Teófilo Stevenson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Teófilo Stevenson
Boxe
Nome completo Teófilo Stevenson Lawrence
Nascimento 29 de março de 1952
Puerto Padre, Cuba
Nacionalidade Cuba cubana
Falecimento 11 de junho de 2012 (60 anos)
Havana, Cuba
Compleição Peso: 95 kg Altura: 1,90 m
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Munique 1972 Peso pesado
Ouro Montreal 1976 Peso pesado
Ouro Moscou 1980 Peso pesado
Campeonato Mundial
Ouro Havana 1974 Peso pesado
Ouro Belgrado 1978 Peso pesado
Ouro Reno 1986 Peso superpesado
Jogos Pan-Americanos
Bronze Cali 1971 Peso pesado
Ouro Cid. México 1975 Peso pesado
Ouro San Juan 1979 Peso pesado

Teófilo Stevenson Lawrence (Puerto Padre, 29 de março de 1952Havana, 11 de junho de 2012) foi um boxeador amador e engenheiro cubano.

Como boxeador, Teófilo veio a ser tricampeão olímpico dos peso pesados e considerado por muitos como o maior boxeador amador de todos os tempos[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai Teófilo Stevenson Patterson era um imigrante anglófono da ilha antilhana de São Vicente e sua mãe Dolores, apesar de nascida em Cuba, era filha de imigrantes procedentes de São Cristóvão. Por isso, Teófilo Lawrence falava inglês com fluência.

Teófilo Patterson também era um boxeador, e Teófilo Lawrence seguiu a mesma carreira mas com ainda mais facilidades do que o pai, pois começou já sob o regime de Fidel Castro, que apoiava fortemente os esportes amadores.

Conhecido como o Gigante del Central Delicias[1] , Teófilo Lawrence conquistou o ouro olímpico em três jogos seguidos (Munique 1972, Montreal 1976 e Moscou 1980) e em diversos campeonatos mundiais amadores, na categoria de pesos pesados (mais de 90 kg). Dos 321 combates de que participou em vinte anos de carreira, venceu 301 e nunca perdeu por nocaute[2] .

Com 1,90 m de altura e peso na média dos 93 kg, é considerado o maior boxeador não profissional de todos os tempos, com os devidos temperamentos ao alegado amadorismo, pois é sabido que nos regimes socialistas da Europa Oriental e de outras partes (como Cuba) os atletas de destaque são patrocinados pelo Estado.

É conhecido que Teófilo recebeu várias ofertas de dinheiro – fala-se em até US$5 milhões – para que se tornasse um atleta profissional nos Estados Unidos. Tais ofertas foram rechaçadas publicamente, o que lhe rendeu uma proteção ainda maior do governo cubano[3] .

Por várias vezes, anunciou-se que Stevenson lutaria contra Muhammad Ali, mas problemas técnicos (número de assaltos e local da luta) e políticos (as relações tensas entre Cuba e Estados Unidos) impediram que lutassem.

Por causa do bloqueio aos países socialistas, Teófilo não esteve presente nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984. Depois de disputar, em 1986, o campeonato mundial em Reno, nos Estados Unidos, decidiu aposentar-se dos ringues[4] e vir a dedicar-se apenas às atividades de engenheiro.

Em 2006, ocupou um cargo de diretor da federação cubana de boxe. Já foi deputado da Assembléia Nacional. Nos últimos anos, ele foi vice-presidente da Federação Cubana de Boxe e trabalhava na Comissão Nacional de Atendimento a Atletas Aposentados e na Ativa do Instituto Nacional de Esportes e Educação Física[2] .

Stevenson morreu em um hospital de Havana em 11 de junho de 2012 aos 60 anos, vítima de um infarto agudo do miocárdio[2] .

Referências

  1. a b Murió el tricampeón olímpico y mundial de boxeo Teófilo Stevenson. Prensa Latina. Página visitada em 12/06/2012.
  2. a b c Morre o ex-boxeador cubano Teófilo Stevenson, tricampeão olímpico. Folha de S. Paulo. Página visitada em 12/06/2012.
  3. Atletas do Século – Boxe: Teófilo Stevenson. Portal Terra. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  4. Estrelas do passado – Teófilo Stevenson Lawrence (CUB). UOL. Página visitada em 22 de novembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]