The Age of Stupid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido de [[inglês]]. Ajude e colabore com a tradução.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde dezembro de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
The Age of Stupid
A Era da Estupidez (BR)
 Reino Unido
2009 • cor • 89 min 
Direção Franny Armstrong
Produção Lizzie Gillett
Roteiro Franny Armstrong
Elenco Pete Postlethwaite
Jehangir Wadia
Layefa Malin
Al Duvernay
Fernand Pareau
Jamila and Adnan Bayyoud
Piers Guy
Mark Lynas
David King
George Monbiot
Género documentário, ficção científica
Idioma inglês
Música Chris Brierley
Edição David G Hill
Distribuição Dog Woof Pictures
Lançamento  Reino Unido 21 de setembro de 2009
Orçamento £ 450.000
Página no IMDb (em inglês)

The Age of Stupid ("A Era da Estupidez", no Brasil) é um filme de 2009 dirigido por Franny Armstrong e produzido por Lizzie Gillett.

A produção executiva é de John Battsek, produtor de One Day in September.

O filme é um híbrido de drama-documentário-animação estrelando Pete Postlethwaite como um homem que vive sozinho no mundo devastado de 2055, vendo imagens de arquivo a partir de 2008 e perguntando: Por que não nos salvamos quando tivemos chance?

Enredo[editar | editar código-fonte]

A história começa no ano de 2055. Um homem conhecido como o arquivista de toda a arte e dos conhecimentos adquiridos no mundo, interpretado por Pete Postlethwaite, revê filmes arquivados do passado buscando a resposta para a pergunta "quando poderíamos ter salvo a nós mesmos?". As filmagens que ele analisa consistem de reportagens mostrando os efeitos das alterações climáticas que estão entrelaçadas com seis histórias individuais:

  • Al Duvernay é mostrado por ter ajudado na sequência do Furacão Katrina. Ele também reflete sobre seu trabalho na indústria do petróleo e de recursos valiosos como estão sendo desperdiçados.
  • Um homem de negócios indiano, Jehangir Wadia, fala sobre o início de sua companhia aérea de baixo custo GoAir, e seu desejo de que todas as pessoas e não apenas os ricos possam se dar ao luxo de viajar de avião.
  • Uma família iraquiana, que fugiu para a Jordânia por causa da Guerra do Iraque, conta a história da morte de seus pais. O foco é em duas crianças da família, Jamila e Adnan.
  • Uma família de ingleses que faz uma excursão na geleira de Mont Blanc, na França, com seu guia Fernand Pareau, de oitenta e dois anos. Fernand é um habitante local que viu as geleiras diminuirem maciçamente no decorrer de sua vida. O guia também é indicado a tomar medidas contra a expansão da infra-estrutura rodoviária na sua área.
  • O pai da mesma família inglesa, Guy Piers, fala sobre seus esforços para desenvolver parques eólicos e como foi impedido por pessoas que professam um compromisso de lutar contra o aquecimento global por não quererem uma turbina de vento destruindo a paisagem.
  • Layefa Malemi é uma nigeriana que luta contra a pobreza, apesar da riqueza em petróleo de seu país. Ela conta sobre a aspiração de se tornar estudante de medicina e o impacto diário da exploração de óleo pela empresa Shell da Nigéria sobre a saúde, segurança e ambiente do país.

Ao final, um avanço rápido de 2008 até 2054 mostra os efeitos de se ignorar os sinais de mudança climática. A mensagem do arquivista é irradiada para o espaço.

Lançamento[editar | editar código-fonte]

A estréia do filme no Reino Unido ocorreu em 15 de março de 2009, em uma tenda de cinema abastecida por energia solar na Leicester Square, em Londres.[1] A transmissão estava ligada por satélites a outros 62 cinemas pelo Reino Unido. A estréia entrou para o Guinness World Records como a maior já realizada para um filme, no que se refere a número de telas em que foi exibido. Durante as discussões após a exibição, a estrela do filme, Pete Postlethwaite, ameaçou retornar sua Ordem do Império Britânico caso o governo permitisse a continuidade da controversa usina termoelétrica Kingsnorth, em Kent.[2] O president Mohammed Nasheed recebeu aplausos ao anunciar que as Maldivas seriam o primeiro país do mundo a ter neutralidade de carbono. [3]


Referências

  1. "Solar-powered premier for film", The Press (Agence France-Presse), 2009-03-17. Página visitada em 16/05/2009.
  2. Título não preenchido, favor adicionar.
  3. Schmidle, Nicholas (2009-05-08). Wanted: a new home for my country The New York Times. Visitado em 25/11/2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.