Teodoaldo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dinastia carolíngia
Pipinida
Arnulfida
Carolíngia
Após o Tratado de Verdun (843)

Teodoaldo (◊ c. 708 † c. 741) foi mordomo do palácio da Austrásia e da Nêustria, brevemente e sem oposição em 714 até Ragenfrido ser aclamado na Nêustria e Carlos Martel na Austrásia pela nobreza, após a morte de seu avô, Pepino de Herstal. Ele era filho ilegítimo de Grimoaldo II, mas sua avó Plectrude tentou de todas as formas que ele fosse reconhecido pelo seu avô como herdeiro legítimo de todas as terras pipinidas, no lugar do ilegítimo Carlos Martel. Sua avó desistiu disso em favor de Chilperico II da Nêustria e Ragenfrido. Ele morreu, provavelmente assassinado, por volta de 741, após amorte de seu tio e protetor, Carlos Martel. É notável que apesar de ter sido proclamado herdeiro de Pepino de Herstal e do tamanho de seu poder, Carlos Martel permitiu que seu sobrinho permanecesse vivo, ao invés de assassiná-lo, como era o hábito na Idade Média.

Pais[editar | editar código-fonte]

Grimoaldo II (◊ ? † 714)

♀ Teodesinda (◊ ? † ?)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Pepino de Herstal
Prefeito do palácio da Austrásia
714 - 715
Sucedido por
Carlos Martel
Precedido por
Grimoaldo II
Prefeito do palácio da Nêustria
714 - 715
Sucedido por
Ragenfrido