Tassili n'Ajjer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Tassili n'Ajjer *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Tassili n'Ajjer Landsat.jpg
Imagem de satélite Landsat
País Argélia
Critérios N (ii) (iii) C (i) (iii)
Referência 179
Coordenadas 25º0'N 9º20'E
Histórico de inscrição
Inscrição 1982  (6ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

O sítio arqueológico de Tassili n'Ajjer, no sueste da Argélia, perto das fronteiras com o Níger e a Líbia (23°00'N-26°50'N, 5°20'E-12°00'E), exibe uma das mais importantes colecções de arte rupestre pré-histórica do mundo, com mais de 15 mil desenhos e gravações. Este conjunto retrata as mudanças climáticas, as migrações animais e a evolução da vida humana na orla do Sahara desde 6000 a.C. até aos primeiros séculos da presente era. As formações geológicas são igualmente de beleza impressionante, com montanhas de arenito formando verdadeiras “florestas” rochosas.

Uma parte do sítio (a área de Meddah) foi declarada parque nacional em 1972 e outras áreas foram consideradas monumento histórico em 1979. Este conjunto foi inscrito pela UNESCO em 1982 na lista dos locais que são Património da Humanidade. Em 1986, a área do parque foi ampliada de 300 mil para oito milhões de hectares, quando todo o Planalto de Tassili foi considerado uma Reserva da Biosfera ao abrigo do programa da UNESCO “O Homem e a Biosfera”.

O Planalto de Tassili é hiper-árido, mas contém microclimas sub-áridos onde se podem encontrar relíquias da fauna e flora do Mediterrâneo. Nas montanhas de Hoggar encontram-se os últimos 240 espécimes de Cipreste "tarout", Cupressus dupreziana, ao lado da Oliveira selvagem, Olea lapperinei, e da Murta do Sahara, Myrtus nivelii.

Do ponto de vista da fauna, encontram-se peixes, incluindo quatro espécies de Tilapia e camarões nos cursos de água permanentes, onde já viveu a única população de crocodilos-anões da região; no entanto, estes foram exterminados no século passado. As 23 espécies de mamíferos da área são típicas de climas áridos e incluem o carneiro da Barbária, Ammotragus lervia (que tinha sido considerado extinto na área), o caracal Felis caracal, a chita, Acinonyx jubatus e a gazela Gazella dorcas. Existem algumas espécies localmente ameaçadas, como Ctenodactylus vali e o hyrax Procavia capensis (ou P. syriaca). Os antílopes Hippotragus equinus, Addax nasomaculatus e Oryx dammah desapareceram da região.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]