Teatro João Caetano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Dezembro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Teatro João Caetano
Vista aérea do Teatro João Caetano e entorno.
Estilo dominante Neoclássico
Construção 1813
Inauguração 1813
Capacidade 1.222
Geografia
Cidade Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro

O Teatro João Caetano é um tradicional teatro brasileiro, e o mais antigo da cidade do Rio de Janeiro. Está localizado na Praça Tiradentes, sem número[1] , e comporta 1222 pessoas, sendo 651 lugares na plateia, 123 no balcão nobre e 448 no balcão simples.

Histórico do teatro[editar | editar código-fonte]

Pintura de Jean Baptiste Debret (cerca de 1834)
Vista do Teatro Real de São João do Rio de Janeiro, onde se apresentaram várias das obras de Marcos Portugal. Pintura de Jean Baptiste Debret (cerca de 1834).

O primeiro teatro construído no local, com material abandonado destinado à nova , foi inaugurado em 13 de outubro de 1813 e se chamava Real Theatro de São João. A partir daí, o teatro recebeu vários nomes: Imperial Theatro São Pedro de Alcântara, em 1826 e em 1839; Theatro Constitucional, em 1831; e, finalmente, Teatro João Caetano, a partir de 1923.

O primeiro nome foi em homenagem ao príncipe regente, Dom João VI. Sempre em evidência e muito frequentado pela sociedade, o teatro atravessou tragédias e reformas até que, em 26 de junho de 1930, foi inaugurado o prédio atual com o nome de Teatro João Caetano. Em frente ao prédio encontra-se uma estátua em tamanho natural do ator João Caetano, que também foi proprietário do teatro.

De maio de 1978 até março de 1979, o João Caetano passou pela última remodelação. Dessa reforma participaram o arquiteto Rafael Peres, responsável pelo atual projeto do prédio; Fernando Pamplona, na parte cênica de iluminação e mecânica do palco; o engenheiro Roberto Thompson, instalando o sistema acústico; e a supervisão do engenheiro Carlos Lafayette, diretor técnico da Fundação Estadual de Teatros do Rio de Janeiro (Funterj). Em obras por um período de dez meses, foi reinaugurado em 11 de março de 1979, com a apresentação da comédia musical O Rei de Ramos, de Dias Gomes.

Pelo palco do Teatro João Caetano têm sido encenados os mais variados gêneros de espetáculos, desde dramas, recitais, balés, óperas, tragédias, vaudevilles, farsas, sátiras, operetas, concertos, comédias até revistas musicadas, shows etc. Em 25 de junho de 1885 e em 6 de janeiro de 1886 atuaram no João Caetano, respectivamente, as duas maiores atrizes do século XIX: Eleonora Duse e Sarah Bernhard. Foi no João Caetano também que aconteceram grandes montagens de musicais, como My Fair Lady, em 1962, com Bibi Ferreira e Paulo Autran, e Hello Dolly, com a mesma dupla, em 1965.

Fachada[editar | editar código-fonte]

A fachada é toda revestida de mármore branco e vidro blindex fumê, o telhado apresenta telhas francesas e, as velhas portas de correr foram substituídas por portas imensas de vidro blindex fumé, que dão acesso ao hall com piso de granito.

As bilheterias, uma de cada lado, têm dois guichês cada uma, sendo um voltado para fora do teatro, e o outro, para o interior do hall.

Além das duas portas de saída laterais, foram criadas duas outras portas nos dois ângulos do hall principal para permitir a entrada e a saída do público, simultaneamente.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Teatro João Caetano