Tapada Nacional de Mafra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tapada Nacional de Mafra
Porta do Codeçal, entrada principal
Localização Concelho de Mafra,Distrito de Lisboa
Dados
Área 1187 ha
Gestão Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade

A Tapada Nacional de Mafra, ou simplesmente Tapada de Mafra é uma área verde situada na freguesia de Sobral da Abelheira, em Mafra, Portugal. É também uma Zona de Caça Nacional.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Com 1187 ha de área, rodeada por um muro de 21 km de extensão, a Tapada de Mafra possui grande diversidade de espécies animais e vegetais, sendo uma área de acesso regulado (pago). A área está dividida em três desde 1828, estando a primeira de 360 hectares sob administração militar.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Tapada de Mafra foi criada em 1747, no reinado de D. João V na sequência da construção do Palácio de Mafra, que lhe é contíguo. Conhecida então como Tapada Real de Mafra, a sua criação teve como objectivo a existência de uma zona de lazer real vocacionada para a caça para entertenimento da família real e da nobreza.

Na actualidade, a zona é ainda usada para a caça, feita de forma limitada, e para turismo rural e lazer.

Fazem parte desta Cooperativa as seguintes instituições:

  • Instituto Nacional de Recursos Biológicos, I.P;
  • Câmara Municipal de Mafra;
  • Direcção Geral dos Recursos Florestais;
  • Liga dos Amigos de Mafra;
  • Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Vale do Tejo;
  • Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade;
  • Clube Português de Monteiros;
  • Federação dos Arqueiros e Besteiros de Portugal;
  • Associação dos Agricultores do Conselho de Mafra - Fundação Alter Real;
  • Evasão Sem Limites Lda.;

Fauna[editar | editar código-fonte]

Veado na Tapada.

A fauna da área é marcada pela presença de espécies usadas na caça desportiva, como o gamo (Dama dama), o veado-vermelho (Cervus elaphus) e o javali (Sus scrofa). Outras espécies de mamíferos presentes são o lobo ibérico (Canis lupus signatus), a raposa (Vulpes vulpes), a doninha (Mustela nivalis) e a gineta (Genetta genetta).

Diversas espécies de aves são encontradas na Tapada. Entre as aves de rapina, conhece-se a existência de alguns espécimens de bufo-real (Bubo bubo), águia de Bonelli (Hieraaetus fasciatus), açor (Accipiter gentilis) e peneireiro-vulgar (Falco tinnunculus), entre outras. Outras aves incluem o gaio comum (Garrulus glandarius), a perdiz (Alectoris rufa), o tentilhão (Fringilla coelebs) e o rouxinol (Luscinia megarhynchos).

A presença de zonas húmidas em toda a Tapada proporciona um habitat para a existência de diversos anfíbios, como a salamandra (Salamandra salamandra), o tritão verde (Triturus marmoratus) e a rela (Hyla arborea). Encontram-se ainda pequenos répteis como a osga (Tarentola mauritanica), a lagartixa comum (Podarcis bocagei) e a víbora cornuda (Vipera latastei), uma espécie venenosa mas não agressiva.

Flora[editar | editar código-fonte]

A diversidade florestal da área é considerada a grande riqueza da Tapada de Mafra.[2] Abundam espécies como o pinheiro-manso (Pinus pinea) e o pinheiro-bravo (Pinus pinaster), o sobreiro (Quercus suber), o carvalho lusitano (Quercus faginea) e o zambujeiro, um tipo de oliveira selvagem (Olea europea var. sylvestris). O eucalipto (Eucalyptus globulus) é também abundante mas não uma espécie desejada na zona, estando a sua erradicação em progresso. Outras árvores presentes na Tapada são o choupo (Populus sp.), o plátano (Platanus sp.), o salgueiro (Salix sp.) e o freixo (Fraxinus sp.).

Fazem parte da flora da Tapada arbustos como a urze (Erica scoparia), a murta (Myrtus communis), a aroeira (Pistacia lentiscus), o pilriteiro (Crataegus monogyna) e o carrasco (Quercus coccifera), assim como o feto Pterydium aquilinum.

Actividades[editar | editar código-fonte]

Na Tapada de Mafra encontram-se instalações de turismo rural, além de espaços para a realização de diversos tipos de eventos. Existem trilhos para percurso pedestre ou BTT e visitas guiadas para observação da fauna e flora.

A caça é permitida em alturas específicas do ano e bastante condicionada, de modo a manter o equilíbrio cinergético da área.

São também organizadas actividades pedagógicas de educação ambiental, com um público-alvo preferencialmente juvenil.

Existem dois museus na Tapada: o Museu da Caça e o Museu dos Carros de Tracção Animal do século XIX.

Acesso ao público[editar | editar código-fonte]

A Tapada Nacional de Mafra é gerida por uma Cooperativa, de gestão independente, tendo por isso de criar as suas receitas para fazer face às despesas inerentes à manutenção e preservação de 819 hectares de Floresta. Assim quem pretenda visitar a Tapada pode fazê-lo escolhendo para isso uma modalidade de visita. Cada modalidade de visita tem o seu preçário e horário definido. Pode-se efectuar um percurso pedestre, de BTT, ou ainda conhecer a Tapada num comboio turístico, entre outras actividades que estão ao dispor. Existem também diversas actividades direccionadas para os grupos escolares.

Referências

  1. Tapada de Mafra > Conheça a Tapada > História > A História da Tapada. Visitado em 2011-05-10.
  2. Conheça a Tapada; Flora www.tapadademafra.pt Tapada Nacional de Mafra - Cooperativa de Interesse Público e Responsabilidade Limitada.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tapada Nacional de Mafra
Ícone de esboço Este artigo sobre espaços verdes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.