Teodora (filha de Constantino VII)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Teodora da Bizâncio
Imperatriz-consorte bizantina
Constantine VII (Roman emperor), deathbed.jpg
Constantino VII, o pai de Teodora, em seu leito de morte.
Escilitzes de Madrid, de Vasiliki Tsamakda, em Madri.
Governo
Reinado 971976
Consorte João I Tzimisces
Antecessor Teofana Anastaso
Sucessor Helena
Dinastia Macedônica
Títulos Porfirogênita
Vida
Nascimento ca. 946
Filhos Teófano Curcuas
Pai Constantino VII
Mãe Helena Lecapena

Teodora, dita Porfirogênita foi uma imperatriz-consorte bizantina, segunda esposa de João I Tzimisces e filha de Constantino VII com Helena Lecapena. Seus avós maternos eram o imperador Romano I Lecapeno e Teodora.

História[editar | editar código-fonte]

A obra de Teófanes Continuado, uma continuação da crônica de Teófanes, o Confessor composta por outros autores ativos durante o reinado de seu pai. A crônica termina em 961 e relata o destino de Teodora após a morte de Constantino VII em 9 de novembro de 959. Seu irmão, Romano II o sucedeu no trono e a sua imperatriz, Teófano, o convenceu a enviar todas as suas irmãs para o convento de Kanikleion.

Teodora e suas irmãs, Zoé, Ágata, Teófano e Ana foram, inicialmente, mantidas juntas ali e, posteriormente, separadas: Teodora, Zoé e Teófano foram para o Mosteiro de Antíoco enquanto que Ágata e Ana foram para Mireleu, um templo construído pelo seu avô materno e que mantinha um convento.

Enquanto as irmãs continuavam seguindo a vida monástica, mudanças estavam ocorrendo no trono imperial. Romano II morreu em 15 de março de 963 e seus co-imperadores e sucessores eram os menores Basílio II Bulgaróctone e Constantino VIII. Teófano serviu como regente dos garotos até se casar com o poderoso general Nicéforo II Focas. Nicéforo ascendeu então ao trono como imperador sênior e permaneceu na posição até que sua esposa e o amante dela, João I Tzimisces, conspirassem para que ele fosse assassinado na noite de 10-11 de dezembro de 969.

João se tornou o imperador sênior no lugar de sua vítima e Teófano foi exilada para a ilha de Pringipos. Porém, ao contrário de seu antecessor, João não tinha conexão nenhuma com a legítima Dinastia macedônica, seja por laços de sangue ou de casamento. Seu casamento anterior, com Maria Scleraina, havia solidificado uma aliança com o poderoso general Bardas Esclero, mas a lealdade do resto da corte não estava assegurada.

João consertou a situação libertando Teodora para que pudessem se casar. De acordo com Leão, o Diácono, o casamento ocorreu em novembro de 971. Fontes indicam que deste casamento nasceu uma filha[1] , Teófano Curcuas.

João I morreu em 10 de janeiro de 976, mas o destino de Teodora não ficou registrado.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Teodora (filha de Constantino VII)
Nascimento: séc. X Morte: séc. X
Títulos reais
Precedido por:
Teofana Anastaso
Imperatriz-consorte bizantina
971–976
Sucedido por:
Helena

Referências

  1. Hussey, Joan M. The Cambridge Medieval History: The Byzantine Empire (em inglês). [S.l.: s.n.], 1966. vol. IV.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Charles Cawley. Teodora (em inglês) Medieval lands. Visitado em 4/08/2011.