TV Guaíba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
TV Guaíba
Televisão Guaíba Ltda.
Torre da TV Guaíba.
TV Guaíba
Rua Corrêa Lima, 2222
Cidade de concessão Porto Alegre, RS
Canais
2 analógico
Outros canais Canguçu - 8
Osório - 13
Pinheiro Machado - 5
Santa Cruz do Sul - 13
Sapiranga - 22
Torres - 13
Tramandaí - 13
Slogan Televisão nossa para nossa gente
Fundador Breno Caldas (in memoriam)
Fundação 10 de março de 1979
Extinção 1 de julho de 2007 (7 anos)
Prefixo ZYB 622
Cobertura Região Metropolitana de Porto Alegre e litoral norte do Rio Grande do Sul.
Potência 25 kW

A TV Guaíba (também conhecida como TV2 Guaíba) foi uma emissora de televisão brasileira com sede em Porto Alegre, RS.

Fundada em 10 de março de 1979 por Breno Caldas, filho do fundador do jornal Correio do Povo, Caldas Júnior, esteve no ar na capital e região metropolitana com o canal 2 VHF e no litoral com o canal 13 VHF. Foi extinta em 1º de julho de 2007 como resultado da compra da emissora pela Rede Record, dando espaço para a TV Record Rio Grande do Sul, que passou a operar no canal 2 de Porto Alegre.

História[editar | editar código-fonte]

A fundação[editar | editar código-fonte]

A TV Guaíba, canal 2 de Porto Alegre, foi fundada em 10 de março de 1979 por Breno Caldas, filho do jornalista Caldas Júnior, o fundador do jornal Correio do Povo. A primeira transmissão do canal foi feita direto do Hotel Serra Azul, em Gramado, na Serra Gaúcha, do concurso Rainha das Piscinas. [1]

Programação 100% Local[editar | editar código-fonte]

Sem qualquer tipo de afiliação com outras redes nacionais[2] , a TV2 Guaíba destacou-se tanto nos programas regionais com enfoque para o jornalismo, esporte, culinária, variedades e cultura; bem como nos documentários internacionais produzidos pela Transtel (que desde 1999 pertence ao grupo Deutsche Welle). Os filmes e seriados também ocuparam um bom espaço na programação, principalmente produções americanas da Paramount e distribuídas no Brasil pela Network Distribuidora de Filmes.

Na primeira fase da emissora, o canal 2 transmitia sua programação a partir das 17h30min, quando iniciava sua grade diária com um programa educativo produzido pela TVE Brasil do Rio de Janeiro, seguido por um seriado americano. A partir das 19h30min, o Guaíba Ao Vivo entrava no ar. Seguia o modelo de tradicionais programas com quadros de comentários, notícias, esporte e variedades apresentados em canais de Porto Alegre no horário do almoço, como o pioneiro Diário de Notícias, da TV Piratini, canal 5 (atual SBT), do Jornal do Almoço, da TV Gaúcha, canal 12 (atual RBS), e do Portovisão, da TV Difusora, canal 10 (atual Band). O Guaíba Ao Vivo aproveitava o quadro de comunicadores da Rádio Guaíba e do jornal Correio do Povo, como Rogério Mendelski, Adroaldo Streck, João Carlos Belmonte, Edegar Schmidt, Sérgio Jockymann, Carrion Jr. além de Ivette Brandalise, José Fontela, Sérgio Schueller, Gustavo Motta e Paulo Nilson. A atriz Suzana Saldanha apresentava o primeiro quadro do programa, com entrevistas e assuntos de interesse feminino ou cultural, mas perdeu o emprego quando a emissora entrou em sua segunda fase, em 31 de março de 1981.

Os jovens tinham aos sábados o TV2 Pop Show, apresentado por Cascalho Contursi. Aproveitava vinheta de programa homônimo da TV Cultura de São Paulo. A TV Guaíba reciclou várias vinhetas e aberturas do também canal 2, só que de São Paulo, usando o apelido TV2.

Quando a TV Difusora foi comprada pela Rede Bandeirantes, a maior parte da programação local foi extinta. Com isso, a Guaíba, que contratara Sérgio Reis (que havia inaugurado a TV Piratini na década de 1950), arrematou os grandes nomes do canal 10 e passou a transmitir já desde as 10h30min. O primeiro programa local a entrar no ar na nova fase, foi o Guaíba Feminina, apresentado de segunda à sexta das 11h30min às 14h30min, apresentado por Tânia Carvalho, Magda Beatriz, Liliana Reid, Marina Conter e Aninha Comas.

