Telúrio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Telúrio Stylised Lithium Atom.svg
AntimônioTelúrioIodo
Se
  Hexagonal.png
 
52
Te
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Te
Po
Tabela completaTabela estendida
Aparência
cinza prateado lustroso


Cristal de telúrio ultra-puro. Comprimento de cerca de 2 cm.
Informações gerais
Nome, símbolo, número Telúrio, Te, 52
Série química Semimetal
Grupo, período, bloco 16 (VIA), 5, p
Densidade, dureza 6240 kg/m3, 2,25
Número CAS 13494-80-9
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica 127,60 u
Raio atómico (calculado) 140 pm
Raio covalente 138±4 pm
Raio de Van der Waals 206 pm
Configuração electrónica [Kr] 4d10 5s2 5p4
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 18, 6 (ver imagem)
Estado(s) de oxidação 6, 5, 4, 2, -2 (óxido meio ácido)
Óxido
Estrutura cristalina hexagonal
Propriedades físicas
Estado da matéria sólido
Ponto de fusão 722,66 K
Ponto de ebulição 1261 K
Entalpia de fusão 17,49 kJ/mol
Entalpia de vaporização 114,1 kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor 100 Pa a 1266 K
Velocidade do som m/s a 20 °C
Classe magnética
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling) 2,1
Calor específico 202 J/(kg·K)
Condutividade elétrica S/m
Condutividade térmica 2,35 W/(m·K)
Potencial de ionização 869,3 kJ/mol
2º Potencial de ionização 1790 kJ/mol
3º Potencial de ionização 2698 kJ/mol
4º Potencial de ionização 3610 kJ/mol
5º Potencial de ionização 5668 kJ/mol
6º Potencial de ionização 6820 kJ/mol
7º Potencial de ionização 13200 kJ/mol
8º Potencial de ionização kJ/mol
9º Potencial de ionização kJ/mol
10º Potencial de ionização kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
120Te 0,09% >2,2×1016 a ε ε 1,701 120Sn
121Te sintético 16,78 d ε 1,040 121Sb
122Te 2,55% 122Te é estável com 70 nêutrons
123Te 0,89% >1,0×1013 a ε 0,051 123Sb
124Te 4,74% 124Te é estável com 72 nêutrons
125Te 7,07% 125Te é estável com 73 nêutrons
126Te 18,84% 126Te é estável com 74 nêutrons
127Te sintético 9,35 h β 0,698 127I
128Te 31,74% 2,2×1024 a β 0,867 128Xe
129Te sintético 69,6 min β 1,498 129I
130Te 34,08% 7,9×1020 a β 2,528 130Xe
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O telúrio é um elemento químico de símbolo Te, de número atômico 52 (52 prótons e 52 elétrons) e com massa atómica 127,6 u. É um semi-metal pertencente ao grupo 16 (VIA) da classificação periódica dos elementos. À temperatura ambiente, o telúrio encontra-se no estado sólido. Foi descoberto, no ano de 1782 ou 1783, num minério denominado calaverita por Franz Joseph Müller von Reichenstein, e isolado em 1798 por Martin Heinrich Klaproth. É usado principalmente em ligas metálicas e como semicondutor.

Características principais[editar | editar código-fonte]

O telúrio é um elemento relativamente raro, pertence a mesma família química do oxigênio, enxofre, selênio, e polônio, todos denominados calcogênios.

Quando cristalino, o telúrio é branco-prateado, e quando na forma pura apresenta um brilho metálico. É um semi-metal (metalóide), frágil e facilmente pulverizável. O telúrio amorfo pode ser obtido por precipitação de uma solução de ácido teluroso ou ácido telúrico. Entretanto, existem algumas controvérsias quanto ao fato deste telúrio ser realmente amorfo ou constituído de minúsculos cristais. O telúrio é um semicondutor do tipo que demonstra condutividade maior em determinadas direções, dependendo do alinhamento atômico.

