Teatro de fantoches

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Teatrinho de bonecos (Berlim)

Teatro de fantoches, teatro de bonecos ou teatro de marionetes é o termo que designa, no teatro, à apresentação feita com fantoches, marionetes ou bonecos de manipulação, em especial aqueles onde o palco, cortinas, cenários e demais caracteres próprios são construídos especialmente para a apresentação.

História[editar | editar código-fonte]

O teatro de fantoches é uma antiga forma de expressão artística originada há cerca de três mil anos.[1] Desde então, os bonecos foram usados para animar e comunicar ideias ou necessidades de várias sociedades humanas.[2]

Alguns historiadores defendem que seu uso antecipou os atores no teatro. Evidências mostram que eram utilizados no Egito, em 2000 a.C., com o uso de figuras de madeira operadas com barbante. Bonecos articulados de marfim e argila controlados com cordões também foram encontrados nas tumbas egípcias. Os hieróglifos também descrevem "estátuas que caminham" usadas pelos antigos egípcios em peças teatrais religiosas.[1]

Os escritos mais antigos sobre os bonecos são creditados a Xenofonte em registro datado de 422 a.C..

Técnicas de manipulação[editar | editar código-fonte]

  • Robótica - manipulação com uso da tecnologia moderna[3]
  • Bonecos habitáveis - o boneco é vestido pelo manipulador[3]
  • Associação de gatilho - boneco é acionado à distância com técnica de vara de origem chinesa. Utiliza-se colete, o que permite ao ator trabalhar com bonecos maiores, mas com mãos livres para utilizar manetes e vara[3]
  • Luva-mamulengo - a luva é uma dos tipos da manipulação direta, ou seja, o artista está diretamente ligado ao boneco. A palavra "mamulengo" é uma referência a um folguedo de Pernambuco[3]
  • Objetos - incorporação de elementos para construção da narrativa[3]
  • Títeres de vara - variação de origem chinesa, com utilização de grande número de varas em cada boneco para aumentar as possibilidades de movimento[3]

Teatro de fantoches pelo mundo[editar | editar código-fonte]

Teatro de fantoches persa[editar | editar código-fonte]

Kheime'h-shab-bazi é o nome do tradicional teatro de fantoches persa, executado em uma pequena câmera. Há duas pessoas envolvidas: o artista musical e um outro, denominado morshed. Os diálogos ocorrem entre o morshed e os bonecos. A forma de atuação, as caracterizações e as técnicas de redação dos textos tornam essa forma de teatro de bonecos única e opilanal entre as demais.

Uma variação desse teatro surgiu no Irã, durante a era Qajar, sendo ainda bastante popular naquele país. A ópera de bonecos "Rostam e Sohrab" é o exemplo mais notável desta arte no Irã atual.

Peças e teatros famosos[editar | editar código-fonte]

TeatroDeManipulacao.jpg

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Blumenthal, Eileen (2005). Puppetry and Puppets, Thames & Hudson ISBN 978-0-500-51226-5
  2. Dugan , E.A. Emotions in Motion
  3. a b c d e f Melo, Janaína Cunha. (9 de junho de 2010). Festival Internacional de Bonecos mostra diversidade de técnicas. Jornal Estado de Minas, Caderno EM Cultura, acesso em 10 de junho de 2010
Ícone de esboço Este artigo sobre teatro (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.