Taoudenni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Taoudenni
—  Cidade  —
Lajes de sal das minas de Taoudenni empilhados no cais no porto de Mopti
Lajes de sal das minas de Taoudenni empilhados no cais no porto de Mopti
Localização de Taoudenni na região de Tombouctou
Localização de Taoudenni na região de Tombouctou
Taoudenni está localizado em: Mali
Taoudenni
Localização de Taoudenni no Mali
22° 40' N 3° 59' O
País Mali
Região Tombouctou
Fuso horário GMT (UTC+0)

Taoudenni é um vilarejo remoto situado em um oásis no nordeste do Mali, conhecido por suas minas de sal, existentes há mais de mil anos.[1]

O sal é extraído de antigos lagos que secaram há milênios. Para isso, são usados machados arcaicos. A vila abriga centenas, talvez milhares, de escavações manuais (ativas e inativas), com aproximadamente 3 - 4 metros, com algumas chegando a dez metros de profundidade. Taoudenni vem lentamente sofrendo um processo migratório, movendo-se para novas bacias salinas a cada vez que uma mina se esgota.[1]

No passado, eram mandados para as minas dissidentes políticos para o exílio, devedores e criminosos (crimes leves). Apesar de hoje os trabalhadores serem livres, são escassamente pagos em sal, o que os força a trocá-lo por comida e água em caminhões-mercado. Já houve um forte do exército malinês em Taoudenni, mas ele foi fechado devido às difíceis condições de vida locais. As temperaturas chegam a 60°C de abril a setembro e a única água potável disponível é adquirida de um poço salinizado. Os mineiros podem ficar apenas seis meses por ano em Taoudenni, por dois motivos. O primeiro é que devido à água local ser salinizada, após seis meses sua ingestão gera cálculos renais. O segundo é que nos meses quentes (abril-setembro) eles não conseguem trabalhar nas altas temperaturas. Estima-se que menos de dez pessoas permanecem em Taoudenni durante os meses quentes.[2]

O sal é transportado até Timbuktu por camelos na rota de caravanas chamada Azalai, uma das últimas rotas ainda ativas no Saara.[3]

Até alguns séculos atrás, a rota Transaariana se estendia de Timbuktu, passando por Taoudenni e Taghaza, outro local com minas de sal, até as terras ao norte do Saara, no Mar Mediterrâneo. Caravanas com mais de 10 000 camelos carregavam ouro e escravos para o sul e roupas, livros, armas e sal de Taghaza e Taoudenni para o norte.[4] Hoje em dia, as rotas perdem força devido à caminhões que fazem o mesmo trajeto em menos tempo e mais eficientemente.

Referências

  1. a b Trench, Richard (1982). Forbidden Sands: A Search in the Sahara (p. 119). Chicago: Academy Chicago. (Obra original publicada em 1978, Londres: J. Murray). ISBN 0-89733-027-7
  2. Trench, Richard (1982). Forbidden Sands (p. 123).
  3. Mali - Azalai - Acessado em 20 de janeiro de 2008
  4. de Villiers, Marq, and Seila Hirtle. (2007) "Space, Time, and Timbuktu". Natural History. 116:6. July/August 2007. ISSN 0028-0712 On-line at [1]