Teras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Na mitologia grega, Teras ou Tera[1] (Θήρας), filho de Autesião, neto de Tisâmeno, bisneto de Tersandro e tataraneto de Polinices,[2] é um herói de origem tebana, fundador da cidade de Thira na ilha homônima. Pelos cálculos de Pierre Henri Larcher, ele teria nascido em 1214 a.C..[3]

Era descendente do fenício Cadmo, o fundador da Cadmeia (a acrópole de Tebas), dado que seu tataravô Polinices, filho de Édipo, era bisneto de Cadmo.[4] [5] Foi o tutor dos irmãos gêmeos de sua irmã Argia, Eurístenes e Procles, após a morte de seu marido Aristodemo, rei de Esparta. Durante a minoridade de seus sobrinhos foi regente do trono de Esparta;[6] teve dois filhos chamados Samos e Eólico.[7]

Quando seus sobrinhos chegaram a maior idade e assumiram o poder, não querendo se subordinar a eles, reuniu pessoas das tribos dórias e mínias que os lacedemônios queriam matar por ter escapado da prisão, intercedendo por eles e comprometendo-se a levá-los para fora do país.[8] Theras zarpou com a intenção de formar uma comunidade com os descendentes dos fenícios que junto de seu antepassado Cadmo chegaram em Caliste (Santorini).[9] Segundo Heródoto, Eólico, o filho de Theras não o acompanhou na expedição;[10] Píndaro, que inclui uma tradição diferente, refere-se a alguns égidas deixaram Esparta e acompanharam Theras;[11] [12] Pausânias coincide essencialmente com Heródoto, exceto em duas coisas: em primeiro lugar, a intenção de Theras em ir para a ilha foi ocasionada porque os habitantes locais devido sua linhagem, cederam voluntariamente o trono a ele;[13] em segundo lugar, os mínios que o acompanharam foram expulsos de Lemnos pelos pelasgos.[14]

A ilha de Caliste recebeu o nome de Theras em honra a seu oikistés (colonizador).[15] Observou-se anualmente, mesmo em seu tempo, sacrifícios em sua honra.[16] Seu filho mais velho, Samos, foi com ele para a nova colônia, e teve dois filhos, Telêmaco e Clítio. Telêmaco emigrou para a Sicília, e foi, segundo Píndaro, o ancestral de Terone,[17] tirano de Acragas.

Eólico, se filho mais novo, ficou em Esparta, e teve um filho, Hiréus, que teve três filhos, Mésis, Léas e Europas. Estes três filhos construíram o Heroon de Esparta.[18] Pausânias relata que no Dromo de Esparta havia um santuário de Atena dedicado a Theras na ocasião da colonização.[19] Além disso haviam heroa dedicados a Cadmo e seus descendentes Thera, Eólico e Egeu.[20]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Heródoto. Histórias (em grego). [S.l.: s.n.], século V a.C..
  • Pausânias. Descrição da Grécia (em grego). [S.l.: s.n.], 160-176.
  • Esquilo. Os Sete Contra Tebas (em grego). [S.l.: s.n.], 467 a.C..
  • Píndaro. Pítica V (em grego). [S.l.: s.n.], 462/461 a.C..
  • Píndaro. Ístmicas VII (em grego). [S.l.: s.n.], 454 a.C..
  • Kury, Mario da Gama. Dicionário de Mitologia Grega e Romana. [S.l.]: Zahar, 2003.