Temple Grandin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Temple Grandin
Zoologia
Dados gerais
Nome de nascimento Mary Temple Grandin[1]
Nacionalidade  Estados Unidos
Residência  Estados Unidos
Nascimento 29 de agosto de 1947 (67 anos)
Local Boston, Massachusetts, EUA
Atividade
Campo(s) Zoologia
Instituições Colorado State University
Alma mater Franklin Pierce University
Arizona State University
University of Illinois, Urbana-Champaign
Orientador(es) Charles Coulson
Orientado(s) Christopher Bishop, David Wallace
Conhecido(a) por trabalho na indústria pecuária


Mary Temple Grandin é uma mulher com autismo (de alto funcionamento), também conhecido como Síndrome de Asperger, que revolucionou as práticas para o tratamento racional de animais vivos em fazendas e abatedouros. Bacharel em Psicologia pelo Franklin Pierce College e com mestrado em Zootecnia na Universidade Estadual do Arizona, é Ph.D. em Zootecnia, desde 1989, pela Universidade de Illinois. Hoje ministra cursos na Universidade Estadual do Colorado a respeito de comportamento de rebanhos e projetos de instalação, além de prestar consultoria para a industria pecuária em manejo, instalações e cuidado de animais. Atualmente ela é a mais bem sucedida e célebre profissional norte-americana com autismo, altamente respeitada no segmento de manejo pecuário[2] .

Na juventude ela criou a "máquina do abraço", uma engenhoca para lhe pressionar como se estivesse sendo abraçada e que a acalmava, assim como a outras pessoas com autismo. Sua vida foi tema do filme Temple Grandin, em 2010, quando ela foi mencionada pela revista Time na lista das 100 pessoas mais influentes do mundo, na categoria dos "Heróis".[3]

Temple tornou-se uma profissional extremamente bem-sucedida. Projeta equipamentos e instalações para a pecuária. Todos os corredores e currais que desenha são redondos, pois o gado tem mais facilidade em seguir um caminho curvo - primeiro porque, não vendo o que há no fim do caminho, fica menos assustado; segundo porque o desenho curvo aproveita o comportamento natural do animal, que é descrever círculos.[4] Ela faz uma analogia: com as crianças autistas é preciso agir do mesmo modo, isto é, trabalhando a favor delas, ajudando-as a descobrir e desenvolver seus talentos ocultos. Ela já escreveu mais de 400 artigos publicados em revistas científicas e periódicos especializados, tratando de manejo de rebanho, instalações e cuidados dos animais.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Visitando a fazenda de sua tia Ann no Arizona em 1966, Temple inicia seu primeiro contato com animais, que influenciariam sua vida e carreira. A jaula para prender bovinos a inspirou na construção de um aparelho para si própria para se refugiar de seus frequentes ataques de pânico.

Sua mãe Eustácia, mesmo com a recomendação médica de interna-la em uma intituição psiquiátrica, insiste em proporcionar-lhe educação formal. Em uma escola para crianças superdotadas, é encorajada por seu professor de Ciências, o Dr.Carlock. Este percebe seu talento em "pensar em imagens e conecta-las", e a incentiva a prosseguir sua educação em uma universidade.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Double Helix Medal

Principais Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Emergence: Labeled Autistic (com Margaret Scariano, 1986, atualizado em 1991), ISBN 0-446-67182-7
  • The Learning Style of People with Autism: An Autobiography (1995). In Teaching Children with Autism : Strategies to Enhance Communication and Socializaion, Kathleen Ann Quill, ISBN 0-8273-6269-2
  • Thinking in Pictures: Other Reports from My Life with Autism (1996) ISBN 0-679-77289-8
  • Developing Talents: Careers for Individuals with Asperger Syndrome and High-Functioning Autism (2004). ISBN 1-931282-56-0
  • Animals in Translation|Animals in Translation : Using the Mysteries of Autism to Decode Animal Behavior (com Catherine Johnson, 2005), ISBN 0-7432-4769-8
  • The Unwritten Rules of Social Relationships: Decoding Social Mysteries Through the Unique Perspectives of Autism (com Sean Barron, 2005), ISBN 1-932565-06-X
  • The Way I See It: A Personal Look At Autism And Aspergers (2009)
  • Animals Make Us Human: Creating the Best life for Animals (com Catherine Johnson, 2009) ISBN 978-0-15-101489-7

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sy Montgomery. Temple Grandin: How the Girl Who Loved Cows Embraced Autism and Changed the World (em ). [S.l.: s.n.].
  2. a b Carolina Rafols. Temple Grandin fala em entrevista exclusiva para a Revista Autismo Revista Autismo.
  3. Marc Hauser (29 de Abril de 2010). The 2010 TIME 100. In our annual TIME 100 issue, we name the people who most affect our world: Temple Grandin (em inglês) (em inglês) TIME.
  4. Mulher com autismo que pensa como animais é 'encantadora ' de rebanhos [O Estado de S.Paulo] (8 de Agosto de 2012).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Temple Grandin
Ícone de esboço Este artigo sobre um cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.