Terceiro Comando

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Terceiro Comando, conhecido pela sigla TC, foi uma facção criminosa brasileira, com base no Rio de Janeiro, surgida para se opor ao Comando Vermelho após 1994.[1] Extinguiu-se no início da década de 2000.

História[editar | editar código-fonte]

Ao contrário do Comando Vermelho, os detalhes de sua criação ainda são obscuros, mas acredita-se que tenha surgido a partir da Falange Jacaré, já na década de 1980, e desde essa época já se opunha ao Comando Vermelho.[2] [3] . Outras fontes, por sua vez, afirmam que o TC surgiu de uma dissidência do Comando Vermelho e por policiais que passaram para o lado do crime, como o traficante Zaca, que foi policial militar e disputou sangrenta guerra com o traficante Marcinho VP no morro Dona Marta na Zona Sul do Rio de Janeiro. O TC Passou a dominar pontos de venda a partir das zonas Oeste e Norte, áreas mais periféricas da cidade do Rio de Janeiro.[1]

Aliou-se à facção ADA (Amigos dos Amigos), em 1998, o que fortaleceu a ambas as organizações.[1]

Em 2002, surgiu uma dissidência, o Terceiro Comando Puro, liderada pelo traficante Facão.[1]

Em Setembro de 2002, Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, um dos líderes do Comando Vermelho, articulou uma rebelião no presídio de Bangu I, em que foram executados os principais líderes do TC, dentre eles o traficante Ernaldo Pinto Medeiros, o . Celsinho da Vila Vintém, da ADA, foi acusado de traidor, o que gerou a divisão entre TC e ADA. Após isso os traficantes do TC então passaram à ADA ou partiram de vez para o TCP.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Procurados.org. Terceiro Comando. Página visitada em 14/12/2011.
  2. http://www.mail-archive.com/policia-br@grupos.com.br/msg05780.html
  3. Revista Época. [1].