Tempestade tropical Anita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anita
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} South Atlantic Tropical Storm March 2010 track.png
Duração 8 de Março de 2010—12 de Março de 2010
Intensidade 45 nós (83 km/h, 52 mph) 1 min, 995 hPa (mbar)

O Ciclone tropical Anita foi o segundo ciclone oficialmente documentado ocorrido no Atlântico Sul, após o Furacão Catarina. O sistema internacional de monitoramento de ciclones tropicais da Marinha dos Estados Unidos classificou, o ciclone na costa catarinense e gaúcha. A tempestade no mar respondeu pelo código Invest90Q pela Marinha america e Invest90L pelo NOAA. Há quatro anos, nenhum ciclone recebia classificação Invest na costa do Sul do Brasil. Do ponto de vista científico e de previsão, a grande notícia é que com a classificação, os olhos do mundo se voltam para este sistema na nossa costa e passa a surgir uma enormidade de dados indisponíveis antes e em tempo real. O ciclone enquadra-se como tropical ou que seria melhor, no nosso entendimento, como uma Tempestade tropical (ciclone tropical) e que chegou a formar um olho nas imagens de satélite, o que é absolutamente incomum nos ciclones que atuam em nosso litoral.

De acordo com o Serviço Norte Americano de monitoramento de furacões com a velocidade que o ciclone atingiu durante a madrugada ele pode ser classifcado como Tempestade Tropical. De acordo com o Instituto quando a força dos ventos atinge velocidade entre 34 e 63 nós o fenômeno passa a receber essa classificação. E de acordo com o monitoramento da NOAA o fenômeno tem força de 50 nós, ou seja, 85 km/h.