreendem aqueles que não fazem parte “das as grandes empresas já existentes, das famílias que lotearam o sistema de comunicação nacional e dos políticos partidários” para conseguir um espaço para produzir comunicação de interesse popular.

De 2007 até 2012, a TV Alternativa era sintonizada no Canal 34 UHF, quando a emissora mudou para o Canal 35, para dar lugar, o futuro canal digital da TV Brasil Maranhão e não interferir a repetidora da Rede 21 no Canal 33, que atualmente está fora do ar. O slogan utilizado pela emissora no Canal 34 foi “TV Alternativa, a TV com a Cara da Ilha!”, quando a emissora mudou slogan (A Nova Cara da Ilha.) e o logotipo (com a letra A no círculo).

Além da TV Metropolitana, a emissora é mais moderna TV na Grande São Luís, comparado com outras TVs em VHF de São Luís.

História[editar | editar código-fonte]

Início do Sistema WCS[editar | editar código-fonte]

O primeiro passo da futura emissora começa com o surgimento do Sistema WCS, em 1993, que vem construir modo de fazer televisão de modo a envolver todos os profissionais nesta construção.

Nesta lógica, grande parte dos profissionais que atuam na empresa é ainda originária dos momentos iniciais das atividades empresariais do Sistema e foram decisivos no seu desenvolvimento.

A política de recursos humanos tem priorizado a inclusão de profissionais novos, que ainda não tenham passado por grandes veículos e que tenham perfil compatível com a proposta da empresa.

Em 1994, o Sistema WCS passou a produzir o primeiro programa independente Shopping Tudo, na TV São Luís (na época, afiliada à Rede Manchete), de vendas e comércio.

Concessão[editar | editar código-fonte]

O processo de solicitação da concessão da TV Alternativa pelo grupo WCS foi protocolado no primeiro semestre de 1999 e deferido em outubro de 2006, após dezenas de idas e vindas e de sucessivas mudanças na complexa e empedernida burocracia do Ministério das Comunicações, perpassando por vários ministros que por lá despacharam.

Foram 12 viagens à Brasília, diversos apelos aos parlamentares maranhenses ao longo de quase três legislaturas, dezenas de reuniões incontáveis; sucessivas trocas de documentos, autenticações, cópias, petições, alguns momentos de desânimo e tristeza para que, quase por encanto, sair a autorização para o Canal 34 começar a operar.

Essa não é uma realidade para uma casta de privilegiados pelo sistema. Embora o artigo 54 da Constituição proíba parlamentares de terem concessões públicas, “somando-se as duas casas da legislatura (2003-2006) do Congresso, são quase 80 concessionários, sendo 28 senadores (mais de um terço dos titulares do Senado e 51 deputados federais)” de acordo com pesquisa do Instituto de Estudos e Pesquisas em Comunicação.

Canal 34[editar | editar código-fonte]

2004 a 2007: Testes e Fora do Ar[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2004, o canal 34 UHF entrou no ar, com baixa potência e pouco de chuvisco, muito comum nos canais de UHF da ilha de São Luís.

Inicialmente, sem assumir o nome na época (embora com nome de TV WCS, mas nunca exibido na época de lançamento), era espécie de emissora mista de afiliada/repetidora (sem nenhuma veiculações de comerciais, programações própria e independentes locais), retransmitindo apenas a programação da Rede Gazeta de Televisão.

Durante o tempo que ficou ao ar, a emissora mantinha programação no ar por 18 horas (6-24hs) da Rede Gazeta, pois o restante (meia-noite até 6 da manhã) a emissora ficava fora do ar. A transmissão do Canal 34 durou até agosto do mesmo ano, quando saiu do ar, após três meses no ar.

2007: Inauguração[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2007, depois de quase três anos fora do ar, o Canal 34 voltou ao ar com a mesma rede transmitida em 2004, inicialmente apenas caráter experimental, sem nenhuma programação local, assumindo mais tarde com o nome de TV Alternativa.

O que mais surpreendeu aos telespectadores foi a melhor imagem e som, pois ao contrário das emissoras de TVs de UHF em São Luís, com baixa potência e alguns casos recepção muito ruim/péssimo em algumas regiões, se tornou a primeira emissora de televisão em Paço do Lumiar, tendo a melhor imagem e cobertura da região, comparando com outras emissoras de VHF de São Luís. Na época, segundo anuncio própria emissora, o transmissor a cobertura de um raio de pouco mais de 70 km.

Em outubro, entrou no ar o primeiro programa local Shopping Tudo, que também é exibido desde 1994 pela TV São Luís, de segunda à sexta-feira entre 8-10 e 20-22 horas há espaço esportivo, de partidas de futebol maranhense. Também no mesmo horário, é ocupado pelo Shopping Tudo.

2008 a 2012[editar | editar código-fonte]

Em 18 de fevereiro de 2008, entrou no ar outro programa local: Comunidade Urgente, apresentado pelo Fábio Lopes (que havia aceitado o convite).[1] O programa visa ao social e denúncias do descaso em bairros dos municípios da Ilha de São Luís: São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.[2] O programa é ao vivo entre 13hs10min até 14hs, que em março, passou ser reprisado entre 23hs45 até 00h30min, quando encerra a transmissão.[3] No final de junho, o programa sai do ar, quando o apresentador sai da emissora após ter divergências com os proprietários da emissora.[4] Em outubro, Lopes é contratado pela TV Cidade.

Entre agosto até final de setembro, a emissora passa veicular a primeira propaganda eleitoral pela TV na eleição municipal do Paço do Lumiar em 2008, com candidatos do PMDB, PSDB, PDT, PSOL e PSTU,[5] vencida pela Bia Venâncio (PDT).

