Tempestade tropical Josephine (2008)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tempestade tropical Josephine
Tempestade tropical  (EFSS)
Josephine 3 September 2008.jpg
A tempestade tropical Josephine perto de seu pico de intensidade em 3 de setembro
Formação: 2 de setembro de 2008
Dissipação: 6 de setembro de 2008
Vento mais forte (1 min): 50 nós (93 km/h, 58 mph)
Pressão mais baixa: 994 hPa (mbar) ou 746 mmHg
Danos: Mínimos
Fatalidades: Nenhuma
Áreas afetadas: Cabo Verde e Pequenas Antilhas
Parte da
Temporada de furacões no Atlântico de 2008

A tempestade tropical Josephine foi o décimo ciclone tropical dotado da temporada de furacões no Atlântico de 2008. Josephine formou-se a partir de uma forte onda tropical que deixou a costa ocidental da África em 31 de agosto. A onda ficou rapidamente mais organizada e se tornou uma depressão tropical a cerca de 270 km a sul-sudeste das ilhas de Cabo Verde em 2 de setembro. A depressão se fortaleceu rapidamente e se tornou a tempestade tropical Josephine ainda naquele dia. A partir de então, Josephine seguiu para oeste-noroeste e alcançou seu pico de intensidade em 3 de setembro, com ventos máximos sustentados de 100 km/h, e uma pressão central mínima de 994 mbar. No entanto, intenso cisalhamento do vento e ar seco causaram o enfraquecimento da tempestade. Em 6 de setembro, a combinação do cisalhamento do vento, do ar seco e das águas mais frias levaram Josephine a se enfraquecer para uma depressão tropical. O sistema deteriorou-se numa área de baixa pressão remanescente depois que todas as área de convecção associadas ao sistema se dissiparam. A área de baixa pressão remanescente de Josephine dissipou-se totalmente a leste das Pequenas Antilhas em 10 de setembro. No entanto, a umidade remanescente causou chuvas fortes em St. Croix, Ilhas Virgens Americanas, levando à ocorrência de enchentes localizadas.

História meteorológica[editar | editar código-fonte]

O caminho de Josephine

Josephine formou-se a partir de uma onda tropical que deixou a costa ocidental da África perto do fim de agosto de 2008. A onda seguiu para oeste, e, quando estava passando ao sudeste das ilhas do Cabo Verde, o sistema começou a mostrar sinais de organização. Em 2 de setembro, o sistema, que estava localizado a sul-sudeste de Cabo Verde, já estava suficientemente organizado para ser declarado como uma depressão tropical pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.[1] Assim que a depressão se fortalecia, uma estrutura semelhante a um olho se formou nos níveis altos do sistema. Seis horas após ter se tornando uma depressão tropical, o sistema se fortaleceu para a tempestade tropical Josephine. A tempestade estava numa área com condições meteorológicas excelentes para a sua intensificação, mas era previsto que Josephine iria se fortalecer apenas de modo gradativo.[2]

A tendência de intensificação continuou durante aquela tarde (UTC); com o passar do tempo, a tempestade estava ficando mais simétrica. No entanto, devido à localização da tempestade, não houve meios de se obter dados da velocidade do vento de forma completa, e o Centro Nacional de Furacões estava incerto quanto à real intensidade de Josephine.[3] Apesar da praticamente ausência de cisalhamento do vento em volta da tempestade, o centro de Josephine ficou ligeiramente mais exposto das áreas de convecção e a tendência de intensificação cessou. A tempestade, que seguia para oeste-noroeste sob a influência de uma alta subtropical ao seu noroeste, estava seguindo para uma região onde estava previsto forte cisalhamento do vento provocado por uma área de baixa pressão de altos níveis.[4] Apesar do centro ciclônico de baixos níveis ter ficado mais exposto das áreas de convecção, Josephine conseguiu se fortalecer ligeiramente durante as primeiras horas (UTC) de 3 de setembro, assim que a atividade de temporais ficou mais intensa a sul da tempestade. Com a maior organização do sistema, o centro da tempestade ficou mais bem definido.[5]

A tempestade tropical Josephine exibindo uma estrutura semelhante a um olho em 2 de setembro

Josephine alcançou seu pico de intensidade por volta das 14:00 (UTC) de 3 de setembro, com ventos máximos sustentados de 100 km/h, e com uma pressão central mínima de 994 mbar. No entanto, a partir de então, Josephine começou a mostrar sinais de enfraquecimento. Seus fluxos de saída de altos níveis começou a ficar mais restrito, e arcos de nuvens cirrus começaram a emanar do sistema, indicando a intrusão de ar mais seco.[6] mais tarde naquele dia, a estrutura interna de Josephine começou a se deteriorar rapidamente assim que os efeitos do cisalhamento do vento e do ar seco começaram a ficar mais intensos.[7] Durante aquela noite, o centro de Josephine estava praticamente exposto das áreas de convecção, que estavam confinadas no quadrante norte-nordeste da circulação ciclônica devido ao forte cisalhamento do vento.[8]

