Terras do Sem-Fim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Terras do Sem-Fim
Capa do livro Terras do Sem-Fim.
Autor (es) Jorge Amado
Idioma português
Género Romance
Lançamento 1943
Páginas 282 (versão original)
ISBN 978-0-14-310637-1

Terras do Sem-Fim é um romance escrito por Jorge Amado e publicado em 1943. O livro descreve conflitos em busca da conquista de pedaços de terra nas florestas da Bahia, para transformá-los em plantações de cacau. Amado escreveu que "Nenhum outro dos meus livros é tão querido para mim como Terras do Sem-Fim, nele também se encontram as minhas raízes... É a partir do sangue com o qual eu fui criado, que contém o tiroteio que ressoou durante a minha primeira infância" e sugeriu que o romance pertence a uma distinta "literatura brasileira do cacau".[1]

Em 1948, a Atlântida Cinematográfica produziu o filme Terra Violenta, inspirado no romance de Jorge Amado.[2] Já em 1981, o livro foi adaptado para a televisão pela Rede Globo, que produziu a telenovela Terras do Sem-Fim.[3]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A história se passa no sul da Bahia, no começo do século XX. No livro, são retratados os conflitos entre os irmãos Badarós e coronel Horácio da Silveira pela posse de terras, especialmente as do Sequeiro Grande, na região cacaueira do sul da Bahia. Por ser conhecida como a melhor terra do mundo para o plantio de cacau, Sequeiro Grande atrai os olhos dessas duas famílias, que não poupam esforços para conseguir a posse das terras e assim ampliar mais ainda suas riquezas plantando cacau.

A região de Ilhéus estava sob o domínio político do fazendeiro-coronel Sinhô Badaró que, visando apropriar-se das terras devolutas do Sequeiro Grande, manda o jagunço Damião assassinar o pequeno fazendeiro Firmo, proprietário de um sítio que ficava de permeio. O atentado fracassa, e é deflagrada a luta pela posse daquelas terras, igualmente disputadas por outro rico latifundiário vizinho, o oposicionista coronel Horácio da Silveira, que também promove demanda judicial através do seu advogado Virgílio Cabral, enquanto se sucedem os atos de violência de parte a parte, com tropelias, plantações destruídas, incêndios e muitas mortes.

Com o acontecimento de uma reviravolta política no estado, a situação local passa a ser comandada por Horácio, que alicia os pequenos fazendeiros circunvizinhos para as suas hostes. Sinhô Badaró, ferido nos combates, é substituído pela filha, Don'Ana Badaró. Paralelamente, desenvolve-se às ocultas o amor entre Virgílio Cabral e a esposa de Horácio. As cartas reveladoras do adultério caem nas mãos do viúvo, que não vacila em mandar matar Virgílio.

Referências

  1. Jorge Amado. The Violent Land. [S.l.]: Alfred A. Knopf, 1965. OCLC 568755899.
  2. Jorge Amado. Terras do Sem-Fim. [S.l.]: Companhia Das Letras, 2008. 269 pp. ISBN 978-85-359-1252-4.
  3. Nilson Xavier (2010). Terras do Sem-Fim Tele Dramaturgia. Visitado em 2 de janeiro de 2015.