Teoria dos fótons

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Teoria dos Fótons parte da idéia inicial de que quando um elétron é excitado, o mesmo é levado a um nível de energia superior e quando retorna ao seu estado fundamental (estado de mais baixa energia) ele emite luz, por razões da primeira energia de ionização, um experimento muito famoso que demonstra tudo isso é o Experimento de Ensaio de Chama, onde elementos são aquecidos sob a chama do Bico de Bunsen e demonstram suas cores características, por exemplo em um espectro descontínuo (na utilização de um espectroscópio).

Idealizador - Max Planck[editar | editar código-fonte]

O genial Max Planck propôs com sucesso que um corpo ao absorver ou emitir energia, o mesmo faz de forma descontínua, entre outras palavras, na forma de pacotes unitários de energia. Onde cada um desses pacotes de energia é chamado de quantum ou mais comumente de fóton. Toda radiação possui fótons com uma energia própria (específica), sendo o fator responsável por essa diferenciação a sua frequência. Assim, obviamente o fóton da luz azul é diferente do da luz verde, isso pode ser observado acentuadamente em um espectroscópio, que pode mostrar o espectro específico para cada elemento, por exemplo. bolinha

Energia de um fóton[editar | editar código-fonte]

A energia de um fóton pode ser dada pela equação:

E=h \cdot f onde: h: é a constante de Planck: 6.6260755.10^-34 Js f: frequência.

Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.