Tengboche

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vilagem de Tengboche visto do monasterio
Everest e Ama Dablam vistos de Tengboche

Tengboche (ou Thyangboche) é uma vilarejo na região do Khumbu no nordeste do Nepal, localizada a 3.867 metros (12.687 pés).[1] [2] Na aldeia existe um importante mosteiro budista, o Mosteiro de Tengboche, que é o maior na região do Khumbu.[3] A estrutura foi construída em 1923. Em 1934, foi destruída por um terremoto, mas posteriormente reconstruída. Foi destruída novamente por um incêndio em 1989,[2] e novamente reconstruída com o auxilio de voluntários locais e de ajuda financeira do exterior.

Tengboche tem uma vista panorâmica das montanhas do Himalaia, incluindo os conhecidos picos de Tawache, Everest, Nuptse, Lhotse, Ama Dablam, e Thamserku.[3]

Tenzing Norgay, o primeiro homem a chegar ao cume do Monte Everest com Sir Edmund Hilary nasceu nesta área, na aldeia de Thani e foi enviado para Mosteiro de Tengboche para ser um monge.[4]

História[editar | editar código-fonte]

Aldeia de Tengboche vista de que vem do norte, com o monastério no fundo a direita

O vale de Khumbu, onde está localizado Tengboche, veio sob a influência do budismo cerca de 350 anos atrás.[5] Antigas escrituras do Tibete referem-se a este vale, juntamente com Rowlang e Khanbalung como lugares sagrados.[5] Lama Dorje Sangwa é referido como o fundador do mais antigo mosteiro do Khumbu na aldeia de Pangboche, assim como muitos outros pequenos eremitérios.[6]

O real estabelecimento do mosteiro aconteceu apenas durante o período de Ngawang Norbu Tenzin, considerado a quinta encarnação de Dorje Sangwa.[5] Ele tinha estabelecido o mosteiro de Rongbuk no Tibete,[5] na face norte do Monte Everest. Ele pediu a Chatang Chotar, conhecido como Lama Gulu, para fundar um mosteiro na vila de Tengboche em 1916.[3] Foi o primeiro mosteiro sob a linhagem dos Nyingmapa do Budismo Vajrayana. No entanto, pequenos mosteiros mais antigos ja existiam em outros vilarejos.[6]

Três habitantes ricos da comunidade Sherpa local são creditados com a construção e financiamento do mosteiro, levando três anos para a sua total construção.[7]

Alguns dos templos da vila e menores santuários religiosos são anteriores a 1880, particularmente todos os grandes chortens. A parede de Pedra manis, feita de lajes de pedra inscrita com orações e textos sagrados é datada de 1915.[8]

O mosteiro de Tengboche e outros edifícios foram destruídos durante o terremoto de 1934.[2] [3] Lama Gulu que o tinha construído morreu. Seu sucessor, Umze Gelden, assumiu a tarefa de reconstruir o mosteiro com forte apoio de Ngawang Norbu Tenzin.

Os monges e da comunidade local, com o apoio de um carpinteiro qualificado vindos de Lhasa,[5] reconstruiram o mosteiro. Parte dos novos murais foram pintados por Kappa Kalden, um artista local de renome.[5]

No entanto, preciosas escrituras antigas, estátuas, murais e esculturas em madeira foram destruídos em um grande incêndio, causado por um curto-circuito elétrico, em 19 de janeiro de 1989.[3] Desde então, o mosteiro foi totalmente reconstruído com doações principalmente de outros países.[5]

Com um afluxo de turistas para a região de Khumbu, particularmente para trekking ou montanhismo, o mosteiro tem recebido um maior número de visitantes.[6]

Geografia e clima[editar | editar código-fonte]

Uma visão de Tengboche com Lhotse e Everest ao fundo. Uma parte do Ama Dablam aparece no canto superior direito.

Tengboche está localizado em uma colina a leste da confluência dos rios Duth Kosi e o Imja Khola. Encontra-se na região de Khumbu a nordeste de Kathmandu, no Nepal na fronteira com o Tibete.[3]

É habitada por sherpas ("sherpa" significa literalmente a "easterner") que migraram do Tibete de 400 a 600 anos atrás.[2] Tengboche é alcançada por uma trilha de montanha que passa por Namche Bazaar, e que inicia na cidade de Lukla (2.800 metros) onde está localizado o aeroporto mais próximo, este que é conectado por diversos voos diários a Kathmandu.[3] .

Para chegar até Tengboche é necessária uma dura caminhada de três dias a partir de Lukla.[3] . No entanto, considerando as necessidades de aclimatação para a escalada a esta altitude, um trekking de quatro dias é geralmente preferido.[9]

Esta trilha atravessa inicialmente o rio Kosi Dudh (3.250 metros (10.660 pés)) e uma continua subida leva para o mosteiro de Tengboche a 3870 metros (12700 pés) de altitude.[3] .

Durante o inverno, os picos cobertos de neve do Ama Dablam, Everest, e do Lotse assim como vários outros picos formam uma paisagem pitoresca.

Referências

  1. "Everest Base Camp". (em en) Nepal Map PublisherPvt. Ltd..
  2. a b c d Nepal tv/Tengboche.
  3. a b c d e f g h i Bradley, Mayhew; "Trekking in the Nepal Himalaya"; (2009); 9 edição; p 97 (map)+ pp 80-81, + pp 114-115; Lonely Planet; ISBN 9781741041880.
  4. Ortner, Sherry B.. Life and Death on Mt. Everest: Sherpas and Himalayan Mountaineering. [S.l.]: Princeton University Press, 2001. p. 112. ISBN 0691074488
  5. a b c d e f g Tengboche Monastery.
  6. a b c Tengboche Monastery Development Project Religious Life. Visitado em 2010-02-22.
  7. Tierney, Emiko Ohnuki. Culture through time: anthropological approaches. [S.l.]: Stanford University Press, 1990. 78–79 pp. ISBN 0804717915 Visitado em 2010-02-23.
  8. Stevens, Stanley F.. Claiming the high ground: Sherpas, subsistence, and environmental change in .... [S.l.]: Motilal Banarsidass Publishe, 1996. p. 277. ISBN 8120813456 Visitado em 2010-02-24.
  9. Muza, SR; Fulco, CS; Cymerman, A (2004). "Altitude Acclimatization Guide.". US Army Research Inst. of Environmental Medicine Thermal and Mountain Medicine Division Technical Report (USARIEM-TN-04-05). http://archive.rubicon-foundation.org/7616. Retrieved 2009-03-05

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Tengboche


  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Tengboche».