Teorema de imersão de Nash

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os teoremas de imersão de Nash, chaamados asim por John Forbes Nash, estabelecem que cada variedade de Riemann pode ser isometricamente imersa em um espaço euclidiano Rn.

"Isometricamente" significa "preservando o comprimento das curvas". Este teorema estabelece que cada variedade Riemanniana pode ser visualizada como uma subvariedade do espacço euclidiano.

O primeiro teorema é para funções de classe C1, sendo que o segundo é para funções analíticas ou de classe Ck, 3 ≤ k ≤ ∞. Ambos teoremas são muito diferentes entre sí. A demonstração do primeiro é bastante simples, e a do segundo é muito técnica apesar do resultado não ser absolutamente inesperado.

O teorema para funções C1 foi publicado em 1954, o teorema para funções Ck em 1956, e o caso para funções analíticas em 1966 por John Forbes Nash.

Teorema de Nash-Kuiper (teorema de imersão C1)[editar | editar código-fonte]

Teorema de imersão Ck[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • N.H.Kuiper: "On C1-isometric imbeddings I", Nederl. Akad. Wetensch. Proc. Ser. A., 58 (1955), pp 545-556.
  • John Nash: "C1-isometric imbeddings", Annals of Mathematics, 60 (1954), pp 383-396.
  • John Nash: "The imbedding problem for Riemannian manifolds", Annals of Mathematics, 63 (1956), pp 20-63.
  • John Nash: "Analyticity of the solutions of implicit function problem with analytic data" Annals of Mathematics, 84 (1966), pp 345-355.