Tatuapé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Distrito paulistano do
Tatuapé
Área 8,2 km²
População (66°) 75.481 hab. (2010)
Densidade 92,05 hab/ha
Renda média R$ 2.361,96
IDH 0,936 - muito elevado (14°)
Subprefeitura Mooca
Região Administrativa Sudeste
Área Geográfica 3 (norte) e 4 (sul)
Distritos de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg

O Tatuapé é um distrito da Subprefeitura da Mooca, na Zona Leste do município de São Paulo, no Brasil.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome do distrito é de origem tupi e significa "caminho dos tatus", através da junção de tatu (tatu) e apé (caminho)[1] .

História[editar | editar código-fonte]

Foi uma região brasileira pioneira na prática da viticultura, tendo sua primeira vinícola instalada por Brás Cubas em 1551.[2] Esta atividade foi a principal fonte de economia do bairro e atingiu seu apogeu em fins do século XIX, com a instalação das vinícolas de famílias de imigrantes italianos, como as famílias Marengo e Camardo,[3] cujos membros, hoje, emprestam seus nomes a algumas ruas do bairro.

Verticalização do distrito

Formação[editar | editar código-fonte]

A área do distrito, originalmente, abrangia também os atuais distritos do Carrão, Aricanduva e Vila Formosa, que foram se emancipando gradualmente por decretos da prefeitura. Os atuais limites do distrito foram estabelecidos em 1990 pela prefeita Luíza Erundina. Isto fez que o distrito de Carrão perdesse a Estação Carrão do Metrô de São Paulo, já que com essa nova divisão, a estação ficou a poucos metros da divisa com o distrito de Carrão, em território do Tatuapé. De acordo com os mapas oficiais da Prefeitura de São Paulo.[4] Também fez com que o Jardim Anália Franco, considerado tradicionalmente parte do Tatuapé, fosse transferido para o distrito vizinho da Vila Formosa.[5]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento do distrito aconteceu de maneira desigual. Dividido ao meio pela ferrovia, que hoje serve ao metrô e à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, durante a primeira metade do século XX, o lado norte se tornou uma região altamente industrializada, sediando fábricas de empresas como o Grupo Vicunha, a Bosch do Brasil, a Itautec/Philco e a Souza Cruz, enquanto a parte sul era predominantemente rural, ocupada principalmente por fazendas e chácaras.

Típica vila operária do século XX

Nas duas últimas décadas do século XX, as antigas chácaras da parte sul do distrito começaram a ser loteadas para a construção de condomínios residenciais de médio e alto padrão, o que atraiu para o distrito famílias com maior poder aquisitivo, motivando o surgimento de estabelecimentos comerciais e de lazer destinados a atender o novo público da região, cada vez mais sofisticado. Enquanto isso, o norte do distrito se notorizou como uma região de comércio popular e estritamente residencial, de casario baixo, que sofreu com o esvaziamento industrial, deixando galpões abandonados que só começaram a ser desapropriados para o uso residencial em meados da década de 2000, especialmente nas proximidades do Parque do Piqueri.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o distrito concentra uma grande população de idosos. Segundo o Atlas do Trabalho e Desenvolvimento da Cidade de São Paulo, em 2007, o bairro de Vila Azevedo, na região central do distrito, obteve a expectativa de vida mais elevada do município de São Paulo (oitenta anos).[6]

Hoje, o Tatuapé é um dos distritos mais valorizados da cidade de São Paulo.[7] [8] [9] O distrito atualmente encontra-se em processo de verticalização[10] com diversos condomínios de alto padrão concluídos, em lançamentos ou em construção. O distrito, entretanto, tem um baixo índice de áreas verdes por habitante, estimado em 3,86 metros quadrados[11] , muito abaixo, portanto, dos doze metros quadrados recomendados pela Organização Mundial de Saúde.

Evolução demográfica do distrito do distrito do Tatuapé [12]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

O distrito do Tatuapé pode ser considerado um bairro com vida própria, pois possui uma grande variedade de lojas de alto nível, bares, academias, supermercados, faculdades e centros comerciais. Trata-se de um bairro com intensa vida noturna e cultural com teatros de alto padrão como o Teatro Fernando Torres e o Eva Wilma, além de outros como o Silvio Romero. Um dos grande diferenciais do bairro é a ampla gama de restaurantes localizados entre a estação Tatuapé e Carrão até a Rua Emília Marengo. É fácil encontrar padarias de alto padrão por todo o bairro com serviços diferenciados.

Trata-se de um distrito que emprega uma grande parcela de trabalhadores da Zona Leste, especialmente nos condomínios, clínicas e comércio da região. Há diversas clínicas e centros hospitalares abrangendo praticamente todas as especialidades médicas e com grandes hospitais: como o Hospital São Luiz Anália Franco, o Hospital Vitória que possui também uma unidade avançada na Avenida Radial Leste, o Hospital Montemagno e o Hospital Municipal do Tatuapé.

No distrito, estão localizadas duas estações de metrô: Estação Tatuapé e Estação Carrão. Ao lado da estação de metrô Tatuapé, encontra-se a estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, que é dividida por 2 linhas: 11 Coral - Expresso Leste e 12 - Safira. Diversas linhas de ônibus da São Paulo Transporte são encontradas na Radial Leste e em algumas ruas e avenidas do distrito. Muitas delas também estão nos terminais urbanos norte e sul, que estão anexados junto à Estação Tatuapé e com os shoppings Metrô Tatuapé e Boulevard Tatuapé.

O distrito sedia o Sport Club Corinthians Paulista, um dos clubes de futebol mais populares do Brasil, com aproximadamente 30 000 000 de torcedores. Dentro do distrito, está localizado, também, o Parque do Piqueri e o Parque dos Trabalhadores, anteriormente conhecido como Ceret. Ambos possuem amplas áreas verdes para caminhada, lazer além de contar com certa biodiversidade.[13]

Localização[editar | editar código-fonte]

Distritos limítrofes:

Principais Logradouros:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.