Tânia Carvalho era um dos nomes mais conhecidos da televisão do Rio Grande do Sul, desde que voltara de São Paulo, onde havia sido parte do grupo em volta do cineasta Glauber Rocha, com seu marido e pai de seu filho Fabiano, o ator Geraldo Del Rey. Tânia apresentara o quadro Variedades, ao lado de Célia Bier, no Jornal do Almoço, da TV Gaúcha, depois tendo se transferido para o concorrente da Difusora, Portovisão. Em sua estreia na Guaíba vestiu uma bata verde que cobria a barriga grávida de seu segundo filho, com o empresário Felício dos Santos, Diogo, que nasceria semanas depois. Magda Beatriz era apresentadora do noticiário Câmera 10, da TV Difusora, que ia ao ar diariamente nos fins de noite, com enfoque local. Liliana Reid havia trabalhado no programete infantil Clubinho Gaúcha Zero Hora, do canal 12, e veio para a Guaíba com seu marido, o diretor de programação Sérgio Reis. Marina Conter tinha trabalhado décadas antes na TV Piratini como garota-propaganda, vendendo produtos nos intervalos comercais, ao vivo, da época. Aninha Comas era cozinheira profissional, popular entre as socialites porto-alegrenses.

Em abril de 1981, entrou no ar o Guaíba Criança, que preenchia as tardes com desenhos animados e brincadeiras infantis. O ator Roberto de Oliveira se tornou o Remendão, que apresentava o programa, no primeiro ano com a atriz Cássia Aguiar e, a partir do segundo ano, com Vera Mucilo. Crianças que mandassem cupons recortados do Correio do Povo ou da Folha da Tarde podiam ser convidadas para a plateia do programa e concorrer ao vivo aos famosos quindins dados por Remendão.

O horário nobre, criado por Sérgio Reis, tinha, a partir das 21h30min, logo após o Guaíba ao Vivo, várias programas locais. Nas segundas ia ao ar o debate esportivo Cadeira Cativa, apresentado por Armindo Antonio Ranzolin. Nas terças tinha o programa de entrevistas políticas Espaço Aberto, apresentado por Amir Domingues. Outros programas da fase de ouro da emissora foram o Vox Populi, de entrevistas, o Pergunte a Guaíba, apresentado pelo professor de Língua Portuguesa Édson de Oliveira, do cursinho Pré-Vestibular Universitário, respondendo perguntas dos telespectadores e o Viajando com a Guaíba, apresentado por Ernani Behs.

A TV2 Guaíba ainda ficou marcada pela transmissão de corridas de cavalos, durante pausas comerciais, nas tardes de sábados e domingos, provavelmente graças ao fato de o dono, Breno Caldas, ser dono de um haras e um ávido investidor em turfe.

As noites de sábado da emissora, no início da década de 1980, eram preenchidas pelos seriados Columbo, MacMilan e Esposa ou McLoud, na sessão Os Detetives, seguidas pelo Cine 2.

Quando a Caldas Júnior faliu, o jornalista e dramaturgo Sérgio Jockymann tomou as rédeas da emissora por vários meses, antes do empresário da soja Renato Bastos Ribeiro comprar a empresa. Durante a fase em que Jockymann dirigiu o canal, ao meio-dia ia ao ar o programa Aqui e Agora, no formato tradicional de programa com quadros de comentários, notícias, esportes e variedades. Logo após, ele colocou no ar, com o produtor Claudinho Pereira, o programa de entrevistas culturais Magda Beatriz, apresentado pela mesma. O Guaíba Feminina passou a ser apresentado nos finais de tarde, pela filha de Lasier, Marla Martins, Isabel Ibias e Aninha Comas. O programa Clip Clap, de videoclipes, era apresentado por Gaio Fontela. As noites eram preenchidas por seriados e pelo Guaíba Notícias. Semanalmente, José Fontela emprestava apenas sua voz para o programa de entrevistas A Nova Face do Rio Grande.

Com a compra por Ribeiro, Jockymann e sua programação foram substituídas e o dramaturgo foi aos tribunais exigir indenização de Ribeiro pelos seus gastos perdidos. Jockymann entrou para a lista negra do canal, nunca mais aparecendo em suas imagens, mesmo tendo sido, por anos, importante vereador de Porto Alegre.