Com o fim da Taça Cidade São Luís em dezembro, o Shopping Tudo passou ser exibido (20-22hs) até início de janeiro de 2009.

Em janeiro de 2009, a emissora passou exibir partidas de futebol em São Luís entre 20-22hs, com um ou dois dias após realização.

Em 17 de março, a emissora estreou três novos programas locais: a volta do Comunidade Urgente (com novo apresentador, Humberto Martins, recém-saído da TV Cidade às 13hs10min); o Mesa Redonda Local (todas as terças-feiras), com apresentação de Roberto Ramos e França Melo, comentários Marcos Gonçalves e a participação de diversos convidados como jogadores, treinadores, dirigentes, torcedores e cronistas esportivos maranhenses; o telejornal Alternativa News, às 20 horas.[6]

No mesmo ano, estreou o Rota Metropolitana, mais conhecido como RM, às 7 horas. O programa é parecido da Comunidade Urgente, mas diferencia por fazer denúncias de problemas na região metropolitana de São Luís, como buracos nas ruas, avenidas e estradas.

Canal 35[editar | editar código-fonte]

2012[editar | editar código-fonte]

Mudança de Canal em 2012[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de junho de 2012, exatamente às 18 horas e 3 minutos, a TV Alternativa muda o canal 34 para 35. A emissora já havia emitido aviso prévio sobre a mudança do canal durante o mês de junho. Mesmo assim, muitos dos telespectadores que não estão acostumados a ver a emissora, a mudança pegou de surpresa.

O motivo pela mudança é por conta da publicação da portaria de nº 18 do dia 7 de maio de 2012 do Ministério da Comunicações, na qual o canal consignado à TV Brasil Maranhão ao canal 34 (digital), que sofreria interferência da TV Alternativa, se a mesma permanecesse no canal 34 (analógico). Procurada pela imprensa televisiva, a TV Brasil MA informou que não tem previsão para colocar a emissora no ar em sinal digital, pois já possui nas instalações antena pronta para o sinal digital da emissora.

Curiosamente, entre março a maio de 2012, entrou no ar, pelo Canal 33, um canal de retransmissão da Rede 21, que praticamente recebe interferência do Canal 34, por ser baixa potência. Com a mudança, a TV Alternativa deixa de ser sintonizada pelo canal 34 (analógico), para ser sintonizada pelo canal 35 (analógico).

Em 6 de outubro, o Canal 33 voltou ao ar com a mesma rede, sem nenhuma interferência a antiga ocupante do Canal 34, que tem alguma interferência com Canal 35.

Eleições 2012[editar | editar código-fonte]

Entre agosto até início de outubro, a emissora passa veicular a segunda propaganda eleitoral pela TV na eleição municipal do Paço do Lumiar em 2012, com candidatos do PMDB, PSDB, PDT (coligado com PSOL e PSTU) e PR, vencido pelo Professor Josemar (PR), candidato derrotado na eleição 2008.

2014[editar | editar código-fonte]

Em 4 de maio de 2014, entra no ar entre 14 até 15 horas (com reprise aos domingos) o programa de clipes musicais Identidade, apresentado por Daniel de Jesus. O programa já fora apresentado pela TV Metropolitana de São José de Ribamar, que continua fora do ar a mais de um ano.

Instalação e Estrutura[editar | editar código-fonte]

A TV Alternativa não está vinculada a nenhum grupo econômico, político ou religioso. Sua estrutura física e material tem origem no trabalho contínuo e incansável dos sócios, na economia feita ao longo de mais de 15 anos de prestação de serviços ao mercado e na busca permanente pela qualidade e respeito aos clientes, fornecedores e colaboradores. A história e o trabalho provaram aos sócios da TV Alternativa que é possível combinar a prestação de serviços de qualidade com crescimento, mesmo que este não tenha a velocidade propugnada pelo mercado (tão sedutora àqueles empresários mais interessados no ganho fácil).

Como o objetivo sempre foi disponibilizar à sociedade maranhense um Canal de TV que permitisse “criar um contraditório” ao que está no mercado (longe de considerar que “tudo que está ai está errado”), os sócios da TV Alternativa construíram as condições para que, ao conseguir a concessão, esta entrasse no ar em condições de oferecer aos seus telespectadores programação de qualidade, tanto em conteúdo, quanto em imagens e sons.

Para isto, foram construídos estúdios, adquiridos equipamentos de última geração, qualificados e contratados profissionais, contatados parceiros, anunciantes, estudadas, avaliadas e selecionadas programações locais (tudo de forma a preservar a autonomia e independência da TV) sem querer ter, no entanto, a pretensão de estar acima do bem e do mal.

Referências

  1. JOEL JACINTHO (26 de fevereiro de 2008). Microondas (LÍNGUA SOLTA). Jornal Pequeno. Página visitada em 22-08-2012.
  2. http://oimparcial.site.br.com/index.php?option=com_content&task=view&id=19547&Itemid=38
  3. JOEL JACINTHO (17 de junho de 2008). Microondas (Gente da Televisão). Jornal Pequeno. Página visitada em 22-08-2012.
  4. Joel Jacinto (1 de julho de 2008). Microondas (LÍNGUA SOLTA). Jornal Pequeno. Página visitada em 22-08-2012.
  5. Clodoaldo Corrêa (27 de março de 2012). Emissoras aguardam decisão do TSE. O Imparcial. Página visitada em 22-08-2012.
  6. TV Alternativa estreia programa de esportes. Jornal Pequeno (16 de março de 2009, às 9hs20min.). Página visitada em 22-08-2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
-
Canal 34 UHF de Paço do Lumiar
2007 - 2012
Sucedido por
Sem sinal (futura TV Brasil Maranhão HD)