Tato Gabus Mendes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tato Gabus Mendes
Nome completo Luís Otávio Gabus Mendes
Nascimento 22 de dezembro de 1960 (53 anos)
São Paulo, SP
 Brasil
Ocupação ator
Atividade 1985-atualmente
IMDb: (inglês)


Luís Otávio "Tato" Gabus Mendes (São Paulo, 22 de dezembro de 1960)[1] é um ator brasileiro.

É neto de Otávio Gabus Mendes, filho do autor de telenovelas Cassiano Gabus Mendes, sobrinho do ator Luis Gustavo e irmão do também ator Cássio Gabus Mendes.[1] É casado com a designer Mariana da Silva Telles, e pai de Pedro Gabus Mendes e Luisa Gabus Mendes.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luis Otávio Gabus Mendes, que adotou o nome artístico de Tato Gabus Mendes, nasceu na cidade de São Paulo, em 22 de dezembro de 1960, filho do autor de telenovelas Cassiano Gabus Mendes, sobrinho do ator Luiz Gustavo e irmão do também ator Cássio Gabus Mendes.

Sua estreia na televisão foi na novela Ti Ti Ti (85), autoria de seu pai, interpretando Alex, um dos filhos de Jacques Leclair (Reginaldo Faria). Depois faz a versão original de Sinhá Moça (86), como José, um jovem que se apaixona pela escrava Adelaide, vivida por (Solange Couto).

Mais tarde trabalharia nas novelas de seu pai, como Brega e Chique (87), como Maurício e Que Rei Sou Eu? (89), como Pichot/Lucien, sendo este seu primeiro papel de maior impacto e repercussão, fazendo par com Cláudia Abreu (Juliette). Seguiu-se outros trabalhos como Perigosas Peruas (92), como o atrapalhado Paulinho Pamonha e O Mapa da Mina (93), como Raul Gouveia. Além dessas novelas, fez Fera Radical (88), como Paxá, e Mico Preto (90), como Adolfo, filho de Áurea (Márcia Real).

Em 1994, fez outro de seus melhores sucessos, a novela Quatro Por Quatro (94), como o hipocondríaco Alcebíades, mais conhecido como Alce. Seu personagem inicialmente fez par com Auxiliadora (Elizabeth Savala), e esta descobre que ele a traiu com Elisa Maria (Lizandra Souto). Depois fez a novela O Fim do Mundo (96), como Vadeco, e mais tarde, fez três novelas ao lado de Betty Lago: O Amor Está no Ar (97), como Filipe, Pecado Capital (98), como Valdir e Uga Uga (2000), como Anísio.

Em 2002, faz pela primeira vez uma novela de Antônio Calmon, O Beijo do Vampiro (2002), como o hilário Bartô, fazendo par com Betty Gofman (Amélie) e contracenando pela primeira vez com seu tio Luis Gustavo (Galileu), ambos interpretando pai e filho na trama. Logo, em 2004, faz a minissérie Um Só Coração (2004), como Paulo Prado, e a novela Como Uma Onda (2004), como o mulherengo Pedroca do Espírito Santo, e em 2006, em dose dupla pela segunda vez, faz a minissérie JK (2006), como Júlio Soares e Páginas da Vida (2006), como Leandro, filho de Tide (Tarcísio Meira) e Lalinha (Glória Menezes).

Em 2008, em dose dupla pela terceira vez, faz a minissérie Queridos Amigos (2008), como Fernando, e Tres Irmãs (2008), como Orlando, fazendo par com Beth Goulart (Leonora). Depois faz o remake de Ti Ti Ti (2010), como Breno Rodrigues, e em seguida, fez O Astro (2011), como o inescrupuloso Amin Hayalla, casado com Jamile (Carolina Kasting), mas que tem um caso com a amante Silvia (Bel Kutner). Em 2012, esteve no sucesso Cheias de Charme, como o vilão Dr. Sarmento.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Trair e Coçar é só Começar, 1986 (1ª versão)
  • A Serpente
  • E Aí Comeu?, ou Da Boca Pra Fora
  • Mais Que Imperfeito
  • Arte
  • De Corpo Presente, 2007 [2]
  • Adorei o que Você Fez, 2009 [2]

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.