TV MS Record

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de TV MS)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2011).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
TV MS Record
Rede MS Integração de Rádio e Televisão Ltda.
TV MS Record.jpg
Cidade de concessão Campo Grande, MS
Canais
11 VHF analógico
32 UHF digital
Outros canais 13 - Aquidauana
2 - Bodoquena
10 - Bonito
11 - Corumbá
4 - Dourados
2 - Maracaju
9 - Miranda
8 - Naviraí
2 - Ponta Porã
12 - Rio Brilhante
Slogan Se tem Mato Grosso do Sul, tem Record no ar.
Rede Rede Record
Fundador Ivan Paes Barbosa
Proprietário Organizações Ivan Paes Barbosa
Fundação Fevereiro de 1987
Prefixo ZYA 946
Cobertura Mato Grosso do Sul
Redes anteriores Rede Manchete
Potência 31,6 Kw
Página oficial Diário Digital

A TV MS Record (também conhecida como TV MS, TV Record MS, Rede MS, ou Rede Record MS) é integrante da Rede MS Integração de Rádio e Televisão Ltda é uma emissora de televisão brasileira com sede em Campo Grande, MS. Transmite a programação da Rede Record, além de gerar programas locais. Opera no canal 11 VHF analógico e, em caráter experimental, no canal 32 UHF digital.

História[editar | editar código-fonte]

Rede Manchete[editar | editar código-fonte]

A emissora foi inaugurada em fevereiro de 1987 como TV MS, afiliada à Rede Manchete.

O início da TV MS foi marcado pela produção em massa de programas locais, principalmente jornalísticos. Entre eles, destacavam-se o telejornal Bom Dia Cidade, exibido pela manhã e as duas edições do MS em Manchete, uma ao meio-dia e a outra às 18h30. Passaram pela emissora apresentadores como Armando Tibana, Gladis Linhares, Veruska Donato (atualmente repórter da Rede Globo em São Paulo), Lucimar Lescano, Valéria Saigaly, Karina Maia, Nivaldo Mota e Manoel Afonso.

A novela Pantanal, exibida em 1990, contou com o apoio da TV MS e do governo do Estado do Mato Grosso do Sul. O diretor da novela, Jayme Monjardim, e o autor, Benedito Ruy Barbosa, reuniram-se com o então governador Marcelo Miranda para a preparação logística necessária (destinação de verbas para a produção, auxílio na locação de fazendas, hotéis, etc.). Na época, Mato Grosso também tinha interesses na trama, mas o governo de Mato Grosso do Sul agiu mais rapidamente. Foi a partir dos elevados índices de audiência de Pantanal que a região e o estado começaram a ser conhecidos nacionalmente. Uma reportagem na Revista Manchete acentuou o processo de divulgação.

Rede Record[editar | editar código-fonte]

Em 1995, com a decadência da Rede Manchete (que começava a perder afiliadas), a TV MS passou a integrar a Rede Record. A nova grade reduziu o espaço jornalístico local e aumentou a programação religiosa. O Jornal MS passou a ser exibido em apenas uma edição diária, no início da noite.

Reformulação[editar | editar código-fonte]

2008[editar | editar código-fonte]

No dia 25 de agosto de 2008, na véspera do aniversário de Campo Grande, a emissora passou a se chamar TV MS Record e inaugura a sua nova programação[1] [2] .

Após uma grande reformulação na estrutura jornalística, além da contratação de profissionais da concorrente TV Morena, afiliada da Rede Globo no estado, a emissora estreou o MS Record - 1ª Edição, às 11h00, sob a apresentação de Waléria Leite.

Logo após, às 11h30, entrava no ar, reformulado (o programa já havia estreado em maio do mesmo ano), seguindo o padrão da Rede Record, o Balanço Geral, com o apresentador Waldir Neves, que anteriormente apresentava o programa Tema Livre, da TV Guanandi, afiliada da Band no estado.

Às 18h10, estreou o MS Record - 2ª Edição, com o comando de Carmen Cestari.

A TV MS Record passa a contar também com um repórter de rede, Sirley Pires, vindo da Record Minas, que passou a ser responsável pelas matérias que serão veiculadas no telejornais da Rede Record, como o Fala Brasil e o Jornal da Record.

