The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert
As aventuras de Priscilla, rainha do deserto (PT)
Priscila, A Rainha do Deserto (BR)
 Austrália
1994 • cor • 103 min 
Direção Stephan Elliott
Produção Michael Hamlyn
Al Clark
Roteiro Stephan Elliott
Elenco Terence Stamp
Hugo Weaving
Guy Pearce
Bill Hunter
Gênero comédia dramática
musical
Idioma inglês
filipino
Música Guy Gross
Cinematografia Brian J. Breheny
Edição Sue Blainey
Estúdio PolyGram Filmed Entertainment
Specific Films
Distribuição Gramercy Pictures
Lançamento Estados Unidos 1994 (Festival de Seattle) (premiere)
Espanha 30 de janeiro de 1994
França maio de 1994 (Festival de Cannes)
Portugal 14 de abril de 1995
Orçamento A$ 1,884,200 (US$ 2 milhões)
Receita US$ 29,679,915
Página no IMDb (em inglês)

The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert (Priscila, A Rainha do Deserto (título no Brasil) ou As aventuras de Priscilla, rainha do deserto (título em Portugal)) é um filme australiano de 1994, dos gêneros comédia dramática e musical, dirigido por Stephan Elliott.

A trilha sonora apresenta as canções I Love the Nightlife , I Will Survive , I've Never Been to Me Go West , A Fine Romance , Finally , Mamma Mia , My Baby Loves Lovin' , I Don't Care if the Sun Don't Shine , Shake Your Groove Thing e Save the Best for Last.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Duas drag queens, Anthony/Mitzi e Adam/Felicia, e uma Transsexual, Bernadette/Ralph, são contratados para fazer um show travesti em um resort em Alice Springs, uma cidade turística no remoto deserto australiano. Eles viajam a bordo de seu ônibus, Priscilla. No caminho, descobrem que a mulher que os contratou é a esposa de Anthony. O ônibus quebra, e é consertado por Bob, que passa a viajar com eles.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert tem aclamação por parte da crítica especializada. Com tomatometer de 93% em base de 30 críticas, o Rotten Tomatoes publicou um consenso: “Embora a sua premissa é maduro para a comédia - e certamente oferece seu quinhão de risos - Priscilla também é um filme de estrada surpreendentemente suave e pensativo com algumas performances excelentes”. Tem 88% de aprovação, por parte da audiência, usada para calcular a recepção do público a partir de votos dos usuários do site.[1]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Oscar 1995 (EUA)

  • Venceu na categoria de melhor figurino.[2]

BAFTA 1995 (Reino Unido)

  • Venceu nas categorias de melhor figurino e melhor maquiagem.
  • Indicado nas categorias de melhor ator (Terence Stamp), melhor fotografia, melhor desenho de produção e melhor roteiro original.
  • Indicado ao Prêmio Anthony Asquith para melhor filme musical.

Globo de Ouro (EUA)

  • Indicado nas categorias de melhor filme - comédia / musical e melhor ator em cinema - comédia / musical (Terence Stamp).[3]

Referências

  1. The Adventures of Priscilla, Queen of the Desert (em inglês) Rotten Tomatoes. Visitado em 29 de março de 2014.
  2. Oscar Primer: Is' The Invisible Woman' poised to take Best Costume Design? (em inglês) scottfeinberg.com. Visitado em 29 de março de 2014.
  3. Golden Globe Nods a Lot Like a Box of Chocolates . . . : Awards (em inglês) articles.latimes.com. Visitado em 29 de março de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]