Teatro ABC

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Teatro ABC.JPG

O Teatro ABC é um teatro localizado no Parque Mayer em Lisboa, Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Em 13 de Janeiro de 1956 pelas mãos do empresário José Miguel nasce o Teatro A B C no espaço onde tinham funcionado o “Alhambra” e o “Pavilhão Português”. Inaugurou-se com a revista “Haja Saúde”. de revista em revista lá o Teatro A B C vai ganhando público em 1960 estreia-se como autor o grande César de Oliveira. É porém em 1963 que nasce uma parceria que faz a renovação da revista à Portuguesa “Gente nova em biquíni” e “Chapéu Alto “ nas quais César de Oliveira trabalhou com Rogério Bracinha e Francisco Nicholson foi aqui que começou a brilhante carreira de Ivone Silva.

José Miguel viria a falecer e o teatro passa a ser explorado pelo então desconhecido Sérgio de Azevedo de 1972 - 1980 (que se viria a tornar um bom empresário teatral, inovador e arrojado) .

Os ventos de mudança fizeram com que Carlos Santos e Manuel Nunes tomassem conta deste espaço em 1980 e remodelassem o teatro A B C todo estreando a revista “REVIRAVOLTA “ de revista em revista grandes nomes da cena Portuguesa passaram por este palco: Maria Adelina,Salvador, Marina Mota, Carlos Cunha, Natalina José, Florbela Queiroz, Nicolau Breyner, Maria Tavares, Vera Mónica, José Raposo, Maria João Abreu, Artur Garcia, Simone de Oliveira, Rita Ribeiro, Henrique Viana, etc

Também autores de nomeada passaram pelo Teatro A B C, César de Oliveira, Rogério Bracinha, Francisco Nicholson, Eduardo Damas, Henrique Santana, Mário Rainho, os notáveis compositores Ferrer Trindade, João Vasconcelos, Carlos Paião, Jorge Machado, Casal Ribeiro, Nuno Nazareth Fernandes.

Um pavoroso incêndio acontece a 13 de Agosto de 1990 que deixou o teatro em escombros

Carlos Santos e Manuel Nunes lutaram, mas devolveram o teatro à cidade, um novo ABC renascia das cinzas .

É com esta revista “Lisboa Meu Amor “ que o teatro ABC voltava a nascer em 1993!

Encerou as suas portas em 1997 após a Revista "Preço Único"

De momento encontra-se em avançado estado de degradação, prevendo-se a sua recuperação graças ao Plano do Pormenor no âmbito da reabilitação do Parque Mayer.