Temporada de furacões no Atlântico de 1979

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Temporada de furacões no Atlântico de 1979
1979 Atlantic hurricane season map.png
Primeiro sistema1 formado: DT 01 - 30 de maio
Sistemas ativos1: Temporada encerrada
Total de tempestades nomeadas: 12
Total de furacões: 5
Grandes furacões (Cat. 3+): 3
Tempestade mais forte: Gilbert - 295 km/h, 888 mbar
Número de sistemas1 que atingiram terras emersas: 9
Danos totais: 4,27 bilhões de dólares (valores em 1979)
ECA Total:
Fatalidades confirmadas: 2 118
1Inclui depressões tropicais e depressões subtropicais

A temporada de furacões no Atlântico de 1979 foi um evento no ciclo anual de formação de ciclones tropicais. A temporada começou em 1 de junho e terminou em 30 de novembro de 1979. Estas datas delimitam convencionalmente o período de cada ano quando a maioria dos ciclones tropicais tende a se formar na bacia do Atlântico.

A atividade da temporada de furacões no Atlântico de 1979 ficou pouco abaixo da média, com um total de 9 tempestades dotadas de nome e cinco furacões, sendo que dois destes atingiram a intensidade igual ou superior a um furacão de categoria 3 na escala de furacões de Saffir-Simpson.

Em meados de junho, a depressão tropical Um trouxe chuvas torrenciais para a Jamaica, causando mais de 27 milhões de dólares em danos. Em julho, o furacão Bob atingiu a costa da Luisiana, Estados Unidos, causando mais de 20 milhões de dólares em prejuízos. O furacão Bob foi o primeiro ciclone tropical a receber um nome masculino na história após a reforma no sistema de nomenclatura de sistemas tropicais no Atlântico. Em meados de julho, a tempestade tropical Cludette afetou boa parte do Caribe como uma depressão tropical e atingiu a costa do Texas, causando mais de 400 milhões de dólares em danos.

O furacão David foi o furacão mais intenso e devastador da temporada. David afetou boa parte do Caribe como um intenso furacão, atingindo a República Dominicana como um furacão de categoria 5, onde causou mais de 2.000 fatalidades naquele país e no Haiti. David também causou 56 fatalidades em Dominica e 12 nos Estados Unidos, causando mais de 1,5 bilhões de dólares em prejuízos. No início de setembro, a tempestade tropical Elena atingiu a costa do Texas, causando 10 milhões de dólares em danos e duas fatalidades. Dias mais tarde, o furacão Frederic afetou praticamente todo o Caribe e atingiu a costa do golfo dos Estados Unidos como um intenso furacão, causando 2,3 bilhões de dólares em prejuízos e 14 fatalidades.

Nomes das tempestades[editar | editar código-fonte]

Os nomes abaixo foram usados para dar nomes às tempestades que se formaram no Atlântico Norte em 1979. Esta temporada marca a estreia da atual seis listas de nomes para sistemas tropicais no Atlântico, que contém nomes femininos e masculinos. Antes de 1979, apenas nomes femininos eram usados para dar nome a sistemas tropicais no Atlântico. No Atlântico, os nomes são de origem nas línguas inglesa, espanhola e francesa, já que a maior parte desses sistemas atingem países que usam esses idiomas.

  • Henri
  • Isabel (sem usar)
  • Juan (sem usar)
  • Kate (sem usar)
  • Larry (sem usar)
  • Mindy (sem usar)
  • Nicholas (sem usar)
  • Odette (sem usar)
  • Peter (sem usar)
  • Rose (sem usar)
  • Sam (sem usar)
  • Teresa (sem usar)
  • Victor (sem usar)
  • Wanda (sem usar)

Devido aos impactos causados pelos furacões David e Frederic, seus nomes foram retirados e substituídos por Danny e Fabian, que juntamente ao restante da lista, foram usados na temporada de 1985.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o portal:

Referências

  1. 1991 Atlantic hurricane season (em Inglês). Centro Nacional de Furacões (17/12/2002). Página visitada em 13/01/2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre ciclones tropicais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.