Televisor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Televisor da Braun (1958).
Televisor da Sony (modelo Trinitron, 1985).
Televisor 3D da Philips (2011).

O televisor é um aparelho designado para receber e exibir sinais de televisão.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1923 Vladimir Zworykin registra a patente do tubo iconoscópico para câmaras de televisão, o que tornou possível a televisão eletrónica. O primeiro sistema semi-mecânico de televisão analógica foi demonstrado em Fevereiro de 1924 em Londres, e, posteriormente, imagens em movimento em 30 de outubro de 1925. Um sistema eletrônico completo foi demonstrado por John Logie Baird e Philo Taylor Farnsworth em 1927. O primeiro serviço analógico foi a WGY em Schenectady, Nova Iorque, inaugurado em 11 de maio de 1928. Os primeiros aparelhos de televisão eram rádios com um dispositivo que consistia num tubo de néon com um disco giratório mecânico (disco de Nipkow) que produzia uma imagem vermelha do tamanho de um selo postal. O primeiro serviço de alta definição apareceu na Alemanha em março de 1935, mas estava disponível apenas em 22 salas públicas. Uma das primeiras grandes transmissões de televisão foi a dos Jogos Olímpicos de Berlim de 1936. O uso da televisão aumentou enormemente depois da Segunda Guerra Mundial devido aos avanços tecnológicos surgidos com as necessidades da guerra e à renda adicional disponível (televisores na década de 1930 custavam o equivalente a 7000 dólares atuais (2001) e havia pouca programação disponível). A televisão em cores surgiu em 1954, na rede norte-americana National Broadcasting Company (NBC).

Em 1960 a japonesa Sony introduz no mercado os receptores de televisão com transistores. A miniaturização chegou em 1979 quando a Matsushita registou a patente da televisão de bolso com ecrã plano.

Tipos de televisores[editar | editar código-fonte]

A televisão em sua forma original e até hoje mais popular, envolve a transmissão de som e imagens em movimento por ondas de radiofrequência (RF), que são captadas por um receptor (o televisor). Neste sentido, é uma extensão do rádio.

Tendo início na década de 1920, a televisão moderna se divide em três tendências distintas:

  • Aparelhos de televisões somente.
  • Sistemas integrados com aparelhos de DVD e/ou Vídeo-game montados no próprio televisor (geralmente modelos menores com telas até 17 polegadas, pois a ideia é ter um sistema portátil completo);
  • Sistemas independentes com tela grande (monitor de vídeo, rádio, sistema de som) para o usuário montar as peças como um home theater. Este sistema interessa aos videófilos e cinéfilos que preferem componentes que podem ser trocados separadamente.

Há vários tipos de monitores ou ecrãs de vídeo usados em equipamentos de televisão modernos. O mais comum são os CRTs para até 40 polegadas diagonais. A maior parte das televisões de tela grande ou ecrã grande (até mais de 100 polegadas) usa tecnologia de projeção. Três tipos de sistemas de projeção são usados em televisão : Tubos de raios catódicos (CRT), LCD (cristal líquido) e circuitos integrados (chips ) de imagem refletida. Avanços recentes trouxeram telas planas ou ecrãs planos aos televisores que usam tecnologia de cristal líquido LCD de matriz ativa ou displays de plasma. Televisores de tela ou ecrã grande e plano têm apenas 4 polegadas de espessura e podem ser pendurados na parede como um quadro. Os televisores de LCD e plasma de hoje possuem em média 7,5 cm de espessura e telas que variam de 3,5 a 65 polegadas. Em 2008 foi lançada a DTV Portátil, com tela de 3,5 polegadas e sintonizador de televisão digital. Muitas marcas atualmente já implantaram decodificador digital nas TVs e utilizam de resoluções Full HD.

Televisores no Brasil[editar | editar código-fonte]

A televisão no Brasil começou em 18 de setembro de 1950, trazida por Assis Chateaubriand que fundou o primeiro canal de televisão no país, a TV Tupi. Na época o alto custo do aparelho televisor - que era importado - restringia o seu acesso às classes mais abastadas.[1] O primeiro televisor montado no Brasil foi pela Sociedade Eletromercantil Paulista (SEMP, hoje Semp Toshiba) em 1951. A massificação do aparelho aconteceu com a instalação de fábricas de televisores na Zona Franca de Manaus com a chegada da multinacional Sharp Corporation!Sharp (1971) e empresas nacionais como a Gradiente e a SEMP, atraídas pelos incentivos fiscais.[2] Em 2006, cerca de 12 milhões de televisores com cinescópio foram produzidos no Polo Industrial de Manaus.[3] Tendo em vista que o Brasil será a sede da Copa do Mundo FIFA de 2014 e Jogos Olímpicos de Verão de 2016, a perspectiva é que, em 2014, o país já seja o terceiro maior mercado mundial de televisores.[4]

Segundo dados de 2006, 96% das casas possuem televisor no país, perdendo somente para o fogão, existente em 97,7% das residências.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "A Televisão Brasileira", Centro Cultural de São Paulo, Pesquisa e texto: Edgard Ribeiro de Amorim, 1998, pág.09.
  2. Indústria de TVs no Brasil completa 60 anos | Manaus | Acritica.com - Manaus - Amazonas acritica.uol.com.br. (2011 [last update]). Página visitada em 9 de outubro de 2011.
  3. Pólo Industrial de Manaus fabrica mais de 9,5 milhões de televisores em dez meses | Agência Brasil agenciabrasil.ebc.com.br. (2011). Página visitada em 9 de outubro de 2011.
  4. LatinDisplay 2011 abinfo.com.br. (2011). Página visitada em 9 de outubro de 2011.
  5. Nove entre dez casas possuem televisor no Brasil noticias.terra.com.br. (2011). Página visitada em 9 de outubro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Commons Imagens e media no Commons