Takelot II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Títulatura de Takelot II inscrito em uma pilastra no Templo de Ptah em Karnak.

Takelot II foi um rei da XXII dinastia egípcia sucedeu a seu pai Osorkon II em 850 a.C. e reinou até 825 a.C. teve um reinado bastante conturbado tendo os senhores feudais ganho muito poder. Conseguiu no entanto manter a estabilidade no sul do reino, onde Nimlot, seu meio irmão se encontrava no poder em Tebas como Sumo Sacerdote de Ámon. Nimlot consolidara a sua posição avançando em direcção ao norte até à cidade de Heracleópolis e colocando no poder à frente daquela cidade o seu filho Ptahuedjankhef.

Ainda para reforçar o seu poder casou a sua filha Karomama II com Takelot II, consolidando assim uma ligação entre o norte e o sul, tornando-se sogro do seu meio irmão. Karomama II terá sido enterrada em Tebas, uma vez que apareceram algumas suas figuras uchabti de vidrado verde provenientes de Tebas.

No ano 11 do reinado de Takelot II surgiram problemas a este monarca com a morte de Nimlot, pois surgiu a questão da sua sucessão no lugar de Sumo Sacerdote de Ámon o que causou guerra aberta. Tebas, conduzida por um Horsaisis que pretendia descender do rei seu homónimo,e se revoltou contra a escolha de Takelot II: o seu filho, o príncipe Osorkon. Ptahuedjankhef, governador em Heracleópolis, deu apoio à decisão de Takelot II, garantindo ao príncipe Osorkon uma rota fácil para o sul, passando pelo seu território e fortaleza. Os rebeldes, apanhados foram aniquilados, os seus chefes executados, e os seus corpos quimados para impedir a sua vida no além. A paz durou pelos 4 anos seguintes, até que no ano 15 do reinado de Takelot II o Egipto foi de novo avassalado por uma guerra civil. Esta guerra durou quase 10 anos.

Quando Takelot II morreu foi enterrado em Tânis, onde o seu sarcófago foi encontrado por Pierre Montet, num caixão que tinha sido reutilizado na antecâmara do túmulo de Osorkon II, seu pai. O príncipe herdeiro Osorkon não sucedeu seu pai no trono do Egipto, dado que o seu irmão mais novo Chechonq tomou o poder e se proclamou faraó.

Titulatura[editar | editar código-fonte]

Nome de Sa-Rá
Hieroglifo
G39 N5
Z1
<
M17 Y5
N35
N36
H8
Z1
Q1 V13
V31
D21
Z1
N17
U33
>
Transliteração ṯkrt.ṯ sȝ-ȝst mrj-Jmn
Transliteração (ASCII) tkrt sA-Ist mri-Imn
Transcrição Takelot Sa-aset Meriamun
Tradução "Takelot, o filho de Ísis amado de Amon."
Nome de Nesut-bity
Hieroglifo
M23
X1
L2
X1
<
N5 S1 L1 N5
U21
N35
R8 S38 R19
>
Transliteração hḏ-ḫpr-rˁ stp.n rˁ nṯr hḳȝ wȝst
Transliteração (ASCII) HD-xpr-ra stp.n-ra nTr-HqA-wAst
Transcrição Hedjkheper-rá Setepenrá Netjer Hekawaset
Tradução "Luminosa é a manifestação de . O eleito de Rá, divino regente de Tebas."
Nome de Hórus
Hieroglifo
G5
E2 D40 N28 G17 R19 X1
O49
Srxtail.jpg
Transliteração kȝ nḫt ḫˁ m wȝst
Transliteração (ASCII) kA nxt xa m wAst
transcrição Kanakht Khaem-waset
Tradução "O touro poderoso que aparece radiante à Tebas."


Referências[editar | editar código-fonte]

  • A Mitologia Egípcia, Gama Editora, Dep. Legal nº 157043/00, 1ª edição Junho de 2001. (Portugal)
  • Os Faraós, Gama Editora, Dep. Legal nº 157042800, 1ª edição Setembro de 2001. (Portugal)
  • Maravilhas do Egipto, Gama Editora, Dep. Legal nº 157013/00, 1ª edição Março de 2002. (Portugal)


Precedido por
Osorkon II
Faraó
XXII dinastia
Sucedido por
Shoshenk III


Ícone de esboço Este artigo sobre um Faraó é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.