Teodomiro Romeiro dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Teodomiro Romeiro dos Santos, atualmente juiz aposentado do TRT 6ª Região[1] , foi o primeiro condenado à pena de morte no período republicano Brasileiro, com base na Lei de Segurança Nacional. [2]

História[editar | editar código-fonte]

Em 27 de outubro de 1970, na avenida Vasco da Gama, em Salvador, Bahia, Teodomiro Romeiro, Getúlio de Oliveira e Paulo Pontes , todos membros do então clandestino Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), receberam voz de prisão de quatro agentes do governo. Na ocasião Getúlio conseguiu fugir, sendo perseguido por um dos agentes, mas Teodomiro e Paulo Pontes foram presos e algemados um ao outro. Com a mão esquerda livre, ao entrar no automóvel que os condiziria à prisão, Teodomiro sacou o revólver que estava em sua pasta e disparou três vezes, acertando dois dos agentes: um sargento da aeronáutica, que morreu com um dos tiros; e um agente da polícia federal, que saiu ferido. Preso, Teodomiro foi condenado à morte naquele mesmo ano, mas teve essa pena comutada para prisão perpétua em 1971. Sabendo-se excluído da anistia política de 1979 e sob o risco de acabar sendo morto pela repressão, Teodomiro Romeiro dos Santos protagonizou, em agosto daquele ano, uma fuga da prisão. [3]

Exilou-se na França e retornou ao Brasil apenas em 1985, após a expiração de sua condenação, e se graduou em Direito. Theodomiro aposentou-se em como juiz do Tribunal Regional do Trabalho de Pernambuco. [1] Recebeu anistia e indenização do governo brasileiro apenas em 2011. [4] [5] [6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Por que Theodomiro Fugiu - Livro de Fernando Escariz sobre Theodomiro publicado em 1980.
  • Youtube /watch?v=2u2a8A7BqDM - Homenagem da Amatra ao Juiz Theodomiro Romeiro (vídeo).

Referências