Tablatura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Exemplo de tablatura numérica para vihuela do livro "Orphenica Lyra" de Miguel de Fuenllana (1554). Números em vermelho (no original) indicam a parte vocal.

Tablatura (ou tabulatura) é uma forma de notação musical, que diz ao intérprete onde colocar os dedos em um determinado instrumento em vez de informar quais notas tocar.

A tablatura é na maior parte da vezes (mas não exclusivamente) encontrada para instrumentos de cordas trasteados, em cujo contexto é geralmente chamada, no universo anglo-saxão, pela forma reduzida tab (exceto para alaúde). É frequentemente usada para violão, guitarra elétrica, baixo elétrico, alaúde, arqui-alaúde, teorba, angélique, mandora e vihuela, mas em princípio pode ser usada para qualquer instrumento de cordas trasteados, inclusive o ukulele, o bandolim, o banjo e a viola da gamba - assim como muitos aerofones de palheta livre como a harmônica. Enquanto atualmente a tablatura é mais usada para notar música rock e pop, é frequentemente vista na música folclórica e era muito comum na Europa durante os períodos da renascença e do barroco. (No contexto da tablatura moderna para guitarra ou violão, a notação musical padrão é geralmente chamada de 'notação na pauta' — apesar das tablaturas também serem escritas em uma 'pauta').

Três tipos de tablatura para órgão também foram usadas na Europa: a alemã, a espanhola e a italiana. Existem também vários tipos de tablatura para ocarina.[1] Tablatura para harpa também foi usada na Espanha e no País de Gales. Um uso alternativo (alguns diriam incorreto) da expressão inglesa tab é comum na Internet, e se refere às chamadas cifras (para a harmonia), ou às notas (para a melodia).

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra tablatura remete ao latim: tabulatura. Tabula é uma tábua, prancha ou lousa em latim. Tabular alguma coisa significa colocá-la em uma tábua, prancha ou lousa.

Ortografia[editar | editar código-fonte]

Há duas ortografias frequentes, com (tabulatura) e sem "u" (tablatura). Enquanto tabulatura é mais próxima da palavra original em latim, e assim mais correta etimologicamente, a versão adaptada tablatura parece estar mais espalhada, ao menos no inglês moderno. Tabulatura é considerada a ortografia "clássica" e é usada com mais frequência em círculos acadêmicos, particularmente em relação ao alaúde, enquanto tablatura é mais encontrada no contexto da música popular.

E como são palavras relativamente longas (para os padrões da língua inglesa), são com frequência substituídas pela contração tab no inglês coloquial. Para ser menos ambíguo, é precedida pelo nome do instrumento (i.e. guitar tab, bass tab, organ tab) quando necessário.

Origem[editar | editar código-fonte]

O primeiro registro que se tem de sua existência na Europa é por volta de 1300. Na Ásia existem tablaturas muito mais antigas.

Tablaturas para alaúde eram de três principais variedades: francesa, italiana (também bastante usada na Espanha, Baviera e sul da França) e a alemã. Uma variedade especial de tablatura italiana, chamada "napolitana" esteve em uso no sul da Itália, e uma variedade polonesa da tablatura francesa aperece em um único manuscrito. A tablatura francesa gradualmente passou a ser a mais usada. Tablaturas para outros instrumentos também eram usadas desde a Renascença. Tablaturas para teclado floresceram na Alemanha entre 1450 e 1750 e na Espanha entre 1550 e 1680. Muito da música para alaúde e outros instrumentos históricos de cordas pinçadas durante a renascença e o barroco eram originalmente escritas em tablatura, e muitos intérpretes modernos desses instrumento ainda preferem esse tipo de notação, muitas vezes usando facsímiles das impressões originais ou manuscritos, cópias manuscritas, edições modernas em tablatura ou versões feitas com o auxílio de programas de computador.

Conceitos[editar | editar código-fonte]

Enquanto notação musical padrão representa o ritmo e a duração de cada nota e a sua altura relativa à escala baseada em uma divisão em doze partes (tons) da oitava, a tablatura é mais 'operacional', indicando quando e onde colocar os dedos para gerar uma nota, de forma que a altura é denotada implicitamente. Os símbolos rítmicos da tablatura dizem quando iniciar uma nota, mas quase nunca há uma indicação precisa de quanto tempo ela deve durar, então, a duração fica muito mais a critério do intérprete do que na notação convencional. Por isso é comum dizer que a tablatura é uma notação prescritiva e a notação convencional (em pauta), descritiva.

A tablatura para cordas pinçadas é baseada sobre uma representação em diagrama das cordas e trastes do instrumento. A de teclado mostra as teclas do instrumento e a de flautas mostram que furos devem ser mantidos abertos ou fechados.

Exemplo[editar | editar código-fonte]

Neste esquema, as linhas representam as cordas (da mais aguda para a mais grave) e os números representam a casa em que a corda deve ser pressionada e ferida.

Exemplo: (introdução de "Stairway to Heaven", do Led Zeppelin)
e|-------5-7-----7-8-----8-2-----2-0---------0--------------|
B|-----5-----5-------5-------3-------1---1-----1-----0-1-1--|
G|---5---------5-------5-------2-------2---------2---0-2-2--|
D|-7-------6-------5-------4-------3-----------------2-2-2--|
A|---------------------------------------------------2-0-0--|
E|----------------------------------------------------------|

Com alguns sinais mais sofisticados, a tablatura pode ainda denotar o tempo das notas e as articulações.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.