Ainda em 2008, no mês de novembro, a TV MS Record estreou o Record Rural[3] , sob o comando de Carmen Cestari e Osmar Bastos, diretor de jornalismo da emissora, que anteriormente já havia apresentado um telejornal com temática rural na TV Morena.

2009[editar | editar código-fonte]

Em 31 de março de 2009, foi ao ar o último Balanço Geral. A emissora não renovou o contrato dos apresentadores e o programa foi extinto.

Em 27 de abril de 2009, o jornalismo da TV MS Record passa por nova reformulação. No MS Record - 1ª Edição, Glaura Villalba[4] sucede Waléria Leite na apresentação e Regina Müller na editoria-chefe. E no MS Record - 2ª Edição, Juliana Lanari[5] sucede Carmen Cestari na apresentação e Danielly Escher na editoria-chefe, que é a partir de agora editora.

Em 13 de maio de 2009, é anunciada a contratação do jornalista Rodrigo Moterani[6] , como editor-chefe e apresentador do programa Balanço Geral, dividindo a apresentação com o radialista Alcides Bernal. A estreia do programa seria no dia 29 de junho, com exibição das 11h30 às 12h30, mas a data de estreia foi mudada para 17 de Agosto de 2009[7] . Nesse mesmo dia, estreia o Record Rural - Diário, um boletim rural diário.

Na semana em que a emissora completou 1 ano de reformulação, foi exibida uma série de reportagem intitulada "TV MS Record - 1 ano de mudança" nos telejornais MS Record 1ª e 2ª Edições e outra série em homenagem aos 110 anos de Campo Grande.

Em 22 de dezembro de 2009, é anunciada a contratação do deputado estadual e jornalista Maurício Picarelli[8] , seu programa, o Picarelli com Você, migrou da TV Guanandi para a TV MS Record em 18 de janeiro de 2010, quando Picarelli estreou na emissora de Ivan Paes Barbosa.

OAB em Debate[editar | editar código-fonte]

A Rede MS de Rádio e Televisão foi pioneira a transmitir pela televisão (TV MS Record), rádio (Rede MS de Rádio) e internet (Portal MS Record) um debate em 28 de setembro de 2009 entre os candidatos à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seccional Mato Grosso do Sul, Ary Raghiant Neto e Leonardo Duarte. Um segundo debate foi realizado em 26 de outubro, também às 18h. Nos dois debates, o mediador foi o jornalista Ogg Ibrahim, repórter da TV Record São Paulo e que já trabalhou no Estado e participou da reformulação da emissora.

2010[editar | editar código-fonte]

Em 11 de janeiro, uma nova reformulação: o cenário do MS Record, muito criticado por ser semelhante ao do concorrente MSTV muda[9] , e o telejornal ganha um formato mais dinâmico[10] . A bancada foi abolida, e as apresentadoras caminham pelo estúdio, chamam os repórteres ao vivo, comentam as notícias e recebem convidados e colunistas. Em vista disso, o concorrente MSTV - 1ª Edição adota parte do formato[11] : os apresentadores passaram a apresentar a chamada de pé e se revezam caminhando pelo estúdio.

Em 18 de janeiro, estreia o programa Picarelli com Você, com Maurício Picarelli. Em vista disso, a programação matutina/vespertina da emissora passa por mudanças. Picarelli entra no ar com seu programa às 11h00, às 12h30, entra no ar o MS Record - 1ª Edição[12] , logo após, às 13h00, o Balanço Geral.

Em 23 de janeiro, estreou o programa Estilo de Vida, com a jornalista e apresentadora Carmem Cestari, ex-apresentadora do MS Record - 2ª Edição.

Em 1º de fevereiro, é anunciada a contratação das jornalistas Ellen Genaro e Neiba Ota[13] . Ellen apresentava o MS Rural, na concorrente TV Morena e Neiba era repórter do Correio do Estado e já foi editora do extinto Toda Prosa, sendo todos da também concorrente TV Campo Grande.