Relacionado quimicamente ao selênio ou ao enxofre, a condutividade do telúrio aumenta ligeiramente quando exposto a luz. Pode ser dopado com cobre, ouro, prata, estanho ou outros metais. O telúrio, quando queimado em presença do ar , produz uma chama azul esverdeada , e forma o dioxido de telúrio (TeO2) como produto. Quando fundido, o telúrio tem a capacidade de corroer o cobre, o ferro e o aço inoxidável.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

A maior parte do telúrio é usado em ligas com outros metais. É adicionado ao chumbo para aumentar a sua resistência mecânica, durabilidade e diminuir a ação corrosiva do ácido sulfúrico. Quando adicionado ao aço inoxidável e cobre torna estes materiais mais facilmente usináveis. Outros usos:

  • Em ferro fundido (ferro de molde) para o controle a frio.
  • Usado em cerâmicas. Adicionado a borracha aumenta a sua resistência ao calor e ao envelhecimento, e é usado como pigmento azul para colorir o vidro.
  • O telúrio coloidal tem ação fungicida, inseticida e germicida.
  • O telureto de bismuto apresenta uso em dispositivos termoelétricos.
  • O telúrio é utilizado na camada refletora de CDs RW, sob a forma de uma liga com a prata, o estanho e o índio (AgSnInTe)

O telúrio também é usado em espoletas de explosivos e apresenta potenciais aplicações em painéis solares como telureto de cádmio. Apesar do aumento de algumas eficiências para a geração de energia elétrica a partir da energia solar tenha sido obtida com a utilização deste material, a sua aplicação não produziu um aumento significativo na demanda.

História[editar | editar código-fonte]

O telúrio (do latim tellus que significa “terra”) foi descoberto em 1782 ou 1783 por Franz Joseph Müller von Reichenstein, na Romênia, a partir de um minério de ouro denominado calaverita (AuTe2) proveniente de uma mina da Transilvânia. Em 1798 foi isolado e nomeado por Martin Heinrich Klaproth.

A partir de 1960 ocorreu um aumento do uso do telúrio na fabricação de dispositivos termoelétricos utilizados em refrigeração e para melhorar as qualidades do aço.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

O telúrio as vezes é encontrado nativo, porém é encontrado freqüentemente na forma de telureto de ouro (calaverita) ou, em pequena quantidade, combinado com outros metais constituindo os minérios altaita, coloradoita, ricardita, pedzita, silvanita e tetradimita. A principal fonte comercial de telúrio é da lama anódica obtida a partir da refinação eletrolítica do cobre. Os maiores produtores mundiais deste elemento são os Estados Unidos (Montana, Utah e Arizona), Canadá, Japão e Peru.

Compostos[editar | editar código-fonte]

O telúrio pertence a mesma série química do enxofre e do selênio, portanto produz compostos similares a estes elementos. Um composto de telúrio com metal, hidrogênio ou íons similares é denominado telureto. Os teluretos de ouro ou prata são considerados os melhores minérios deste elemento.

Isótopos[editar | editar código-fonte]

Existem 30 isótopos conhecidos de telúrio com massas atómicas que variam de 108 a 137 uma. São oito os isótopos naturais estáveis deste elemento (tabela a direita). Os principais isótopos instáveis, com suas meias-vidas são: Te-116 (2,49 horas), Te-117 (1,03 horas), Te-118 (6,00 dias), Te-119 (16,0 horas), Te-121 (16,8 dias), Te-127 (9,4 horas) e o Te-129 (33,6 dias). Aqueles com massa até 121 o modo de decaimento é a captura eletrônica produzindo isótopos de Sb e aqueles acima de 121 com emissão beta produzindo isótopos de I (iodo).

Precauções[editar | editar código-fonte]

Seres humanos expostos a atmosfera com 0.01 mg/m³ ou menos com telúrio adquirem um hálito desagradável e secura na boca. Intoxicações mais elevadas causam dores de cabeça, vertigens e sonolência. O telúrio e seus compostos devem ser considerados tóxicos e, portanto, devem ser manuseados com cuidado.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Telúrio