Tapeçaria de Bayeux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Extrato da tapeçaria de Bayeux: a Batalha de Hastings (1066).

A tapeçaria de Bayeux é um imenso tapete bordado, datado do século XI, que descreve os eventos-chave da conquista normanda da Inglaterra por Guilherme I da Inglaterra, notadamente a batalha de Hastings(14 de outubro de 1066). Quase a metade das cenas, no entanto, descrevem fatos anteriores à própria batalha. Embora muito favorável a Guilherme o Conquistador (a ponto de ser considerada como uma obra de propaganda), a tapeçaria tem um inestimável valor documental acerca do século XI na Inglaterra e na Normandia, incluindo vestuário, castelos, navios e condições de vida da época. Nesse sentido, constitui-se em um raro exemplo da arte românica profana.[1]

Em 1729 a tapeçaria foi redescoberta por estudiosos, quando estava sendo exibida na Catedral de Bayeux. Atualmente a obra se encontra no Musée de la Tapisserie de Bayeux, na Normandia, e está inscrita desde 2007 na Memória do Mundo pela UNESCO.

Segundo a tradição, o bordado teria sido feito por Matilde de Flandres, rainha consorte de Guilherme, e pelas suas damas de companhia. No entanto, o mais provável é que tenha sido confeccionada numa oficina profissional da Inglaterra ou da França (mas não em Bayeux), na década de 1070, por encomenda do meio irmão de Guilherme, Odo, Bispo de Bayeux e duque de Kent.

O bordado foi feito sobre linho, com lã tingida com vários pigmentos vegetais. A autoria do desenho é atribuída aos monges da Abadia de Santo Agostinho, em Cantuária.[2] A tapeçaria mede cerca de 70 metros de comprimento por meio metro de altura. Nela são representadas cerca de 60 cenas, com tituli em latim. A primeira cena representa Eduardo o Confessor enviando Haroldo à Normandia. As últimas cenas retratam o desembarque de 28 de Setembro e a batalha de Hastings, até à coroação de Guilherme como rei de Inglaterra, no dia de natal de 1066. O modo de disposição dos desenhos é invulgar para a época e faz com que a tapeçaria seja também uma peça importante na história da arte. Alguns historiadores conferem à tapeçaria de Bayeux o estatuto de precursor da banda desenhada (no Brasil, história em quadrinhos).

A secção que representa a batalha de Hastings tem sido estudada por gerações de historiadores militares, como um documento acerca das armas, armaduras e parafernália militar em uso na época. É também um dos relatos disponíveis da batalha, apesar de assumir um ponto de vista obviamente favorável a Guilherme.

Com base na tapeçaria de Bayeux, acreditou-se por muitos anos que Haroldo II de Inglaterra ( ou Harold Godwineson) tivesse morrido com uma seta no olho, durante a batalha. Recentemente, verificou-se que a figura pode ter sido mal identificada. Haroldo corresponderia a uma outra personagem da cena.[3] Outra imagem importante contida na tapeçaria é o Cometa Halley, retratado em destaque por ser interpretado como um prenúncio da ascensão de Guilherme ao trono. De facto, cálculos astronómicos mostram que este cometa esteve visível em 1066.


A tapeçaria de Bayeux em toda a sua extensão.

Referências

  1. Site oficial da Tapeçaria de Bayeux.
  2. The Bayeux Tapestry: A Canterbury Tale, por J.L. Laynesmith. History Today. Volume: 62, n° 10, 2012.
  3. "The Death of Harold Godwinson". Por Joseph Allen McCullough.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Tapeçaria de Bayeux
Ícone de esboço Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.