Mesmo com a ação do forte cisalhamento do vento, novas áreas de convecção profunda se formaram em associação à tempestade, levando a reformação do centro ciclônico para o interior das mesmas. Com isso, Josephine parou de se enfraquecer e foi previsto que a tempestade manteria estável a sua intensidade, já que era previsto a ligeira diminuição do cisalhamento do vento.[9] No entanto, mais tarde naquele dia, as áreas de convecção associadas à tempestade começaram a se enfraquecer novamente, levando a uma novo enfraquecimento de Josephine.[10] Naquela tarde, Josephine já não apresentava mais áreas de convecção associadas, apenas um pequeno montante de nuvens baixas.[11] Durante aquela noite e durante a madrugada de 5 de setembro, novas áreas de convecção se formaram em associação à tempestade, mas permanecendo confinadas no quadrante norte da circulação ciclônica devido ao forte cisalhamento do vento. Com isso, mais tarde naquele dia, Josephine começou a se intensificar ligeiramente.[12] No entanto, a sua tendência de intensificação foi novamente de curta duração; Josephine começou a se enfraquecer novamente assim que o cisalhamento do vento aumentou.[13]

A tendência de enfraquecimento de Josephine continuou durante toda aquela tarde. A tempestade não apresentava, novamente, áreas de convecção profunda associadas e, por volta das 15:00 (UTC), Josephine era apenas uma tempestade tropical mínima.[14] Com a contínua tendência de enfraquecimento, Josephine se enfraqueceu para uma depressão tropical durante a madrugada (UTC) de 6 de setembro.[15] Josephine não foi capaz de formar novas áreas de convecção devido ao forte cisalhamento do vento e à intrusão de ar seco, e, com isso, se degenerou para uma área de baixa pressão remanescente durante a manhã de 6 de setembro.[16]

No entanto, a área de baixa pressão remanescente de Josephine continuou ativa nos dias seguintes. Em 7 de setembro, novas áreas de convecção se formaram em associação ao sistema.[17] No entanto, no dia seguinte, o cisalhamento do vento voltou a aumentar, desfazendo qualquer tentativa de Josephine se regenerar.[18] Finalmente, em 9 de setembro, a área de baixa pressão remanescente de Josephine se degenerou para um cavado aberto de baixa pressão, a leste das Pequenas Antilhas. O cavado continuou ativo enquanto seguia para noroeste e perdeu totalmente a sua atividade a leste das Bahamas em 14 de setembro.[19]

Preparativos e impactos[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Mais informações podem ser encontradas na página de discussão. Considere também a possibilidade de traduzir o texto das interwikis.

O total de precipitação acumulada provocada pela Josephine poderá variar entre os 50 e 70mm nas Ilhas do sul do arquipélago de Cabo Verde. A umidade remanescente causou chuvas fortes em St. Croix, Ilhas Virgens Americanas, levando à ocorrência de enchentes localizadas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tempestade tropical Josephine (2008)

Referências

  1. Stewart (2008-09-02). Tropical Depression Ten Discussion One (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  2. Knabb (2008-09-02). Tropical Storm Josepine Discussion Two (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  3. Knabb (2008-09-02). Tropical Storm Josephine Discussion Three (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  4. Blake (2008-09-02). Tropical Storm Josephine Discussion Four (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  5. Roberts/Pasch (2008-09-03). Tropical Storm Josephine Discussion Five (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  6. Knabb/Rhome (2008-09-03). Tropical Storm Josephine Discussion Six (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  7. Rhome (2008-09-03). Tropical Storm Josephine Discussion Seven (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  8. Blake (2008-09-03). Tropical Storm Josephine Discussion Eight (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  9. Stewart (2008-09-04). Tropical Storm Josephine Discussion Nine (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  10. Beven (2008-09-04). Tropical Storm Josephine Discussion Ten (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  11. Beven (2008-09-04). Tropical Storm Josephine Discussion Eleven (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-04.
  12. Roberts/Knabb (2008-09-05). Tropical Storm Josephine Discussion Thirteen (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-05.
  13. Cangialosi/Blake (2008-09-05). Tropical Storm Josephine Discussion Fourteen (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-05.
  14. Cangialosi/Blake (2008-09-05). Tropical Storm Josephine Discussion Fifteen (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-05.
  15. Berg/Avila (2008-09-05). Tropical Depression Josephine Discussion Sixteen (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-06.
  16. Landsea/Knabb (2008-09-06). Remnant Low Josephine Discussion Seventeen (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-06.
  17. Beven (2008-09-07). Atlantic Tropical Weather Outlook, Area of Interest One (Josephine) (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-07.
  18. Beven (2008-09-08). Atlantic Tropical Weather Outlook, Area of Interest One (Josephine) (em Inglês) Centro Nacional de Furacões. Visitado em 2008-09-08.
  19. Jeff Masters (2008-09-14). Ike finally dies (em Inglês) Wunderground. Visitado em 2008-09-17.

Ciclones tropicais da Temporada de furacões no Atlântico de 2008
J
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5