A partir de 8 de fevereiro, Ellen Genaro será a editora-chefe e apresentadora do MS Record - 2ª Edição, substituindo Juliana Lanari, que a partir desta data passará a ser repórter da TV MS Record.

Em abril, a emissora contrata a jornalista Luciana Vicente, ex-repórter da TV Morena de Dourados e ex-apresentadora da edição local do MSTV. Luciana passa a ser repórter da TV MS Record em Campo Grande e editora do MS Record 2ª Edição.

Em 28 de abril, a emissora inaugura uma sucursal em Corumbá[14] [15] .

Devido à legislação eleitoral, em 25 de junho, o programa Picarelli com Você sai do ar, devendo retornar em outubro. Em seu lugar, estreou em 28 de junho o Programa da Família, com a apresentação de Magali Picarelli.

Por causa da propaganda eleitoral obrigatória (de 17 de agosto a 2 de outubro de 2010), a grade de programação da emissora passa por mudanças. O Programa da Família passa para o horário das 10h45, E o MS Record - 1ª Edição, às 12h50. À noite, o Balanço Geral abre a programação noturna às 18h10, logo após, o MS Record - 2ª Edição, mais curto, vai ao ar às 18h40. E para suprir o pouco espaço do telejornal noturno, a emissora estreia o MS Record Notícias, um boletim noticioso de cinco minutos apresentado por Ellen Genaro[16] .

Em dezembro, o apresentador do Balanço Geral, Rodrigo Moterani é contratado pela TV Record Bauru[17] .

2011[editar | editar código-fonte]

Em janeiro, a gerente de jornalismo da TV MS Record, Ana Raquel Copetti, é contratada pela Record Goiás[18] . Em seu lugar, assume Ellen Genaro[19] .

Em fevereiro, reestreia o MS Record - Edição de Sábado.

Em outubro, estreia o programa Picarelli Debate, com a apresentação de Maurício Picarelli[20] .

Acrissul em Debate[editar | editar código-fonte]

A Rede MS de Rádio e Televisão seria pioneira a transmitir pela televisão (TV MS Record) e rádio (Rede MS de Rádio) um debate em 5 de junho de 2011 entre os candidatos à presidência da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Francisco Maia e José Lemos Monteiro. O mediador seria o jornalista Cadu Bortolot, apresentador da Rádio Cidade de Campo Grande[21] . Por força de um liminar da Justiça, que suspendeu a eleição[22] , o debate foi cancelado[23] .

2012[editar | editar código-fonte]

Em janeiro, o Picarelli com Você estreia novo cenário. Semanas depois, o MS Record 2ª Edição sai do ar e o Balanço Geral entra em férias. No dia 30, o Balanço Geral reestreia sob o comando de Maurício Picarelli, apresentador do Picarelli com Você e Picarelli Debate.

Em março, a emissora começa a publicar em várias mídias (jornais impressos e o Diário Digital, pertencente à Rede MS, chamadas de um programa automotivo. Nos dias seguintes, confirma-se: o programa se chamará Auto News, a ser apresentado por Paulo Cruz e Scheila Canto, que têm coluna com esse mesmo tema no Diário Digital. A estreia foi marcada para o dia 11, às 11 da manhã. Esse programa já havia sido exibido na então TV Campo Grande (atual SBT MS), apresentado por Ogg Ibrahim.

Em 11 de março, a TV MS Record estreia o programa Auto News, apresentado por Paulo Cruz[24] .

Em julho, a repórter Daniely Escher retorna à TV Morena.

2013[editar | editar código-fonte]

Em novembro, o jornalista André Navarro, então na TV Morena, assume o comando da sucursal da TV MS Record em Corumbá.

Diário Digital[editar | editar código-fonte]

O Portal MS Record faz parte do departamento de jornalismo da TV MS Record, com atualização de notícias em tempo real. O editor-chefe é o jornalista Marcelo Varela.

Programação local[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a Rede Record, a TV MS Record produz[carece de fontes?] e exibe os programas "Picarelli com Você" (policial, apresentado por Maurício Picarelli), "Record Rural"[25] , "Balanço Geral", "Auto News", "Vivendo a Vida" e o telejornal "MS Record". Adere à Rede Fuso da emissora após o Jornal da Record.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]