Alguns dos destaques da programação local da TV2 Guaíba, depois da compra pela família Ribeiro, foram o jornalista Flávio Alcaraz Gomes com o seu programa Guerrilheiros da Notícia, que ia ao ar diariamente das 19h as 20h15min; Clovis Duarte com o Câmera 2, que entrava no ar a partir das 22h30min; o médico e jornalista Abraão Winogron com o semanal Medicina e Saúde; José Silvas com o Atividade, diariamente ao meio-dia; Marlei Soares com o Palavra de Mulher, que era apresentado durante a semana a partir das 16h25min, Luis Carlos Reche com o Cadeira Cativa e João Bosco Vaz com o Encontro com o Esporte, exibido aos sábados. Jair Silva apresentava o Querência. O Projeto Arco-Íris foi programa pioneiro sobre questões ecológicas.

O apresentador de programas esportivos Rogério Amaral passou anos na emissora, com um programa noturno depois do Guerrilheiros da Notícia.

Durante a gestão dos Ribeiro, a TV era dirigida pela irmã do dono, Helena Bastos Ribeiro. Era quase toda alugada aos produtores independentes que eram responsáveis pelas vendas de patrocínios, cedendo uma porcentagem para a emissora.

Entre os seriados famosos que passaram na última fase da TV Guaíba estão: Jornada nas Estrelas, Jornada nas Estrelas: A Nova Geração, James West, Os Três Patetas, JAG-Ases Invensíveis, Missão Impossível, O Barco do Amor, Automan, Sharivan, Machine Man, Google Five, Barrados no Baile, Sabrina - Aprendiz de Feiticeira, com a loira Melissa Joan Hart, Hack e Haunted.

Trocas de controle acionário[editar | editar código-fonte]

Em 1984, a Companhia Jornalística Caldas Júnior faliu por dificuldades financeiras. Dois anos depois, as empresas integrantes do conglomerado foram adquiridas pelo empresário e economista Renato Bastos Ribeiro, que instaurou o Sistema Guaíba-Correio do Povo.

Em 21 de fevereiro de 2007, o diretor-administrativo do Sistema Guaíba-Correio do Povo, Carlos Bastos Ribeiro, anunciou que a TV2 Guaíba, juntamente com a Rádio Guaíba AM e FM, foram vendidas para Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, por R$ 100 milhões. Tanto Carlos Bastos Ribeiro, como a assessoria da presidência da Rede Record (emissora também controlada por Edir Macedo), não se manifestaram a respeito do negócio[3] .

O fim da TV Guaíba[editar | editar código-fonte]

Teatro Record, localizado em São Paulo, SP.

A TV Guaíba saiu do ar à 0h do dia 1º de julho de 2007 e seu último programa foi o Musical. Antes da 0h, foi exibido pela última vez o tradicional encerramento da emissora, um clipe de imagens do Rio Grande do Sul ao som da música Gauchinha Bem Querer, de Tito Madi. Após o encerramento, entrou um slide com a contagem regressiva para a inauguração da Record RS. Durante a contagem regressiva, foram tocadas músicas orquestradas, assim como as que são tocadas na Rádio Guaíba FM desde a sua fundação.

A Record RS entrou no ar às 12h do dia 1º de julho, apresentando um programa especial com reportagens sobre o Rio Grande do Sul, que foi exibido apenas nas regiões antes cobertas pela TV Guaíba. O primeiro programa de rede nacional exibido no canal 2 foi o Tudo é Possível, apresentado por Eliana, atualmente apresentado por Ana Hickmann, extinto no dia 30 de dezembro de 2012, às 16 horas em ponto.

Alguns dos programas da extinta TV Guaíba continuaram no ar em outras emissoras de televisão como a TV Pampa, Ulbra TV, TV Urbana , TV Cristal e Canal 20 da NET Sul. O único programa que permaneceu no canal 2 após a inauguração da Record RS foi o automobilístico Motor Show, apresentado por Renato Rossi, que também participava de outros programas da Record RS e Rádio Guaíba, além de ser responsável pelas páginas de Carros & Motos no jornal Correio do Povo. O Cadeira Cativa, de Luiz Carlos Reche, passou a ser transmitido pela Rádio Guaíba AM, às segundas-feiras, no mesmo horário em que era exibido pela TV Guaíba. Em março de 2008, o Cadeira Cativa voltou à televisão, sendo exibido pela Ulbra TV, e em outubro do mesmo ano, o Motor Show mudou-se da TV Record para a Band RS.

Slogans[editar | editar código-fonte]

  • A imagem do Rio Grande - 1990
  • Televisão nossa para nossa gente - 1993
  • Um canal aberto independente do Rio Grande. No ar, mais uma produção local/atração. - 2003

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Canal 2 VHF de Porto Alegre
1979 - 2007
Sucedido por
Record RS